Filmes

Artigo

Entenda o significado da cena final de Vingadores: Ultimato

Filme chega aos cinemas nesta quinta-feira (25)

Mariana Canhisares
25.04.2019
22h12
Atualizada em
25.04.2019
22h11
Atualizada em 25.04.2019 às 22h11

[Atenção: como o próprio título sugere, o texto a seguir contém spoilers de Vingadores: Ultimato. Logo, se você ainda não viu o filme, guarde esse texto para mais tarde]

Depois de anos carregando a foto de Peggy Carter no seu bolso, Steve Rogers encontra em Vingadores: Ultimato a oportunidade de viver o romance que nunca pode. Sabendo que teria que voltar no tempo para devolver todas as Joias do Infinito que ele e os outros heróis tiraram do lugar, o Capitão América decide fazer mais do que apenas evitar a criação de outras linhas temporais. Ele aproveita a viagem para seguir o conselho de Tony Stark e começar a “viver um pouco”. Assim, vencido o embate contra Thanos, o último capítulo da Saga do Infinito se encerra com o casal em clima romântico, dançando ao som de jazz, em meados do século XX.

Mas a cena apaixonada não é só o reencontro do herói com o amor da sua vida. A dança é um símbolo do romance de Rogers e Carter em Capitão América: O Primeiro Vingador.

Quando Steve era apenas um homem magrelo, ele revela à oficial sua insegurança diante das mulheres. “Elas não gostam de dançar com homens em quem possam pisar”, o soldado conta, enquanto os dois se encaminham para o experimento que mudaria a vida dele por completo. “Nos últimos anos, não importava mais. Resolvi esperar [...] pela parceira certa”.

Embora o momento tenha encantado Peggy, ela só vai ter sentimentos românticos por Rogers mais para frente, quando ele deixa o comodismo de ser apenas uma atração e se prova um verdadeiro herói. Em uma festa em que os dois não tiram os olhos um do outro, ela volta a tocar neste assunto. “Quando tudo isso acabar, acho até que vou dançar”, diz flertando. Questionada por Bucky sobre o que a está impedindo, ela repete o que ouviu do antigo soldado: “o parceiro certo”.

Neste cenário, quando o romance está tão próximo de ser consolidado, o herói descobre que se sacrificar é a única esperança para salvar Nova York. "Peggy, precisarei adiar aquela dança", diz segundos antes de afundar o avião e impedir a explosão dos mísseis. Por isso, as últimas palavras de Steve para a agente Carter no final de O Primeiro Vingador são tão emocionantes: os dois sabiam que esta vontade nunca poderia se tornar realidade.

Esta dança assombrou o Capitão América por muito tempo. Em Vingadores: Era de Ultron, sob o efeito dos poderes da Feiticeira Escarlate, ele se vê em um baile com Peggy, mas mesmo naquela ocasião ele reconhece que há algo de errado. Apesar de ela dizer “a guerra acabou, Steve. Podemos ir para casa”, ele sabe que isso não seria possível.

Assim, quando o Capitão América tem a chance de voltar no tempo e reescrever sua própria história, ele não pensa duas vezes. Vive o amor com a qual sonhou durante tantos anos, constrói uma família e chega no presente envelhecido, disposto a passar seu escudo adiante. Depois de tantos sacrifícios, Steve Rogers se vê realizado tanto como herói, quanto como um homem comum. Este é o encerramento perfeito para um personagem cuja trajetória inspirou fãs durante toda a existência do MCU. Se tem alguém que merece esse final feliz é o Capitão América.