Música

Lista

Lollapalooza Brasil | Os 10 melhores shows do festival até hoje

Este ano, festival acontece em 23, 24 e 25 de março

Julia Sabbaga
22.03.2018
16h57
Atualizada em
29.06.2018
02h41
Atualizada em 29.06.2018 às 02h41

O Lollapalooza começa esta semana e, pra entrar no clima do festival, fizemos uma retrospectiva dos melhores shows que passaram por seus palcos até hoje. Confira abaixo.

O Lollapalooza acontece em 23, 24 e 25 de março.  

Arctic Monkeys (2012)

Caio Kenji/G1

No primeiro ano do Lollapalooza, o Arctic Monkeys fechou o segundo e último dia do festival, com um show repleto de favoritas, de “I Bet You Look Good on the Dancefloor” e “Fluorescent Adolescent”, até as músicas do Suck It And See, trabalho mais recente do conjunto na época. O set de 20 músicas animou o público, ansioso pelo retorno da banda, que só tinha passado por aqui uma vez, cinco anos antes, em 2007. Os ingleses fizeram jus a posição de últimos do festival, e enquanto Foo Fighters, que fechou no dia anterior, agradou pela longa carreira, Artic Monkeys marcou pela novidade.

Cake (2013)

Piervi Fonseca

Em 2013, o Cake foi uma das surpresas do ano, quando se apresentou no meio do primeiro dia do festival. O nome discreto no pôster angariou uma massa que sentia falta do som característico da banda, que havia passado no país apenas oito anos antes, e agradou o vocalista John McCrea, que agradeceu pela presença e conquistou de vez, dizendo: “Obrigado por se lembrarem de que nós existimos”. Hits como o cover de “I Will Survive” e o sucesso “Never There” marcaram o dia.

The Killers (2013)

Cambria Harkey

No ano seguinte, o The Killers fechou o primeiro dia do Lollapalooza, animando o público de cara ao abrir o show com “Mr. Brightside”. A banda de Las Vegas animou 52 mil fãs presentes no festival com seus maiores hits, chamando para coros da plateia e ainda falando português.

Imagine Dragons (2014)

Flavio Moraes/G1

Distante de headliner, em 2014 o Imagine Dragons angariou uma multidão do público mais jovem do festival, que esperava a primeira passagem da banda pelo país. "Radioactive" e "Demons" colocaram o chão do Lollapalooza para tremer, com o vocalista declarando seu amor pela terra brasileira e familiaridade com guaraná. Até hoje, a banda considera sua apresentação no Lollapalooza como o melhor da carreira.

Soundgarden (2014)

Manuela Scarpa/Photo Rio News

Em 2014, o Lollapalooza mudou para o Autódromo de Interlagos e trouxe como headliners os ótimos Muse e Arcade Fire. Mas quem roubou os holofotes foi o Soundgarden, que fez a sua primeira (e única) passagem no Brasil. Com um show que brilhou nostalgia de anos 90, Chris Cornell e sua banda tocaram durante uma hora e meia, espalhando hits como “Black Hole Sun” e “Fell on Black Days” pelo setlist, animando a plateia por toda duração do show.

Jack White (2015)

Flavio Moraes/G1

Encerrando o primeiro dia do Lollapalooza 2015, o virtuoso Jack White foi responsável por fazer o rock ‘n roll ganhar destaque no festival daquele ano. Promovendo o “Lazaretto”, álbum de 2014, o músico esbanjou talento e foi conversando com o público, que animava com hits da carreira solo, com The Racounters ou do White Stripes. Para fechar um belo show, White encerrou a performance com a favorita “Seven Nation Army”.

Mumford & Sons (2016)

Lucas Guarnieri

Em 2016, o Mumford and Sons fez uma bela estreia nos palcos brasileiros no primeiro dia do Lollapalooza. O publicou aguardava ansiosamente a vinda da banda britânica e animou com cada faixa, mas o que tornou o show marcante foi mais a resposta da banda do que do público. O conjunto liderado por Marcus Mumford ficou embasbacado com a presença brasileira, e ainda chamou fã pra cima do palco, puxou coros e viu mares de luzes de celular nas baladas mais lentas.

Florence + The Machine (2016)

Caio Kenji

No dia seguinte, Florence + The Machine ficou responsável por encerrar o festival, com uma apresentação toda mística, que combina com sua frontwoman. A chuva que caiu no festival combinou com a performance da energética e poderosa vocalista, que animou os fãs principalmente quando resolveu descer do palco e se juntar a plateia. Com justas críticas de som baixo, Florence + The Machine compensou com simpatia e sintonia com o público.

Metallica (2017)

Camila Cara-MRoss

Em uma inusitada presença no line-up do festival mais indie, o Metallica, uma das maiores bandas de metal do mundo, surpreendeu. O grupo veio ao Brasil apresentar o último álbum, Hardwired... To Self-Destruct, mas não poupou os clássicos que renderam muito bate cabeça: “Master Of Puppets” e “Nothing Else Matters” agitaram o recorde de público, de 100 mil pessoas no festival.

The Strokes (2017)

Gabriel Quintão

No último dia do último Lollapalooza, o The Strokes fechou o evento como o nome que mais combina com o festival. Rock, indie, nostálgico e estiloso, o Strokes harmonizou perfeitamente com o público e agradou tocando o seu álbum de estreia, Is This It, quase que na íntegra. Seis anos depois da última passagem da banda no país, o The Strokes deixou um sorriso em muitos que achavam que não veriam mais os garotos de Nova York ao vivo.