Fantomas, Astro Boy e mais! 5 animes dos anos 1960 que você precisa conhecer

Créditos da imagem: Reprodução/Montagem

Mangás e Animes

Lista

Fantomas, Astro Boy e mais! 5 animes dos anos 1960 que você precisa conhecer

Produções pavimentaram o caminho para o universo otaku que conhecemos hoje

Omelete
4 min de leitura
23.02.2024, às 13H22.

Depois de 3-tsu no Hanashi ser transmitido na TV japonesa em janeiro de 1960, cada vez mais animações ganharam a chance de chegar às casas das pessoas. Divida em três partes, a minissérie antológica levava contos de fada para as telas de toda a ilha do Japão. Isso iniciou toda uma era da cultura pop e culminou no que hoje é um dos maiores mercados de entretenimento do mundo: a indústria de animação japonesa.

Os animes lançados nos anos de 1960 podem ser considerados, sem modéstia, como os pais fundadores dessa indústria, já que foi a sua qualidade — nos padrões da época — que fez as pessoas demandarem mais por esse formato. Nesta lista, vamos prestigiar cinco dessas animações que entraram para a história. Confira:

Astro Boy (1963)

Reprodução

Quase três anos após a estreia de 3-tsu no Hanashi, na noite de Ano-Novo, foi ao ar o primeiro episódio da primeira versão de Astro Boy, um dos maiores personagens da história dos animes. Baseada no mangá de Osamu Tezuka, considerado o Deus do Mangá, a série animada contou com 193 episódios, que inicialmente iam ao ar todas as terças-feiras na Fuji TV.

Astro Boy conta a história de Atom, um androide criado pelo renomado professor Tenma, que não conseguia superar a morte de seu filho, Tobio. Para preencher o vazio da perda, o cientista desenvolveu um robô programado para ser eternamente bom e com a mesma aparência de seu filho.

Fantomas (1967)

Reprodução

Outro anime da década que fez sucesso foi Fantomas: O Guerreiro da Justiça, que leva o título original de Ogon Bat e também pode ser encontrado como Golden Bat ou Fantaman. A série de animação, que passou pela TV brasileira nos anos 70, foi baseada na história criada por Takeo Nagamatsu, em 1931, e seu protagonista é considerado o primeiro super-herói da história.

Na trama, Fantomas era um guerreiro dourado com aparência cadavérica a lá Caveira Vermelha da Marvel. Ele vestia capa vermelha e carregava um cetro. Em sua origem, o personagem era um espírito protetor da Atlântida que foi reanimado por um cientista para proteger a humanidade.

A Princesa e o Cavaleiro (1967)

Reprodução

Outro mangá de Tezuka ganhou vida nas telinhas em 1967. A Princesa e o Cavaleiro, ou Ribbon no Kishi no original, teve sua primeira publicação em 1953, sendo considerado o pioneiro dos mangás shoujo. Esse foi o primeiro título do lendário escritor publicado no Brasil, e a animação dos anos 60 chegou na TV brasileira da década de 1970, também fazendo sucesso entre os otakus da época.

Na história, acompanhamos as aventuras da princesa Safiri na Terra de Prata. Por uma rígida lei de seu reino, ela é obrigada a se disfarçar de príncipe para que seu pai não seja destronado. Desconfiado e de olho no trono, o perverso Duque Duralumínio, auxiliado pelo nefasto Senhor Nylon, tenta desmascarar Safiri. Por sorte, ela conta com o auxílio do anjinho peralta Ching e do príncipe Franz, da Terra do Ouro.

Speed Racer (1967)

Reprodução

Ainda na temporada de primavera dos anos 60, o clássico Speed Racer, então conhecido como Mach GoGoGO, também fazia sua estreia animada. Como prova da rápida crescente dos animes naquela época, em 1962, o mangaká Tatsuo Yoshida fundou o estúdio de animação Tatsunoko Production para suprir a demanda da TV japonesa e lançou grandes títulos como Shurato, G-Force e o próprio Speed Racer.

No anime, acompanhamos Gou, um jovem piloto de corrida de 18 anos que dirige o carro Mach 5, o veículo mais rápido criado pelo homem. Porém, se tornar um piloto profissional não é fácil. Das conspirações de empresários corruptos à forte concorrência de seu rival, Racer X, Gou enfrenta muitos obstáculos dentro e fora das pistas.

Dororo (1969)

Reprodução

E não poderíamos fechar essa lista sem citar outro grande clássico de Osamu Tezuka. Lançado no final dos anos 60, Dororo é uma das histórias mais belas e sombrias do mangaká. Levando os traços clássicos do Deus do Mangá para uma animação em preto e branco, o anime conquistou um forte público na época e um remake recente pelo estúdio Mappa.

No período dos Reinos Combatentes do Japão, Lord Daigo Kagemitsu faz um pacto com 12 demônios, trocando seu filho ainda não nascido pela prosperidade de suas terras. A criança nasce malformada e fica à deriva em um rio, enquanto as terras de Kagemitsu prosperam como prometido. Anos mais tarde, o jovem ladrão Dororo encontra o misterioso “Hyakkimaru”, um menino cujos braços são lâminas e cujos olhos sem visão parecem capazes de ver monstros.

Gostou da lista? Então fique de olho no Omelete para saber quais animes das décadas seguinte você não pode deixar de assistir!

Omelete no Youtube

Confira os destaques desta última semana

Omelete no Youtube

Confira os destaques desta última semana

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a nossa Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados e cookies para as finalidades ali constantes.