Felicidade por um Fio desperta reflexão para algo cotidiano, o cabelo

Netflix

Crítica

Felicidade por um Fio desperta reflexão para algo cotidiano, o cabelo

Filme da Netflix trata com sensibilidade tema que marca a vida das pessoas negras

Diego Queiroz
27.01.2021
13h04

 

“O que foi que aconteceu com o seu cabelo? Parece um arbusto!”, zomba o garoto de dentro da piscina ao ver o cabelo molhado de Violet, uma garota afro-americana de onze anos que só queria se divertir. Se parte das gerações passadas de escritores terminassem as suas histórias cacheados para sempre, talvez não precisássemos de uma cena dessa. Como não foi isso que aconteceu, esse é o tom inicial do filme Felicidade Por Um Fio, produção da Netflix

Para muitos que não vivem esse dilema, não há como imaginar a dificuldade que é alcançar o sucesso profissional e amoroso por simplesmente ter o cabelo crespo. Mas Violet Jones (Sanaa Lathan) e boa parte das pessoas negras entendem bem dessa estranha e dolorosa realidade. As dores do alisamento e o rigor educacional da mãe na infância, ensinando que só poderia ser feliz e amada com o cabelo liso, deixam marcas difíceis de apagar. 

O ponto inicial da trajetória de Violet não é diferente, e tudo começa justamente no dia do seu aniversário. Ao receber um cachorrinho do namorado e não um pedido de casamento - e ainda ouvir que não teve a proposta por ser perfeita demais e não saber relaxar - Violet fica revoltada. Ela termina a relação, literalmente se descabela e sua vida aparentemente perfeita passa a gerar um grande questionamento. 

Não é primeira vez que a diretora de Felicidade por um Fio, Haifaa Al-Mansour, dirige um filme sobre vidas que esbarram nos estereótipos sociais. O Sonho de Wadjda, longa de 2013, é um exemplo disso. Nele, Al-Mansour conta a história de uma menina que gostaria de andar de bicicleta no subúrbio de Riade, capital da Arábia Saudita, mas é muito julgada por causa dos valores conservadores e machistas do país. 

Conhecer novas histórias é se permitir adentrar em uma das maiores belezas do cinema: a empatia. A sincronia do áudio e da imagem em uma telinha digital nos leva a sentir emoções inimagináveis de uma vida distante da nossa, estabelecendo relações com personagens cujas dores e alegrias, se não fosse pela sétima arte, jamais conheceríamos. 

E se você nunca se perguntou se os fios dos seus cabelos poderiam ser o motivo das escolhas que fez na vida, seja o lugar que trabalhou, a família com quem decidiu viver e a até a relação que teve com os amigos, prepare-se: Felicidade por um Fio é o filme certo para você.

Felicidade por um Fio
Nappily Ever After
Felicidade por um Fio
Nappily Ever After

Ano: 2018

País: EUA

Classificação: 14 anos

Duração: 98 min min

Direção: Haifaa Al-Mansour

Roteiro: Adam Brooks, Trisha R. Thomas, Cee Marcellus

Elenco: Sanaa Lathan, Lyriq Bent, Lynn Whitfield, Ernie Hudson, Ricky Whittle

Nota do Crítico
Bom

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados para as finalidades ali constantes.