Carl Erik Rinsch (John Sciulli / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / Getty Images via AFP)

Créditos da imagem: Carl Erik Rinsch (John Sciulli / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / Getty Images via AFP)

Séries e TV

Notícia

Netflix pagou US$ 55 mi por série, e diretor gastou tudo com criptomoedas

Carl Erik Rinsch também fez compras de luxo e apostas arriscadas no mercado de ações

Omelete
4 min de leitura
24.11.2023, às 08H29
ATUALIZADA EM 24.11.2023, ÀS 09H38
ATUALIZADA EM 24.11.2023, ÀS 09H38

Netflix gastou mais de US$ 55 milhões com uma série de ficção científica que você nunca vai poder ver. Uma nova matéria do The New York Times conta a história de Conquest, a superprodução que foi para o lixo por conta dos hábitos curiosos do criador e diretor Carl Erik Rinsch.

Conhecido por seu trabalho na indústria publicitária e por assinar o filme 47 Ronin, estrelado por Keanu Reeves, Rinsch vendeu a serie Conquest para a Netflix em 2018, após um leilão competitivo que incluiu propostas da Amazon, HBO Max e Apple.

Na época, o que o diretor (e sua parceria criativa e ex-esposa, Gabriela Rosés Bentancor) tinham para mostrar aos potenciais compradores eram alguns episódios curtos, finalizados por Rinsch com o dinheiro da produtora 30West - com quem ele já tinha uma disputa judicial - e do próprio Reeves, que investiu no projeto.

Na trama futurista de Conquest, um cientista genial cria uma espécie de inteligência artificial quase indistinguível da humanidade, e a envia para intervir em locais conflituosos do planeta, esperando que ela nunca seja descoberta. Não dá certo, é claro, e isso acaba engatilhando um conflito mundial.

Pouco depois de assinar o contrato com a Netflix, no entanto, o comportamento de Rinsch se tornou "errático", de acordo com integrantes da equipe entrevistados pelo Times, mensagens de texto reveladas ao jornal e documentos do processo de divórcio entre o diretor e Bentancor.

Após gastar US$ 46 milhões com filmagens em São Paulo, Montevidéu e Budapeste, que já foram atribuladas (aqui no Brasil, um representante do sindicato de atores visitou o set após queixas de maus tratos por parte dos figurantes), Rinsch pediu por mais US$ 11 milhões - que a Netflix só cedeu após uma disputa entre duas versões diferentes do roteiro.

Em posse deste dinheiro, o diretor imediatamente investiu US$ 10.5 milhões no mercado de ações, fazendo uma série de apostas arriscadas que não deram certo - uma delas, inclusive, em uma empresa que alegava estar nos estágios finais de desenvolvimento de um remédio antiviral para a covid-19. Rinsch perdeu US$ 6 milhões em questão de dias.

Em mensagens trocadas com Bentancor e com executivos da Netflix nesta mesma época, Rinsch demonstrou um estado mental ainda deteriorado: entre suas teorias malucas, ele alegou ser capaz de prever onde raios iriam cair, quando vulcões entrariam em erupção, e em quais padrões a covid-19 iria se espalhar pelo mundo.

Com o resto do dinheiro que lhe sobrou da Netflix, o diretor investiu na criptomoeda Dogecoin - e, dessa vez, tirou a sorte grande. De acordo com documentos de divórcio acessados pelo Times, Rinsch liquidou sua posição em maio de 2021, lucrando US$ 27 milhões no processo.

O que ele fez a seguir foi torrar quase um terço desse dinheiro (US$ 8.5 milhões) em itens de luxo, incluindo um relógio de mais de US$ 350 mil, nada menos do que seis carros esportivos (cinco Rolls-Royces e uma Ferrari), além de roupas e móveis extravagantes.

Foi por volta dessa época que a Netflix cortou relações oficialmente com Rinsch, dizendo que ele podia tentar vender Conquest para outras emissoras ou plataformas de streaming interessadas - desde que elas reembolsassem o prejuízo. Em resposta, Rinsch processou a Netflix.

Nos documentos legais, o diretor alega que o dinheiro que gastou era contratualmente seu, que todos os itens que comprou com ele seriam incorporados como objetos de cena em Conquest, e que a plataforma ainda lhe deve US$ 14 milhões do dinheiro que estava previsto na venda da série.

A Netflix, enquanto isso, alega que o pagamento deste dinheiro estava atrelado ao cumprimento de metas de produção (Rinsch nunca entregou um único episódio finalizado de Conquest). O caso corre no sistema judicial americano, ainda no estágio de arbitragem.

*************

Faça parte da nossa comunidade: Temos bastidores no Canal do WhatsApp, entre no debate no Telegram e acompanhe a gente também no YouTube (youtube.com/omeleteve)

Ingressos à venda para a CCXP23, o maior festival de cultura pop do mundo. Compre agora!

Omelete no Youtube

Confira os destaques desta última semana

Omelete no Youtube

Confira os destaques desta última semana

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a nossa Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados e cookies para as finalidades ali constantes.