Ariana Grande – Thank U, Next

Música

Crítica

Ariana Grande – Thank U, Next

Ariana Grande lida com dores mas se permite ser feliz em álbum certeiro

Julia Sabbaga
08.02.2019
10h24

Ninguém poderia ter adivinhado os próximos passos de Ariana Grande depois que ela lançou o seu quarto álbum, Sweetener (leia a crítica), em agosto do ano passado. O seu primeiro disco após o atentado de Manchester tratou destas e de outras dores, principalmente de relacionamentos, e enquanto ele trouxe a popstar de volta aos holofotes por sua razão primordial, a música, Ariana continuava marcando manchetes mais por suas escolhas amorosas do que sua profissão. Mas tudo mudou em novembro, quando ela lançou a faixa "Thank U, Next", a resposta perfeita aos que acham que sabem de tudo que se passa na cabeça alheia (leia mais). 

O hit explodiu mais do que seu álbum anterior e Ariana se viu em um território muito mais fértil. Pode ser que ela tenha se inspirado mais fortemente nos amores do passado, pode ser que ela tenha percebido o resultado positivo de ser absolutamente genuína. Seja o que foi que passou em sua cabeça para, menos de 6 meses depois, lançar um outro álbum, a decisão do disco Thank U, Next foi certeira. O novo trabalho traz a cantora sem nenhuma parceria e em uma sequência de músicas que parecem refletir perfeitamente a alma de uma jovem cantora, amadurecida e independente, mas ainda superando dores.

Thank U, Next é perfeitamente consistente. Mais do que Sweetener, ele cria uma sequência de faixas que focam mais no potencial de R&B envolto em batidas pop da cantora, e não procurou criar faixas melódicas mais dramáticas. Thank U, Next é leve e não se assemelha em nada com o antecessor, provando que, apesar na proximidade, o novo álbum não é uma coleção de sobras. As músicas soam frescas e consolidam o estilo único de Ariana Grande dentre as estrelas do pop. Sua sonoridade é peculiar, e nunca soou tão bem resolvida.

Se "Thank U, Next" e "7 Rings" já provaram a capacidade commercial de Ariana mais que nunca – como seus dois primeiros topos de parada da carreira – os potenciais hits do disco não param por aí. A ótima "Break Up With Your Girlfriend, I’m Bored", o ritmo de "Bloodline" e a contagiante "Make Up" são sucessos esperando para acontecer. E por mais que os hits permeiem Thank U, Next, seu brilho principal está em sua sinceridade. As letras refletem um desejo de positividade e ao mesmo tempo uma tristeza permanente. "Fake Smile", faixa que remete à Lily Allen no título e no arranjo, deixa isso claro, mas nenhuma música faz isso melhor que "Ghostin’". Nela, Ariana canta como se houvesse outra pessoa ao seu lado, mas ainda chorando pela morte de seu ex-namorado. A perspectiva curiosa para cantar as tristezas da perda é a maior qualidade da faixa; enquanto ela se mostra vulnerável, ela não tem medo de mostrar a vontade de seguir em frente. "Ghostin’" também é uma das únicas faixas do álbum que Ariana enfatizou seu poder vocal, o que acrescenta ainda mais à sua força.

Thank U, Next foi o movimento perfeito na carreira de Ariana Grande agora. O trabalho representa algo como uma sessão de terapia musicada, onde ela tirou proveito da inspiração de suas dores sem perder personalidade ou soar constrangida. Ao mesmo tempo que Ariana consegue refletir sua melancolia, ela não economiza nem luxúria nem empoderamento, soando livre para ser ela mesma, sem remorso.

Nota do Crítico
Ótimo