Música

Artigo

Lollapalooza Brasil 2017 | Metallica dá lição de música e fecha primeira noite em grande estilo

Banda mesclou clássicos com músicas novas e fez um show de rock à moda antiga

Fábio de Souza Gomes
25.03.2017
23h25
Atualizada em
29.06.2018
02h41
Atualizada em 29.06.2018 às 02h41

Palco azul. Todos em silêncio, ouvindo "It's a long way to the top if you wanna rock'n roll", do AC/DC. Poucas palmas aparecem, mas logo somem pois a expectativa para atração principal da noite é grande. De repente, o telão apaga e cenas de Três Homens em Conflito são exibidas junto com "Ecstasy of Gold". O público vai a loucura e começa a cantar em coro junto à clássica música de Ennio Morricone pois, logo menos, o Metallica estaria no palco para encerrar primeira noite do Lollapalooza Brasil 2017.

(Foto: I Hate Flash/Facebook LollapaloozaBR)

A mesma banda que foi acusada de acabar com o espirito do festival em 1996 agora se torna o principal motivo para milhares de pessoas se reunirem no autódromo de Interlagos na noite deste sábado (25). E o Metallica não decepcionou os fãs. Apresentou músicas do novo trabalho, clássicos eternos e enlouqueceu o público com um show de rock feito à moda antiga.

A banda começou com os dois pés no peito com a nova "Hardwire", uma das melhores músicas do álbum de 2016. Pesado, rápido e direto, o som é perfeito para abrir um show. Na sequência,  "Atlas, Rise!" mostrou a virtuosidade de Kirk Hammer e James Hetfield na guitarra. Poucos falam sobre, mas a capacidade de James tocar como toca e ainda cantar impressiona até hoje.

Acostumado com estádios, o vocalista não encontrou dificuldade em cativar o público e, antes de tocar "For Whom The Bell Tolls", fez um convite a todos os presentes. "Não quero saber quem você veio ver hoje, mas se você está aqui agora você faz parte da família Metallica". 

Com todos em suas mãos, a banda puxou "The Memory Remains", que enlouqueceu a platéia a ponto da banda parar para o público cantar em conjunto o clássico.

Na sequência, um momento que apenas grandes bandas podem fazer. Todos saíram do palco para que Kirk improvisasse um solo como os guitarristas clássicos. Mais tarde, foi a vez de Robert Trujillo dar show no seu baixo - que contou até com homenagem a Cliff Burton, baixista original que morreu em meados dos anos 80. Poucos grupos fazem isso hoje em dia e segurar a atenção dos fãs com grandes solos, mesmo que por poucos minutos, não é tarefa fácil.

A banda, depois, emendou clássico atrás de clássico e manteve sempre a energia no alto.Talvez o momento mais baixo do show tenha sido em "Halo Fire", fraca canção do novo trabalho. Porém, nada que atrapalhe o grande espetáculo realizado pelos americanos. (Afinal, pouco depois eles mandaram "Whiplash", música do primeiro álbum e fundamental para qualquer fã da banda).

Outro detalhe que não dá pra deixar escapar é a iluminação. Com destaque para o trabalho feito em "One", onde a banda usou e abusou de lasers, a luz realiza um casamento perfeito com o som da banda e deixa tudo mais grandioso. "Depois de 36 anos ainda é um sonho. Nós amamos tudo isso. Obrigado por estarem aqui", disse James.

Set list

  • Ecstasy of Gold
  • Hardwire 
  • Atlas, Rise!
  • For Whom the Bell Tolls
  • The memory remains
  • Solo do Kirk 
  • Unforgiven Part. 1
  • Now That We're Dead
  • Moth Into Flame
  • Harvester of Sorrow
  • Halo on Fire
  • Solo do Robert Trujillo/ Anesthesia Pulling Teeth (trecho)
  • Whiplash
  • Sad, But True
  • One
  • Master of Puppets
  • Solo Kirk 2
  • Fade to Black
  • Seek and Destroy

Bis

  • Battery
  • Nothing Else Metters
  • Enter Sandman

Lollapalooza Brasil 2017 acontece no Autódromo de Interlagos, nos dias 25 e 26 de março e conta com headliners como MetallicaThe XXThe WeekndFlumeMartin Garrix entre outros nomes de destaque do cenário mundial.