Molho Negro lollapalooza

Créditos da imagem: Mila Maluhy/Lollapalooza 2019/Divulgação

Música

Artigo

Molho Negro cria mosh pit e faz show de rock perfeito no Lollapalooza 2019

Banda de Belém do Pará conquistou com letras sarcásticas

Julia Sabbaga
05.04.2019
13h28
Atualizada em
05.04.2019
15h16
Atualizada em 05.04.2019 às 15h16

O primeiro dia do Lollapalooza começou com rock nos dois palcos menores do festival. Depois que O Grilo, banda escolhida por voto popular, abriu o evento com o seu indie rock no palco Onix, foi vez do som pesado do Molho Negro, grupo de Belém do Pará , estrear o palco Adidas.

O público chegou aos poucos na apresentação que já começou com muito peso, com o single “Novo Rosto”. Os fãs da banda se aglomeraram perto do palco, que ainda tinha espaço, mas foi sendo preenchido conforme a banda passava por outras faixas da carreira. As letras ácidas e engraçadas do grupo rapidamente conquistaram os que nunca tinham ouvido e agora riam com as frases de “Black Rebel Marambaia Club” e “Gente Chata”. O Molho Negro ainda aproveitou o show no Lollapalooza para inaugurar a performance ao vivo de seu mais novo single, “Contracheque” - ouça aqui.

A performance pesada só parava para algumas interações do vocalista João Lemos, que trocou palavras com os fãs próximos do palco: “Eu nunca botei fé que meu sarcasmo ia me trazer até aqui”, disse, antes de emendar com “Mainstream”. Em “Rui Barbosa”, o vocalista desceu ao público e abriu um espaço, comandando um mosh pit gigante, que durou por toda música, com Lemos no centro. Quando alguém do público se machucou, o vocalista ainda comandou um pedido de desculpas coletivo de todo o povo. Até o fim do show, com “Shangri-la”, o frontman cantou e tocou sua guitarra do meio da pista, rendendo merecidos gritos empolgados.

Ao final da apresentação, o Molho Negro já tinha conquistado todo o público da área do Lollapalooza, que se esqueceu do resto do line-up e incorporou totalmente o espírito do mais puro show de rock.