Montagem contendo o cartaz de Arremesso Final e uma ilustração de Slam Dunk

Créditos da imagem: Divulgação/ESPN;Reprodução/Shonen Jump

Netflix

Artigo

Dois fenômenos, uma paixão: entenda a relação entre Arremesso Final e Slam Dunk

Como a série da Netflix e um mangá recordista de vendas apresentam a força do esporte

Gabriel Avila
14.05.2020
19h10
Atualizada em
14.05.2020
19h27
Atualizada em 14.05.2020 às 19h27

Arremesso Final chegou à Netflix com a respeitável missão de relembrar ao mundo os anos de glória de um fenômeno da NBA chamado Michael Jordan. A série documental produzida em parceria com a ESPN recorda a década de 1990, período em que o astro somou seu extraordinário talento com uma dedicação impressionante para liderar um Chicago Bulls que entrou para a história como um dos maiores times de todos os tempos. Durante essa época gloriosa para o basquete norte-americano, o esporte virou febre também no outro lado do mundo graças ao lançamento de Slam Dunk, um dos mangás mais vendidos de todos os tempos. Quase 30 anos depois, é possível perceber como uma publicação e um atleta transformaram o esporte em fenômeno de formas completamente distintas.

Com o título original de The Last Dance (A Última Dança, em tradução livre), o seriado da Netflix parte da premissa de narrar o último ano do grandioso time do Chicago Bulls liderado por Michael Jordan. Porém, ao invés de contar exclusivamente como se sucedeu a temporada de 1997-98 da NBA, a produção narra em paralelo toda a jornada do time, desde a chegada de Jordan até aquele momento. Essa escolha tem dois claros objetivos: apresentar uma das melhores equipes que a liga já teve e, especialmente, narrar a escalada do atleta de calouro promissor a uma das maiores lendas do mundo dos esportes. Dentre as duas interessantes linhas narrativas, o documentário impressiona quando dimensiona a importância de Jordan não apenas dentro de quadra, mas para a cultura do basquete como um todo.

Michael Jordan fazendo uma enterrada durante uma partida do Chicago Bulls
Divulgação/Jeff Haynes/AFP

Quando MJ chegou ao Chicago Bulls, em 1984, a franquia estava falida e sua única fama era a de ser presa fácil para os adversários. Decidido a mudar esse quadro, o atleta entrava em quadra dando o máximo de si, algo que inspirou mudanças no time tanto em questões táticas, quanto na forma de encarar as partidas. Aos poucos seu estilo obcecado pela vitória começou a dar resultados, levando o time da posição de azarão a um dos principais concorrentes ao título da NBA. Esse feito impressionante aumentou a popularidade não só do time, mas também da cidade de Chicago, que viu seu comércio decolar através do agora massivo número de turistas, ingressos e produtos vendidos. De acordo com um levantamento do Chicago Tribune, o impacto de Jordan para a economia local pode ultrapassar a marca de US$ 1 bilhão.

Crescendo ano após ano, o time de Chicago chegou ao tão sonhado 1º campeonato em 1991. Contando com grandes atletas como Scottie Pippen e Horace Grant, o time derrotou os Los Angeles Lakers de Magic Johnson e iniciou uma sequência de três títulos seguidos.

Pôster de Arremesso Final
Divulgação/ESPN

Enquanto vencia o torneio nos EUA, Jordan fez história também ao liderar o Dream Team (Time dos Sonhos, em tradução livre), nome dado à seleção de basquete do país na Olimpíada de Barcelona em 1992, citada por muitos como uma das responsáveis por fazer outros países prestarem atenção no alto nível dos jogadores da NBA. Esse impacto internacional foi sentido especialmente no Japão, país que já vivia sua própria febre de basquete há alguns anos graças ao popular mangá Slam Dunk.

Slam Dunk e o basquete no Japão

Escrito e desenhado por Takehiko Inoue, autor conhecido pelo mangá Vagabond, Slam Dunk acompanha a jornada de Hanamichi Sakuragi, um garoto problema que entra para o time de basquete do colégio Shohoku para impressionar a bela jovem Haruko Akagi. O esporte, que era inicialmente apenas uma forma de se aproximar da garota, se tornou uma grande motivação para o jovem, que aos poucos foi tomando gosto e passou a se dedicar de corpo e alma para levar seu time ao sonhado campeonato nacional. O mangá encantou os leitores da Weekly Shonen Jump, revista que foi casa de grandes títulos como Dragon Ball, Naruto e One Piece, por apresentar o basquete de forma divertida, didática e envolvente.

Hanamishi Sakuragi fazendo uma enterrada em Slam Dunk
Divulgação/Shonen Jump

Inspirado por sua própria experiência enquanto jogador de basquete no Ensino Médio, Inoue utilizou características clássicas do shonen - gênero voltado ao público masculino adolescente - para divulgar o esporte entre seus leitores. Inicialmente, Slam Dunk fisga pelo carisma de Sakuragi, que vive se envolvendo em situações cômicas graças ao seu estilo explosivo e convencido. Porém, conforme a história avança, o esporte ganha cada vez mais importância dentro da trama. As partidas se tornam grandes eventos, narradas com dinamismo e uma riqueza de detalhes que nada devem às grandes batalhas dos títulos de ação.

Em entrevista ao jornalista Manu, o autor explicou que sua principal intenção com Slam Dunk era transmitir algumas de suas emoções enquanto atleta. “Quis expressar cada sensação que experimentei naquele momento da minha vida: perder um jogo, jogar junto com um time, ganhar uma partida, alcançar metas e objetivos… É tudo o que eu quis colocar no mangá”. Enquanto cativava seu público ao transmitir sensações inspiradas em sua vivência, Inoue também aproveitava a natureza iniciante de Sakuragi para ensinar o leitor como o esporte funciona. Ao longo da história, o autor utilizou explicações de regras básicas, estratégias e até movimentos específicos como recurso narrativo. Aprender com o mangá serve tanto à história quanto ao leitor, que absorve estes conhecimentos também para a vida. Não se pode dizer o mesmo sobre seus companheiros de gênero - Dragon Ball, por exemplo, seria ainda mais legal se fosse possível aprender a se transformar em Super Saiyajin junto com o Goku, não?

Slam Dunk se firmou como um dos maiores mangás de todos os tempos, tendo vendido mais de 157 milhões de cópias no mundo até 2017. Em 2012, o título ficou em segundo lugar em uma pesquisa de popularidade no Japão, superando até mesmo grandes como Dragon Ball e Naruto. O impacto da publicação nos jovens japoneses foi enorme. Ainda que não tenha se tornado o principal esporte do país, o basquete viu sua popularidade crescer de forma imensurável, a ponto de Takehiko Inoue receber uma condecoração pela Associação Japonesa de Basquete por sua contribuição. O maior exemplo desse fenômeno talvez esteja seja J.R Henderson, jogador de basquete que mudou seu nome para J. R Sakuragi ao se naturalizar japonês.

Time de basquete do colégio Shohoku, protagonistas de Slam Dunk
Divulgação/Shonen Jump

O encontro de dois mundos

Ainda que Takehiko Inoue nunca tenha falado abertamente, é possível perceber similaridades entre os Bulls de Jordan e o time de Shohoku em Slam Dunk. Desde as cores do uniforme do time - vermelho com detalhes pretos - até a personalidade de seus principais jogadores, a publicação ecoa também alguns dos valores defendidos pela equipe de Chicago. Arremesso Final retrata não apenas a habilidade quase sobrenatural de MJ, mas especialmente sua competitividade e dedicação, algo que é constantemente defendido no mangá. Enquanto o astro se recusa a perder a ponto de criar atritos com seus colegas de equipe, Slam Dunk tem como um de seus grandes momentos o conselho que o treinador Anzai dá a um de seus jogadores: "nunca abandone as esperanças. O jogo só acaba quando você desiste dele".

Slam Dunk se encontrou com a NBA, e especificamente Michael Jordan, graças ao famoso tênis do jogador. O primeiro aconteceu no mangá, quando Hanamichi Sakuragi busca um calçado para jogar e escolhe justamente o Air Jordan, icônico modelo que ganhou destaque em outras obras da cultura pop como Faça a Coisa Certa e Homem-Aranha no Aranhaverso. A homenagem seria “devolvida” pela Nike em 2014, com o lançamento de um Air Jordan 6 especial de Slam Dunk.

Foto do tênis Air Jordan 6 especial de Slam Dunk
Divulgação/Nike

De formas diferentes, o esporte e a ficção têm o poder de criar lendas, que compartilham feitos de heróis e suas grandiosas vitórias. Michael Jordan vai ser lembrado para sempre por sua habilidade descomunal, que ganhou o respeito de quem veio antes e influenciou quem veio depois. Já em Slam Dunk, Hanamichi Sakuragi e seus companheiros ensinaram um país inteiro não apenas a praticar, mas a amar o basquete. Histórias como essas perpetuam um legado que ultrapassa barreiras e se fazem presentes a cada vez que são passadas para frente - seja em quadras lotadas ou nas páginas um mangá best-seller.

Arremesso Final está disponível na Netflix. Já o mangá de Slam Dunk está em publicação no Brasil pela Panini.