Música

Lista

Além de Justin Timberlake: Os melhores videoclipes de Mark Romanek

Repassamos os destaques da carreira do influente diretor de vídeos de Madonna e NIN

Marcelo Hessel
05.01.2018
17h44
Atualizada em
06.01.2018
18h02
Atualizada em 06.01.2018 às 18h02

Ao mesmo tempo em que refaz sua parceria com Justin Timberlake, iniciada em "Can't Stop the Feeling", o diretor Mark Romanek retorna no vídeo de "Filthy" ao mundo dos videoclipes, que ele frequente esporadicamente e de onde saiu para dirigir longas como Retratos de uma Obsessão e Não me Abandone Jamais. Ao longo dos anos 1990, Romanek ajudou a definir uma estética clean, industrial e futurista que marcou clipes do período (e volta agora de certa forma em "Filthy"). Na galeria abaixo, veja os principais:

6 - "Rain"

O videoclipe de 1993 é famoso por apresentar a nova persona de Madonna no período, com o cabelo preto curto e postura fria, num projeto de androginia que negava o apelo sadomasoquista que marcou o início da divulgação do álbum Erotica (do qual "Rain" faz parte e que veio acompanhado do livro SEX e do filme Corpo em Evidência na cobertura da mídia na época). A elogiada direção de fotografia é de Harris Savides, que depois se consagraria em filmes de James Gray, Gus van Sant e David Fincher. Assista ao clipe.

5 - "Closer"

A parceria reiterada de Mark Romanek com a banda Nine Inch Nails definiu e catapultou a carreira do diretor, a partir de "Closer", de 1994. Criticado na época por seu teor supostamente macabro, o vídeo ajudou a pautar boa parte da estética que se imporia no audiovisual americano na segunda metade da década, de Clube da Luta a Matrix, e influenciaria a música e o visual de artistas como Prodigy e Marilyn Manson. Assim como o vídeo de "Bedtime Story", o clipe de "Closer" de Romanek integra a coleção permanente do MoMA. Assista ao clipe.

4 - "Scream"

Habituado a trabalhar com diretores notáveis em seus videoclipes, cheios de conceitos, Michael Jackson se associou a Romanek no premiado clipe espacial de "Scream", um dos muito clipes de túnel de vento do período, uma mania noventista. Por "Scream", que custou expressivos US$7 milhões para ser feito em 1996, Romanek ganhou seu primeiro Grammy (ele ganharia em 1998 outro com Janet Jackson, a irmã de Michael que colabora em "Scream"). Assista ao clipe.

3 - "Devil's Haircut"

Embora não seja uma superprodução (como o clipe de "Cochise" que Romanek gravou para o Audioslave gastando o que podia em fogos de artifício), o vídeo de "Devil's Haircut" marcou o auge da carreira de Beck e tinha vários cacoetes de fotografia e edição que seriam marcas do cinema independente "cool" da época, de filmes como Trainspotting. Não por acaso, "Devil's Haircut" ganhou o VMA de melhor montagem em 1997. Assista ao clipe.

2 - "Criminal"

Embora a carreira de Fiona Apple seja bastante sólida entre crítica e fãs, sua imagem no mainstream ficou marcada pelo premiado vídeo de "Criminal": a da cantora ao mesmo tempo lânguida e sensual, que Romanek filma sempre em fuga, com movimentos laterais de câmera e emulando luz noturna. Assim como no caso de "Rain", a fotografia é de Harris Savides (premiada no VMA de 1998), e a estética de "Criminal" também afetou o cinema indie americano feito no fim do milênio e no começo dos anos 2000. Assista ao clipe.

1 - "Hurt"

Não é uma colaboração com o Nine Inch Nails - pelo menos não pela via tradicional. Quando Johnny Cash lançou o aclamado álbum de covers American IV: The Man Comes Around, a faixa mais celebrada era "Hurt", uma cover de NIN, e Romanek dirigiu um videoclipe (premiado com um Grammy) à altura do sentimento de elegia que a interpretação de Cash transmitia. Assista ao clipe.