Chris Cornell no palco

Créditos da imagem: RICK DIAMOND / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / Getty Images via AFP

Música

Lista

Chris Cornell | Conheça fatos que marcaram a carreira do artista

Morte dos músico completa 3 anos

Jacídio Junior
18.05.2020
12h03
Atualizada em
18.05.2020
12h14
Atualizada em 18.05.2020 às 12h14

A morte de Chris Cornell, uma das principais vozes do grunge e do rock mundial, completa 3 anos em 2020. O artista, conhecido por sua voz marcante e por realizar diversos projetos importantes para a música nos últimos 30 anos, estava em plena atividade em 2017, quando foi encontrado morto em um quarto de hotel em Detroit.

Para celebrar a vida e o talento de Cornell, separamos abaixo alguns fatos marcantes de sua carreira. 

Temple of The Dog

Cornell foi o responsável pelos vocais do projeto Temple of The Dog, supergrupo grunge que surgiu como um tributo a Andrew Wood, vocalista do Malfunkshun e do Mother Love Bone. O único disco lançado pelo projeto, além de prestar a homenagem  e unir um time de peso do grunge, também apresentou Eddie Vedder ao mundo.

Retorno do Temple of The Dog

Chris Cornell e o retorno do Temple of The Dog
Reprodução

O Temple of The Dog sempre carregou uma áurea especial, principalmente por nunca ter excursionado após o lançamento de seu único disco. No entanto, em 2016, o grupo realizou seus primeiros shows e também divulgou música inédita. Antes de sua morte, Cornell chegou a comentar sobre a continuidade do projeto.

Soundgarden

Chris Cornell com o Soundgarden
Ross Halfin

O Soundgarden foi um dos principais pilares do movimento grunge. Surgida em Seattle em 1984, o grupo que contava com Chris Cornell nos vocais, tinha como destaque uma variedade sonora mais ampla do que as bandas contemporâneas. O grupo trabalhou ininterruptamente entre 1984 e 1997, quando entraram em hiato, retornando em 2010 e lançando, em 2012, o álbum com músicas inéditas, King Animal.

Cornell quase não integrou o Audioslave

Cornell quase ficou fora do Audioslave
Divulgação

O Audioslave surgiu da união de artistas agenciados por pessoas e gravadoras diferentes. Isso fez com que o processo de criação da banda não fosse simples. Em março de 2002, pouco tempo depois do grupo anunciar seus primeiros shows, Cornell comunicou que estava fora do grupo. No entanto, pouco tempo após disso, ele retornou e fez parte de um dos projetos mais bem-sucedidos dos anos 2000.

Padrinho de Eddie Vedder

Chris Cornell e Eddie Vedder
YouTube/Reprodução

Jeff Ament e Mike McCready, integrantes do Pearl Jam e do Temple of The Dog, comentaram que enquanto as sessões do Temple of The Dog eram gravadas, Eddie Vedder estava no estúdio. Então em determinando momento, Cornell sugeriu que Vedder cantasse uma parte de "Hunger Strike". Antes disso, quando Vedder chegou à cidade, Chris também levou Vedder para beber e deu sua benção para o novato de San Diego.

Audioslave

Chris Cornell e Audioslave
Divulgação

Mantendo a sua sina de integrar supergrupos, Cornell também foi vocalista do Audioslave. O grupo que contava com três quartos do Rage Against the Machine rendeu três discos que uniam o peso sonoro a uma pegada radiofônica e foi muito elogiado durante o período em que se mateve ativo, entre 2001 e 2017.

Carreira solo

Chris Cornell Solo
RICK DIAMOND / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / Getty Images via AFP

Cornell além dos projetos de sucesso, também lançou seis discos solo. Seus discos surpreendem justamente por buscar sonoridades que não necessariamente conversam com seus grupos e suas músicas mais famosas. Seu primeiro disco solo, Euphoria Morning, foi lançado em 99 e o último, Higher Truth, em 2015.