Quem é a Feiticeira Escarlate, a personagem que vai mudar tudo no MCU

Créditos da imagem: Reprodução

HQ/Livros

Lista

Quem é a Feiticeira Escarlate, a personagem que vai mudar tudo no MCU

Segundo Kevin Feige, ela será figura central no futuro da Marvel nos cinemas

Érico Assis
03.02.2020
01h56

WandaVision é uma das séries mais aguardadas do Marvel Studios pelo Disney+ - e deve estrear ainda este ano. Rodada há pouco sob o comando do diretor Matt Shakman, a série traz Elizabeth Olsen e Paul Bettany de volta aos papéis de Wanda Maximoff e Visão, que interpretam desde Vingadores: A Era de Ultron. E pode ser a base para a nova fase do Universo Cinematográfico Marvel, com a introdução da ideia do “multiverso”…

Nos filmes, até agora, Wanda só é chamada de Wanda. Os leitores de quadrinhos a conhecem mais como Feiticeira Escarlate: uma mutante (ou não – entenda abaixo) com poderes de “manipulação das probabilidades” e envolvida com magia. Como “manipulação de probabilidades” e magia abrem portas para tudo, ela já virou uma das personagens mais poderosas da Marvel. Mesmo assim, teve uma vida sofrida de heroína, esposa e mãe nas mãos de vários autores.

Onde os roteiristas e produtores da Marvel Studios estão se informando para WandaVision? Confira o histórico da Feiticeira Escarlate para saber das possíveis inspirações.

Feiticeira Esmeralda

Reprodução

Sim, ela é a Feiticeira Escarlate desde a primeira aparição, em X-Men n. 4, de março de 1964. Mas no primeiro contato com os leitores ela estava de… verde! Na capa da revista, o colorista Stan Goldberg coloriu a moça do jeito que achou melhor: primeiro, porque mais vermelho do lado de Magneto ia estragar a composição e, segundo, porque ninguém tinha avisado a ele do nome.

A vilã

Reprodução

Nas páginas internas de X-Men n. 4, da clássica dupla Stan Lee Jack Kirby, tudo nos conformes: a Feiticeira Escarlate é escarlate. Ela também faz parte da Irmandade dos Mutantes, um grupo maligno comandado por Magneto, e irmã de verdade de outro integrante, o velocista Mercúrio. Descobrimos que Magneto encontrou os irmãos Wanda e Pietro Maximoff na Europa Oriental, quando os salvou de aldeões que queriam matar Wanda por acharem que era uma bruxa.

Vingadora

Um ano depois, Lee e Kirby importaram os irmãos Feiticeira e Mercúrio para a série dos Vingadores. A equipe estava se desfazendo porque todos os integrantes são muito ocupados, então Capitão América abriu uma convocatório de novos membros. Wanda e Pietro, que queriam se redimir da vida de vilão, ficam sabendo e ela escreve uma cartinha para o Capitão. Com alguns intervalos pelo caminho, a Feiticeira faz parte dos Vingadores há mais de 50 anos.

Até um androide pode beijar

Reprodução

Feiticeira Escarlate conheceu Visão em Avengers n. 75, de 1970. O roteirista Roy Thomas queria um casal na equipe e os dois eram os únicos solteiros sem série própria. O fato de Visão ser um “sintozoide” – segundo a nomenclatura da série – dava um toque especial à novelinha. A novela apimentou quando se montou um triângulo amoroso com o Gavião Arqueiro e Mercúrio entrou em brigas com a irmã por namorar um robô. Wanda acabou mandando Gavião e Mercúrio às favas: casou-se com Visão em Giant-Size Avengers n. 4, de 1975.

A bruxa

Reprodução

Os poderes da Feiticeira Escarlate nunca foram bem explicados. “Manipulação das probabilidades” pode ser qualquer coisa, o que dava liberdade para os roteiristas usarem a heroína como recurso mágico. Respeitando o nome de Feiticeira, nos anos 1970 o roteirista Steve Englehart botou Wanda a estudar magia com uma bruxa, Agatha Harkness. Além de mutante, ela agora lidava com magias do bem – o que abriu caminho para várias histórias de magia sombria, possessão demoníaca e coisas do tipo.

Filhos… de quem?

Reprodução

Visão e Feiticeira Escarlate tiveram filhos: dois meninos gêmeos. Como um androide e uma mutante procriaram? Houve uma minissérie inteira sobre a gravidez em 1985, e a resposta é: magia. Dr. Estranho, aliás, foi o médico responsável por pré-natal e parto. A alegria dos papais durou pouco. Quando os dois voltaram a atuar nos Vingadores da Costa Oeste, Visão foi desmontado por um grupo de cientistas e remontado como uma máquina fria e sem emoções. Depois, revelou-se que os gêmeos eram pedaços de uma entidade demoníaca chamada Mestre Pandemônio… e deixaram de existir. Depois de perder casamento e crianças, Wanda, é óbvio, entrou em parafuso.

Filha... de quem?

Reprodução

Wanda e Pietro eram filhos de ciganos da Europa Oriental, os Maximoff, certo? Errado. Em Giant-Size Avengers n. 4 (1974), eles descobriram que eram filhos de dois super-heróis da Era de Ouro, Ciclone e Miss América, e os Maximoff foram só pais adotivos. Certo? Errado. Na minissérie The Vision and the Scarlet Witch (1982), eles descobrem que são filhos de Magneto, seu antigo líder na Irmandade dos Mutantes, que os entregou aos Maximoff. Certo? Ainda não. Veja mais abaixo…

Bad girl

Reprodução

Wanda (aparentemente) se recuperou e teve um período de líder dos Vingadores da Costa Oeste e da equipe que a sucedeu, a Força-Tarefa. No início dos anos 1990, também passou por uma mudança radical no uniforme: a roupa de corpo inteiro se abriu para expor braços, coxas e decote. Era a época das “bad girls” nos gibis dos EUA, que só mirava os leitores homens. Coincidiu com sua primeira minissérie solo, uma história esquecível em que ela enfrenta demônias de outra dimensão.

A cigana de George Pérez

Reprodução

O uniforme continuou mudando e caiu nas mãos de George Pérez, famoso por super-heroínas deslumbrantes. Na nova fase dos Vingadores, a partir de 1997, Pérez deixou Wanda de cabelos crespos e um traje cheio de adereços que remetiam a sua origem cigana. Outros desenhistas jogaram a toalha: só Pérez tinha paciência pra desenhar cabelo encaracolado e aquele monte de detalhes. Aos poucos a roupa voltou ao clássico de corpo inteiro.

Descontrolada e genocida

Reprodução

No início dos anos 2000, na saga “Vingadores: A Queda”, Wanda destruiu a equipe de dentro para fora. Três heróis acabam mortos, incluindo o ex-marido Visão (com quem ela tinha retomado o relacionamento). A explicação é que ela nunca resolveu a perda dos filhos e aos poucos perdeu a sanidade. Pouco depois, na saga Dinastia M, seus poderes crescem a ponto de ela criar toda uma realidade nova no Universo Marvel, onde ela volta a ter filhos, transforma o pai Magneto numa espécie de rei e inverte o preconceito contra mutantes na Terra. Ao final da saga, mais um baque: dizendo “chega de mutantes”, ela corta 90% da população mutante. Para X-Men e companhia, ela é tratada como genocida.

Irmãos apaixonados?

Reprodução

A versão alternativa de Feiticeira Escarlate, a do universo Ultimate Marvel, tem uma relação amorosa… com o irmão. O que começou como insinuação nas primeiras séries dos Supremos virou mais escancarado em Supremos 3 (2008). O Universo Ultimate deixou de existir e Mercúrio morreu no MCU, então é mais do que provável que essa ideia não influencie o pessoal do Marvel Studios. Fora o fato de que Supremos 3 é execrada por nove em cada dez fãs.

Filha... de quem? (2)

Reprodução

Wanda voltou à sanidade, os mutante voltaram a existir e seus filhos voltaram ao limbo de onde nunca deviam ter saído. Agora nos Fabulosos Vingadores, ela e Pietro tiveram uma descoberta inesperada: eram mesmo filhos do casal de ciganos Maximoff. E não são mutantes, mas bebês que ganharam poderes após experimentos do vilão Alto Evolucionário. Correu o boato de que a Marvel fez essas alterações por picuinhas com a Fox: por contrato, o estúdio tinha direito a todos os mutantes da editora e a Marvel não podia mencionar mutantes no MCU. Feiticeira e Mercúrio, por serem vinculados tanto a Vingadores quanto a X-Men, ficavam num meio termo – o que gerou dois Mercúrios diferentes no cinema. Desvincular os irmãos de Magneto e “desmutantizá-los” evitaria que Feiticeira também virasse personagem da Fox.

A série própria

Reprodução

A Feiticeira teve uma série própria, e bastante digna, entre 2016 e 2017. A magia no Universo Marvel estava abalada e Wanda percorreu o mundo tentando consertá-la. No caminho, acabou se consertando e voltando a ser a personagem confiante depois de anos como pivô de tragédias nas mãos dos roteiristas. Com texto de James Robinson e um desfile de desenhistas – incluindo várias mulheres, entre as primeiras a desenhar a heroína –, o grande destaque da série ficou por conta de David Aja nas capas em preto, branco e vermelho.

Elizabeth Olsen

Reprodução

Houve um início de controvérsia quando a loira Elizabeth Olsen, de raízes norueguesa e britânica, foi selecionada para interpretar Wanda – de raízes ciganas e/ou judia, dependendo do quadrinho que você ler. Hoje, porém, mais gente no mundo conhece a personagem dos filmes do que nas HQs. Ela ainda não foi chamada de Feiticeira Escarlate em nenhum filme, e seus poderes parecem se resumir a telecinese e um pouquinho de telepatia, com seus poderes tendo origem na Joia da Mente (a mesma responsável pela criação de Visão no MCU). Mas os filmes deixam indícios de que ela pode fazer muito mais. WandaVision aparentemente se apoia nesse muito mais, que já foi explorado nos quadrinhos.