Masali Baduza como Michaela em Bridgerton (Reprodução)

Créditos da imagem: Masali Baduza como Michaela em Bridgerton (Reprodução)

Séries e TV

Notícia

Bridgerton | Julia Quinn reage a mudança de gênero de personagem dos livros

Autora reconheceu que alguns fãs ficaram "desapontados" com a decisão, mas reiterou confiança no time da Netflix

Omelete
3 min de leitura
25.06.2024, às 08H27.
Atualizada em 27.06.2024, ÀS 15H50

A escritora Julia Quinn, responsável pela série de livros que inspirou Bridgertonquebrou o silêncio sobre a revolta de uma parte dos fãs em relação a uma mudança na história de Francesca (Hannah Dodd) - mais especificamente, a série da Netflix mudou o gênero de seu interesse romântico, transformando o personagem que era Michael nos livros em Michaela (Masali Baduza).

"Muitos fãs de Bridgerton expressaram sua surpresa - e, para alguns, desapontamento - em relação à reviravolta no final da terceira temporada", escreveu a autora em mensagem postada no Instagram"Qualquer pessoa que leu qualquer entrevista minha nos últimos anos sabe que estou profundamente comprometida com a ideia de fazer de Bridgerton um universo mais inclusivo e diverso conforme os livros são adaptados para a tela".

Apesar disso, continuou Quinn, a mudança proposta pela showrunner Jess Brownell também lhe pareceu um pouco radical à primeira vista. A autora contou que as duas tiveram longas conversas sobre os planos para a história de Francesca na série, e especialmente sobre como o amor da personagem por seu marido, John (Victor Alli), não deveria ser diminuído para abrir caminho para Michaela.

"Quando escrevi O Conde Enfeitiçado [livro da série que acompanha a história de Francesca], tive que brigar com o meu editor para incluir os quatro primeiros capítulos, que estabeleciam o amor dela por John. Ele achava que calcar muito esse sentimento faria com que o papel de Michael como herói romântico acabasse diminuindo. Eu, por outro lado, queria que o leitor sentisse o quanto ela amava John, e o quando Michael também o amava, para que a sensação de culpa e a forma como eles se apaixonam após a morte de John fizesse mais sentido", explicou Quinn.

A escritora finalizou sua mensagem reiterando a confiança no time criativo por trás de Bridgerton, dizendo que a temporada de Francesca - venha quando ela vier - tem o potencial de ser "ainda mais tocante" do que seu livro original, tendo em vista o tempo de tela expandido dado a John.

"Obrigada aos leitores e fãs por me enviarem suas reações honestas. Me sinto grata por sua compreensão, e tocada por seu comprometimento profundo por esses personagens. Eu peço que vocês garantam a mim, e ao time da Shondaland, um pouco de fé enquanto nos movemos adiante. Acho que vamos acabar com duas histórias diferentes - a da tela, e a da página -, mas que ambas serão lindas", completou.

As três primeiras temporada de Bridgerton, que acompanham as aventuras e desventuras amorosas de diferentes membros da família que batiza a série (e aqueles que vivem ao seu redor na Alta Sociedade britânica), estão disponíveis para streaming na Netflix.

A quarta temporada ainda não tem data de estreia, mas deve chegar somente em 2026.

Omelete no Youtube

Confira os destaques desta última semana

Omelete no Youtube

Confira os destaques desta última semana

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a nossa Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados e cookies para as finalidades ali constantes.