Música

Lista

Grammy 2019 | As performances da noite, de pior a melhor

De Red Hot Chili Peppers a Lady Gaga, Dua Lipa e St. Vincent

Julia Sabbaga
11.02.2019
13h11
Atualizada em
12.02.2019
16h59
Atualizada em 12.02.2019 às 16h59

O 61º Grammy aconteceu no último domingo, dia 10, e foi marcado por uma noite de diversidade, com a Academia fazendo um esforço real a amenizar as críticas tradicionais da falta da presença feminina e vencedores negros. Talvez por isso, a cerimônia trouxe performances predominantemente femininas, com nomes do mais puro pop até o country e o R&B. 

Relembre abaixo as melhores performances da noite, da pior a melhor. 

Red Hot Chili Peppers e Post Malone

Red Hot Chili Peppers e Post Malone talvez tivessem feito ótimas performances separadamente, mas a parceria improvável rendeu um dos momentos mais esquisitos do Grammy. Enquanto a apresentação de Post Malone não trouxe nada de novo, e ainda sentiu a ausência de 21 Savage, preso na imigração dos EUA, o Red Hot Chili Peppers aproveitou o momento para cantar uma versão reduzida de "Dark Necessities", um single que já tem 3 anos de idade. 

Dan + Shay

Os vencedores de melhor performance country em duo, Dan + Shay subiram ao palco para apresentar a faixa vencedora, "Tequila". A dupla foi carismática e agradeceu a honra, mas sofreu com a já longa cerimônia do Grammy que se prolongava ainda mais. A faixa ganhou uma apresentação quase só vocal, e apesar do poder de cada um, não segurou os ânimos. 

Travis Scott

Travis Scott começou a performance com James BlakePhilip Bailey em "Stop Trying To Be Good", e ficou um mistério de como isso se desenvolveria para uma apresentação do rapper de Astroworld. Mas a apresentação foi apenas uma introdução para a aparição de Scott, que surgiu em uma jaula e elevou a performance a outro nível quando saiu e se juntou a galera. Travis Scott fez sua parte muito bem, mas a apresentação em geral sofreu com uma falta de ritmo. 

Shawn Mendes e Miley Cyrus

A apresentação de Shawn Mendes e Miley Cyrus prometia entregar tudo aos fãs do pop, mas acabou se apagando na noite. Mendes começou sozinho tocando "In My Blood" e a apresentação ia morna, e quando Cyrus apareceu parecia que seu vozeirão salvaria o momento. No fim das contas a performance pareceu mais uma competição vocal sem muita harmonia ou carisma, por mais que o show de luzes tenha se esforçado para fazer o show parecer maior. 

Chloe X Halle

A dupla de irmãs Chloe X Halle também surpreendeu na noite com uma performance de "Where Is The Love", de Donnie Hathaway. O poderoso vocal e a harmonia das dois estava perfeita, mas não salvou a performance de um arranjo inesperado para uma música de soul. 

Kacey Musgraves

A vencedora do álbum do ano, Kacey Musgraves apresentou uma performance intimista de "Rainbow", que se apoiou em um piano e em seu delicado vocal para marcar a noite. A cantora apostou em ir contra a ideia de que as performances do Grammy precisam ser gigantescas e até ganhou peso por isso, mas no fim das contas também não empolgou.

H.E.R

H.E.R foi o maior nome do R&B do ano, e entregou uma performance certeira do seu single "Hard Place". A faixa começou lenta e só aumentou com seu progresso, e terminou com a cantora tocando a guitarra e empolgando o público inteiro com palmas e gritos. 

Brandi Carlile

Brandi Carlile cantou a sua faixa indicada a melhor música e gravação, "The Joke", e deixou todo mundo pasmo com sua capacidade vocal. A letra cortante da música combinou perfeitamente e o alcance vocal da cantora folk e country e foi mais do que o suficiente para surpreender a todos. 

Tributo a Dolly Parton

A melhor parte do tributo a Dolly Parton é que a própria cantora roubou os holofotes da coleção de cantoras que se reuniu para homenagea-la. Apesar de hits lendários e vocais exemplares de Katy Perry, Kacey Musgraves e Miley Cyrus, os melhores momentos da apresentação aconteceram quando Parton cantava sozinha, e carregava o palco como ninguém. 

A abertura

Camila Cabello marcou a noite como a primeira latina a ficar responsável pela abertura do Grammy, e fez isso muito bem e com as melhores companhias. A cantora chamou Ricky Martin, J BalvinArturo Sandoval para uma apresentação totalmente latina, que ficará como um dos registros de uma noite de diversidade na premiação. 

Tributo à Aretha Franklin

Os três vocais gigantescos de Yolanda Adams, Fantasia e Andra Day ficaram responsáveis pela homenagem à Aretha Franklin, a falecida e eterna Rainha do Soul. A apresentação de "(You Make Me Feel Like) A Natural Woman" foi simplesmente perfeita e recebeu ovação dos presentes.

Jennifer Lopez

O Grammy recebeu diversas críticas por escolher Jennifer Lopez para o tributo aos 60 anos da Motown, gravadora conhecida por lançar o trabalho de diversos artistas negros nos EUA. Mas a performance da cantora foi explosiva, e passou por hits como "Please Mr. Postman", "The Best Things in Life Are Free" e ainda contou com uma participação de Smokey Robinson para "My Girl".

Cardi B

Cardi B fez história no Grammy ao se tornar a primeira mulher a ganhar o prêmio de melhor álbum de rap, por Invasion Of Privacy. Mas antes de receber o prêmio, a rapper já tinha deixado o público boquiaberto como a performance grandiosa de "Money", seu novo single. A cantora levou muita dança e fantasias ao palco, e acabou absoluta, com um traje de pavoa.  

Alicia Keys

A apresentadora da noite não realmente se inclui entre as performances do Grammy, mas Alicia Keys deu um show com dois pianos que merece ser relembrada. A cantora fez um medley de hits de diferentes épocas, desde "Killing Me Softly", de Roberta Flack, até "Use Somebody", do Kings Of Leon. Keys definitivamente foi um destaque da noite, e seu maior momento esbanjou tanto talento quanto carisma. 

Lady Gaga

Lady Gaga conseguiu dar uma refrescada no hit "Shallow" durante o Grammy, quando a sua performance foi menos Nasce Uma Estrela e mais "Bad Romance". A cantora apresentou a faixa com uma apresentação muito mais Lady Gaga do que Ally - sua personagem no filme. Toda a postura de rockstar um outro toque à já grandiosa faixa. 

Dua Lipa e St. Vincent

A parceria de Dua Lipa e St. Vincent no palco do Grammy era um mistério que ninguém sabia o que esperar. Mas a performance de "Masseduction" e "One Kiss" combinou tão bem, e a química e o vozeirão das duas funcionou perfeitamente, que o dueto acabou como um dos melhores momentos da noite. 

Janelle Monaé

Janelle Monaé saiu de mãos vazias do Grammy apesar do aclamado álbum Dirty Computer ter recebido duas indicações. Mesmo assim, a cantora pode sair com sensação de dever cumprido ao ter entregado uma das performances mais memoráveis do Grammy, com direito a guitarra e moonwalk. Monaé apresentou o single "Make Me Feel" mas envolveu a canção com mensagens de auto-afirmação e protesto, que passou por faixas como "Pynk" e "Django Jane".