Séries e TV

Artigo

Deuses Americanos | Terceiro episódio apresenta cena mais delicada da trama até agora

"Head Full of Snow" reforça laços entre Shadow e Wednesday

Rafael Gonzaga
16.05.2017
13h00
Atualizada em
29.06.2018
02h43
Atualizada em 29.06.2018 às 02h43

Da última vez que Shadow (Ricky Whittle) foi visto em Deuses Americanos, ele havia acabado de perder o direito pela própria vida em um jogrorte, caos e azar na mitologia eslava. Em "Head Full of Snow", terceiro episódio da trama, finalmente a maré começa a melhorar para o ex prisioneiro ao passo que sua relação com o enigmático Wednesday (Ian McShane) também se torna mais agradável - mesmo que, contrariando as possibilidades, isso aconteça após Shadow ser convencido a participar de um roubo a um banco. Contudo, o grande destaque do episódio foi para a cena de Omid Abtahi Mousa Kraish.

Abtahi interpreta Salim, imigrante recém-chegado nos EUA vindo de Omã, no Oriente Médio, que tenta ganhar a vida como vendedor mesmo as coisas não indo exatamente pelo caminho que ele gostaria. Depois de levar um chá de cadeira e ficar ensopado por uma tempestada, o homem pega um táxi dirigido pelo personagem de Kraish. Após se identificarem como conterrâneos, os dois travam um diálogo sincero, melancólico e afiado sobre as desilusões do american way of life para quem vem de fora. Um dirige o táxi há mais de 30 horas, o outro vê seu dinheiro indo embora enquanto não consegue vender seus produtos.

As coisas mudam de figura quando, em um vislumbre, Salim vê as chamas saindo dos olhos do motorista e o identifica como um jinn, uma criatura sobrenatural da mitologia islâmica - próximo do que a cultura ocidental conhece como gênio. Apesar de deixar claro que não concederia desejos, o jinn aceita o convite de Salim e, após encerrar a corrida, sobe ao quarto do rapaz. É impressionate a vulnerabilidade e, ao mesmo tempo, a resiliência transbordante na interpretação dos dois atores. A sequência seguinte é uma cena de sexo delicada, honesta e crua entre os dois muçulmanos. David Slade realiza um trabalho magistral ao trazer para a TV, sem pudores ou meio-termos (incluindo um nu frontal), o sexo entre dois homens sem fazer dele pornográfico ao mesmo tempo em que é absolutamente érotico. A relação sexual dos personagens fala sobre a necessidade pulsante de afeto, sobre solidão, sobre amor e sobre as cicatrizes que unem até mesmo desconhecidos.

Apesar de ter dito não conceder desejos, o jinn vai embora e deixa para trás seus documentos de identificações, roupas e táxi, para que Salim possa começar uma nova vida na América. Ainda que os dois atores não tenham a menor semelhança, a cena mostra como pessoas de outras etnias conseguem se camuflar nos EUA em função de terem a existência invisibilizada o tempo todo. A cena conversa com um diálogo entre Shadow e Wednesday sobre os diversos tipos de Jesus que surgiram pela demanda dos fiéis - o branco descolado, o africano, o mexicano (que, segundo Wednesday, entrou ilegalmente nos EUA assim como muitos de seus compatriotas).

Aliás, voltando a Shadow e Wednesday, o ex-presidiário tem um encontro com a terceira irmã Zorya, interpretada pela jovem Erika Kaar, que no episódio anterior dormia enquanto suas irmãs recebiam as visitas. Shadow acorda no meio da noite e a encontra no terraço, observando o céu. Em uma sequência de acontecimentos surreais, Zorya Polunochnaya lê a sorte de Shadow, o beija e lhe entrega a lua, que se converte em uma moeda, para o rapaz. A deusa da mitologia eslava pede a ele que tenha cuidado com o novo amuleto místico, já que teve o sol uma vez e o perdeu - uma referência à moeda dourada de Mad Sweeney (Pablo Schreiberque foi parar no túmulo de Laura (Emily Browning).

Shadow consegue uma sobrevida ao convencer Czernobog a uma segunda partida de damas - se o deus, já enfurrujado pelo tempo parado, ganhar, tem a oportunidade de dar uma segunda marretada em sua cabeça caso a primeira falhe, se perder, aceita o convite de Shadow e Wednesday. A sorte do rapaz começa a mudar e, ainda que temporariamente, ele salva a própria vida. Quem vê a sorte virar de cabeça para baixo também é Mad Sweeney, que vai atrás de Shadow quando percebe que entregou sua moeda especial sem querer para o guarda-costas de Wednesday. O leprechaun passa por uma sequência de desventuras que incluem ver o motorista de sua carona ter a cabeça atravessada por um cano de metal solto da parte traseira de um caminhão.

A relação entre Wednesday e Shadow começa a se tornar algo mais sólido nesse episódio, quando o velho deus convence o ex-presidiário a ajudá-lo em nada menos que um roubo a banco. O momento é importante para que Shadow passe a confiar mais no novo tutor e a desconfiar dos seus próprios conceitos de realidade e fantasia - algo necessário para não sucumbir à loucura mediante o atropelamento de acontecimentos surreais a sua volta. Ian McShane domina novamente todas as cenas em que aparece com diálogos certeiros e com uma presença marcante. Ao convencer Shadow de que ele pode fazer nevar - o motivo do "Head Full of Snow" do título - Wednesday abre uma nova fase da série, onde o rapaz começa a recobrar sua autoconfiança ao passo que diminui a resistência ao acaso. Resta saber se seu psicológico está fortalecido o suficiente para lidar com Laura, que volta dos mortos nos segundos finais do capítulo. 

Deuses Americanos é exibido no Brasil pelo serviço de streaming Amazon Prime e o próximo episódio estará disponível em 22 de maio.

Assista no Prime Video

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados para as finalidades ali constantes.