Illusionize comemora 10 anos de carreira com X, um álbum de novos caminhos

Créditos da imagem: Alechandre Palermo/Divulgação

Música

Entrevista

Illusionize comemora 10 anos de carreira com X, um álbum de novos caminhos

Produtor brasileiro comenta sobre as surpresas de seu novo disco, 10 anos de carreira, e os próximos passos rumo ao mercado global

Jacídio Junior
22.02.2019
12h11

Illusionize (Pedro Mendes) é, sem dúvida, um dos principais nomes da cena eletrônica nacional. Criador de faixas marcantes e sets cheios de energia, o jovem goiano lançou recentemente o álbum X, disco que comemora seus dez anos de carreira.

Em conversa exclusiva com o Omelete, Illusionize falou sobre o álbum, as ideias por trás do projeto e como foi colocar na pista um disco inédito menos de um ano depois da divulgação de Brotherhood.

De entrada, vale ressaltar que X - o terceiro projeto de inéditas de Illusionize - não estava nos planos do artista até ele perceber que já tinha quase uma década de vida na estrada.

"Eu não ia soltar um álbum esse ano já que eu tinha acabado de lançar Brotherhood, mas aí percebi que iria completar dez anos de carreira e quis fazer algo especial. Porém, depois desse processo, eu acabei percebendo que posso lançar um álbum por ano, se eu quiser", destaca.

Mas como um DJ, com a rotina intensa de um profissional da música, consegue ter tempo para produzir tantas faixas novas em um período tão curto?

Pedro afirma que o processo começou durante a divulgação do disco anterior e que para que as coisas aconteçam dentro do esperado ele tem uma rotina de produção bem intensa nos períodos em que não está em turnê:

"Quando consigo ficar em casa, eu acordo de manhãzinha, faço café e fico no estúdio até mais tarde. Basicamente funciona assim: Levantar, café da manhã, estúdio, sai do estúdio, volta pro estúdio, vai pra casa, assiste um filme e dorme".

Dez anos, dez faixas: Como aconteceu a seleção musical de X

A tracklist de X é uma mistura de ideias antigas e ideias novas. Pedro conta que duas faixas já estavam com ele há algum tempo e outras oito foram criadas no decorrer de 2018 para contar a história do projeto. "'Here we go', pro exemplo, já estava no meu computador há uns quatro anos. Com ela rolou assim: eu estava em uma viagem e de repente ela surgiu na minha cabeça, então voltei a trabalhar a faixa e finalizei. 'What’s Up', já tinha dois anos no meu computador, fiz ela antes de mudar de Goiânia e finalizei ano passado".

Outro detalhe interessante sobre X foi o processo de divulgação. O DJ, antes de anunciar que iria lançar um novo álbum, liberou quatro singles, sem nenhum tipo de informação prévia, mas que eram ligados por suas capas que ao final (quando unidos) mostram a arte gráfica do disco - um X no universo -.

"Desde o início da divulgação eu já tinha a ideia de montar um quebra-cabeça, cada single com uma perna do X. Ninguém entendeu o conceito até o lançamento do terceiro single, quando começou a surgir os comentários sobre o possível significado das capas. Foi bom ver as pessoas pegando isso no ar", comenta.

Mas afinal de contas, como rolou a ideia de uma capa pintada a mão? Sobre esse quesito, Pedro comenta que a ideia surgiu de supetão. Assim que entendeu como queria a arte para o disco, o DJ partiu para a execução em parceria com seu amigo e manager, Renan Tavares. Foram várias tentativas no computador até Pedro lembrar que Renan sabe pintar. A partir daí, os dois conversaram sobre o conceito, Renan deu algumas dicas sobre as técnicas de pintura e Pedro partiu para a criação.

Com tudo isso em perspectiva, vale destacar que X conta com algumas surpresas que estão na capa e além dela.

"A capa do vinil, por exemplo, quando colocada contra a luz negra, permite ver o universo”, e segue, “já na tracklist, a partir da quinta faixa, os nomes das músicas formam frases, mas eu vou deixar as pessoas quebrarem a cabeça com essa". Veja a capa:

10 anos de música: Evolução sem perder a essência

É praxe para quase todo artista, quando alcança um certo tempo de estrada, parar para refletir sobre os caminhos que tomou e como isso pode influenciar seus próximos passos.

Com Pedro não seria diferente. O fato de ter trabalhado algumas músicas que já estavam guardadas há algum tempo fez com que ele pudesse refletir sobre a carreira e enxergar em perspectiva a 1ª música que criou em relação as suas faixas mais recentes, algo que o fez concluir dois pontos interessantes: "A evolução musical desse período é nítida, mas a essência continua a mesma. E é isso que eu valorizo e quero continuar fazendo por muito tempo".

Conjuntamente com essa evolução, o DJ também faz questão de destacar que esse período de trabalho rendeu os melhores anos de sua vida e arremata:

"Lá atrás, eu só queria tocar música, mas quando eu percebi que poderia realmente tocar a vida das pessoas com isso que eu faço, eu realmente parei e falei: ‘Agora vou fazer isso com responsabilidade’. Essa é minha vida agora, levar uma mensagem, e é o que eu quero fazer até o final da vida".

Os passos para ser um artista global

Para 2019, além da comemoração dos dez anos de carreira, Pedro também pretende levar o nome Illusionize para outros lugares do mundo. O DJ já realizou alguns shows em outros países, mas o processo deve se intensificar ainda mais nos próximos meses. Porém, será que abrir esse caminho muda algo na maneira como ele cria suas faixas?

Ele responde com um categórico não e segue: "Geralmente, não penso dessa forma, focado em um público. Geralmente ouço a música e falo: ‘Nossa, mano, essa aqui é legal’. Eu vou sempre pelo que eu tô sentindo. Em todos os lugares que eu já fui, eu sempre toco da mesma forma que toco no Brasil, então eu percebo que independente do lugar, a música é sempre música. E as pessoas estão ali para ouvir. E é isso que eu preso, aqui no Brasil ou em qualquer lugar do planeta".

Com tudo isso em destaque, Pedro/Illusionize encerra a conversa atiçando a curiosidade dos fãs, já que - mesmo ainda no início da divulgação de X  - ele conta que tem outro grande lançamento na manga para acontecer ainda no primeiro semestre por uma respeitada gravadora internacional. "É uma das melhores faixas que eu já fiz na minha vida e vai sair por uma gravadora muito importante pra mim", arremata.

Porém, enquanto o momento não chega, você pode ouvir X abaixo.