Música

Notícia

A volta do <i>Noites cariocas</i>

A volta do <i>Noites cariocas</i>

Tatiana Tavares
08.01.2004
00h00
Atualizada em
21.12.2016
20h01
Atualizada em 21.12.2016 às 20h01

O Rio de Janeiro está em festa!

Reabre neste fim de semana o Noites Cariocas, no Morro da Urca. A casa de shows foi um dos lugares mais badalados da década de 80 e volta à ativa pelas mãos do empresário Alexandre Acioly. Tocaram por lá megabandas da época, como Paralamas do Sucesso, Barão vermelho e Blitz, todas no auge de suas carreiras. A direção musical ficará a cargo de Luiz André Calainho, que já foi diretor artístico da Sony Music e contará com a consultoria de Nelson Motta, que exercia a função nos áureos tempos da casa.

Ao invés das quatro mil pessoas que lotavam o Noites Cariocas na sua época áurea, provocando filas quilométricas para pegar o bondinho, agora só haverá mil e oitocentos lugares. O objetivo é garantir maior conforto ao público e evitar o drible na segurança, afinal era comum tentar chegar lá em cima se embrenhando pelas trilhas para não precisar pagar ingresso. Segundo Acioly, a idéia da nova casa, que vai ganhar o nome de Oi Noites Cariocas - exigência do patrocinador - é agradar a geração que a frequentava na década de 1980 e não ao público teen.

O engraçado no entanto é que a programação de janeiro não parece acompanhar esta idéia. Sexta-feira, dia 9, o Cidade Negra sobe ao palco e no sábado é a vez de Frejat. Nas próximas semanas, Paralamas do Sucesso, Skank e Lobão são atrações confirmadas. É certo que todos até podem agradar à geração trintona, quarentona, mas seu apelo teen também é inegável.

A casa vai funcionar durante todo o mês de janeiro como um período de experiência, só reabrindo por volta de maio. Os ingresos vão custar R$ 45.

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados para as finalidades ali constantes.