Capitã Marvel | A origem, o passado polêmico e o renascimento da heroína

Filmes

Lista

Capitã Marvel | A origem, o passado polêmico e o renascimento da heroína

Passamos por todas as fases de Carol Danvers nos quadrinhos até a sua chegada aos cinemas

Natália Bridi
09.03.2019
18h11
Atualizada em
09.03.2019
18h35
Atualizada em 09.03.2019 às 18h35

Com a chegada de Capitã Marvel nos cinemas, o Omelete preparou um especial para relembrar a história de uma personagem que apesar da longevidade - são mais de 50 anos de Carol Danvers nos quadrinhos -, está há pouco tempo em destaque nas HQs. Foram diversas identidades, fases e polêmicas em torno da personagem até a heroína finalmente se tornar a Capitã Marvel. A seguir, falamos mais sobre cada um desses momentos.

A Origem: como o interesse amoroso de Mar-Vell se tornou uma heroína

Carol Danvers aparece pela primeira vez em 1968 na revista Marvel Super-Heroes Número 13, que foi escrita por Roy Thomas e desenhada por Gene Colan. Ela é Chefe de Segurança de uma base da NASA e seu caminho se cruza com o do oficial Kree Mar-Vell,  que chegou à Terra e assumiu a identidade do recém-falecido Dr. Walter Lawson para se misturar aos humanos e monitorar se o planeta representava alguma ameaça ao império Kree. Quando o herói ganha a sua própria revista, Carol Danvers continua aparecendo regularmente. Apesar de moderna na sua concepção, afinal ela tem um trabalho que antes era considerado masculino, a personagem acaba sendo constantemente resgatada pelo Capitão Marvel e se torna um dos seus interesses amorosos.

Depois de anos longe das HQs, ela ressurge em 1977, quando a Marvel decidiu que precisava de uma personagem chamada Ms. Marvel para entrar nas discussões dos movimentos de liberação feminina da década de 70. Como a personagem teria esse nome, o roteirista e editor Gerry Conway decidiu que ela deveria ter relação com o Capitão Marvel e lembrou de Carol Danvers. O quadrinista aproveitou os eventos da última aparição da personagem nas histórias de Mar-Vell, quando ela é pega na explosão do Psyche-Magnetron, e conferiu a explicação de que a máquina - que permite manipulação de matéria para criar objetos e também é capaz de mudar a estrutura genética de um corpo - teria misturado o seu DNA humano com o do Kree Capitão Marvel, dando então origem aos seus poderes - saiba mais no vídeo acima. 

Polêmias e versões: os altos e baixos da Ms Marvel

A Capitã Marvel é hoje uma das heroínas mais poderosas da Marvel, mas nem sempre foi assim. Carol Danvers sofreu com alguns acidentes de percurso e histórias mal contadas até dar a volta por cima de vez em 2012, quando Kelly Sue DeConnick assumiu suas histórias. Na Vingadores #200, de outubro de 1980, Ms Marvel teve o seu pior momento quando uma bizarra gravidez relâmpago deu início a um arco triste das HQs. O editor-chefe Jim Shooter e o roteirista David Micheline acreditavam que estavam criando uma história sobre maternidade ao fazer um ser de outra dimensão, Marcus, engravidar à força Carol Danvers (usando máquinas de manipulação mental) para renascer na Terra. Para piorar a história em que mãe e filho são também amantes, o restante dos Vingadores sequer se preocupa com o estado mental da sua colega, primeiro preocupando-se apenas com a criança que estava para nascer e depois em desejar felicidades aos casal que partia para outra dimensão.

Coube a Chris Claremont a questionar essa história na Vingadores Anual #10, de 1981, quando Carol Danvers retorna da dimensão de Marcus e confronta o descaso dos Vingadores. Ela então rompe com o grupo e segue para a sua primeira transformação, quando experimentos da raça alienígena Ninhada a transformam em Binária (absorvendo energia de um buraco branco, o que a torna capaz de gerar o poder de uma estrela). Ao retornar aos Vingadores, em 1998, Carol Danvers passa a se chamar Warbird, voltando a se chamar Ms Marvel apenas em 2006 - saiba mais no vídeo acima.

Finalmente, Capitã Marvel!

Apesar de ter assumido muitos nomes ao longo da sua trajetória, foi somente em 2012 que Carol Danvers assumiu o posto de Capitã Marvel, sendo a sétima personagem a carregar o título. Foi quando a roteirista Kelly Sue DeConnick e o desenhista Dexter Soy assumiram as HQs, levando a personagem a ter um posto de destaque no universo da Marvel dos quadrinhos.

O novo uniforme acaba sendo o pontapé inicial para essas mudanças. O design foi criado por Jamie McKelvie (que também seria responsável depois pelo visual da Ms Marvel  Kamala Khan), que enviou uma primeira versão do traje para Kelly Sue DeConnick quando ouviu que a Marvel queria atualizar o visual de Carol Danvers. Ele buscou inspiração no passado dela como piloto para incorporar o macacão, as luvas e as botas. Ao mesmo tempo, o uniforme não descarta sua história como heroína, mantendo as linhas e o vermelho do uniforme original, além da faixa no quadril do seu traje de Warbird/Ms Marvel. A ideia era mudar o foco de atenção do traje da heroína: menos sensual, mas piloto da força aérea.

A primeira heroína no protagonista do MCU

Depois de 10 anos e 20 filmes produzidos, o Marvel Studios finalmente tem uma heroína como protagonista. A escolha pela Capitã Marvel está ligada à sua nova fase nos quadrinhos. Oito meses depois da sua estreia nas HQS, um rascunho do roteiro já circulava nos bastidores e, em 2014, Kevin Feige, o presidente do estúdio, já falava publicamente em como Carol Danvers seria perfeita para ser a primeira protagonista feminina do MCU. Segundo ele, não adiantava fazer primeiro um filme solo da Viúva Negra, porque ela já era uma grande personagem dentro dos Vingadores no cinema. O ideal então seria fazer algo completamente novo e contar uma história de origem para apresentar uma nova personagem - saiba mais no vídeo acima.