Janus Rasmussen, do Kiasmos, lança 1º clipe de debut solo, "Green Wine"

Créditos da imagem: Jeaneen Lund

Música

Entrevista

Janus Rasmussen, do Kiasmos, lança 1º clipe de debut solo, "Green Wine"

Estreia mundial: músico dinamarquês revela single exclusivamente no Omelete

Jacídio Junior
06.02.2019
14h22

Janus Rasmussen é uma das mentes responsáveis por criar a sonoridade marcante do Kiasmos (projeto que conta também com Ólafur Arnalds) e responsável por entregar algumas das faixas mais emotivas e climáticas da música eletrônica.

Com essa carta na manga, Rasmussen libera hoje, com exclusividade no Omelete, o clipe de “Green Wine”, primeiro single de Vin, sua estreia como artista solo. Em nota à imprensa, o músico comenta que o vídeo apresenta como referência a lenda das sereias das Ilhas Faroe, território dinamarquês, localizado ao norte do Reino Unido, e apresenta a estética do jogo de sombras chinês. Veja abaixo:

“Green Wine” abre caminho para o lançamento do álbum Vin, que acontece no dia 08 de março e, de acordo com Rasmussen (em entrevista exclusiva para o Omelete), apresenta músicas que soam “um pouco mais brutas e não tão bonitas quanto as faixas que escrevo para o Kiasmos”.

O processo de criação de Vin foi realizado durante o período de um ano, em um estúdio de Reykjavík (capital da Islândia), e sobre isso o músico comenta que escreveu muitas faixas para só depois escolher as doze que funcionassem melhor juntas e em sequência para compor um álbum.

“Quando penso na música do Kiasmos e na minha música, eu acredito que existem muitas coisas parecidas e também diferentes. Eu costumo ser mais espontâneo quando trabalho nas minhas faixas. Eu amo aquela faísca criativa que acontece quando uma música nova está nascendo. Existe algo fascinante nesse momento e eu tento não ir muito longe dessa sensação à medida que a faixa progride”, confessa.

E claro, apesar de toda a gama sonora e quase sinestésica que Rasmussem coloca em seus trabalhos, e agora com uma apelo de proximidade ainda maior, como ele acredita que sua sonoridade se relaciona com a música e os sons do Brasil?

A resposta é categórica: “Minha música é guiada demais pelos beats e eu acredito que a música brasileira também é. Parece que as pessoas do Brasil nascem com um senso natural de ritmo e dança, algo que é muito revigorante pra mim, já que as pessoas nórdicas são conhecidas por serem super rígidas e não propensas a dançar, a menos que estejam muito intoxicadas, haha”.

Fechando a conversa, Rasmussem aproveita para fazer um pedido: “Eu realmente espero tocar no Brasil em breve. Por favor, me contratem e vamos dançar juntos”.

Enquanto esse dia não chega, já é possível reservar Vin em pré-venda por aqui.