Capitã Marvel | A carreira musical de Brie Larson antes da fama

Música

Artigo

Capitã Marvel | A carreira musical de Brie Larson antes da fama

Antes de ganhar Oscar e de ser a heroína mais poderosa do mundo, a atriz tentou a vida como cantora

Julia Sabbaga
18.09.2018
15h36
Atualizada em
13.03.2019
13h57
Atualizada em 13.03.2019 às 13h57

Com o lançamento de Capitã Marvel, fãs do MCU que se deslumbraram com Brie Larson no papel da primeira heroína da Marvel com um filme solo vão atrás dos projetos anteriores da atriz. E enquanto o mundo revira sua carrreira, e relembra Larson de papeis em O Quarto de JackTemporário 12 e Scott Pilgrim Contra o Mundo, tem um elemento no currículo da atriz que não é todo mundo que gosta de lembrar. A sua carreira musical.

Lá atrás, antes de estourar em Hollywood e eventualmente ganhar o Oscar, Brie Larson apareceu em papeis menores na TV, que incluíram uma esquete no programa de Jay Leno e na série Raising Dad, e algumas pontas em filme, como De Repente 30. Mas a batalha de Larson para conseguir um papel de relevância foi duro, algo que ela sempre relembra em entrevistas [via THR]: "Eu não era bonita o suficiente para ser a garota popular, nem esquisita o suficiente para ser a garota esquisita, então eu nunca encaixei. Eu chegava perto, mas nunca em algum lugar, e era realmente doído".

O pontapé que levou à sua carreira musical foi exatamente isso. Sua maior desilusão na atuação aconteceu em 2003, quando teve a chance de fazer o teste para Peter Pan de 2003, como a personagem de Wendy [via Daily Beast]: "Meu maior desgosto foi no remake de Peter Pan. Eu queria tanto ser a Wendy, e eu fiz testes por meses e meses e não consegui". Depois da frustração, Larson escreveu a música "Invisible Girl", onde ela depositou sua frustração por não conseguir deixar uma impressão marcante em testes. A atriz começou a publicar músicas em seu MySpace e pouco tempo depois "Invisible Girl" ganhou um espaço nas rádios. Caminhando bem mais rápido do que sua carreira nas telas, Larson recebeu um convite para gravar um álbum pela gravadora Casablanca Records, que na época tinha só uma outra cliente: Lindsay Lohan. Envolta em uma embalagem pop bem questionável, Brie Larson aparece no clipe de “She Said”, abaixo, com aquele visual característico de 2005:

Larson lançou o seu primeiro – e único – álbum em 2005, Finally Out Of P.E. O disco trazia 13 faixas, cinco das quais registram crédito à Brie como compositora, e “Invisible Girl” é, possivelmente, a melhor delas. Mas apesar do clipe de "She Said" ter gerado algum buzz na época, e da cantora ter saído em turnê com Jesse McCartney para promover o álbum, o lançamento acabou como outra frustração. O disco vendeu pouco menos de 4 mil cópias e a gravadora perdeu o interesse em promover mais amplamente o trabalho de Larson. Apesar de ter prometido aos fãs que viria a lançar um novo disco, a carreira musical autoral da atriz parou por aí, pelo menos até hoje.

Claro que tudo é questão de opinião, e existem pessoas que podem se deleitar no som de Finally Out Of P.E. Mas antes que alguém ache que brincar com a carreira de Larson é hate gratuito, deixemos claro que nem a própria artista gosta de lembrar de seu passado musical. Questionada pelo The Daily Beast sobre por que ela se contorce ao falar disso, ela respondeu: "Porque é ruim! Eu queria que não existisse. Não é necessariamente vergonhoso, eu só não me vejo naquilo. Foi outra época, e a maioria das coisas que você encontra na internet não foi minha ideia, ou algo que eu gostaria de ter feito". 

Felizmente, a carreira como atriz deslanchou e os dons musicais de Larson serviram para algo maior. Anos mais tarde, em 2010, ela dominou o palco em uma das melhores cenas de Scott Pilgrim Contra o Mundo. No filme, ela interpreta a vocalista de uma banda, The Clash at Demonhead, e em seu show canta e dança na estilosa faixa "Black Sheep". Confira:

Agora que Brie Larson está rapidamente em uma jornada de dominar o mundo, é divertido olhar para trás e brincar com as bizarrices de sua carreira musical. E para quem está se sentindo nostálgico, Finally Out Of P.E também serve para relembrar aquela época de MySpace e o auge do pop adolescente:

 

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados para as finalidades ali constantes.