O grupo de k-pop MCND (Reprodução)

Créditos da imagem: O grupo de k-pop MCND (Reprodução)

Música

Entrevista

O MCND pertence aos palcos, e logo o Brasil vai descobrir o porquê

Grupo conta ao Omelete sobre a 1ª turnê e a musicalidade jovem do seu k-pop

Omelete
4 min de leitura
26.07.2022, às 11H57

Eu acho que o MCND é um grupo que é muito melhor aproveitado ao vivo do que no estúdio. É possível sentir 100% da nossa energia pessoalmente, ao invés de online ou por vídeo”. As palavras não são nossas, mas sim de Huijun, um dos cinco artistas que formam o MCND - e o público brasileiro poderá tirar a prova em breve, uma vez que o grupo desembarca por aqui pela primeira vez em agosto, para uma turnê de quatro cidades.

Em 12/08, o quinteto faz um fansign (evento em que interagem com os fãs e dão palhinhas de músicas) em São Paulo, seguido por um show completo no dia seguinte, 13. Depois, parte para Rio de Janeiro (14), Belo Horizonte (15) e Porto Alegre (17), também para eventos na modalidade fansign. Saiba mais no site da Highway Star, que promove a turnê.

Huijun avisa aos fãs para esperarem um show dinâmico e colorido”, calcado no hip hop que dita o álbum mais recente do grupo, The Earth: Secret Mission Chapter.2, lançado no começo de julho. O maknae (integrante mais novo do grupo) Win concorda que as novas canções contém bastante da energia dinâmica do MCND”.

A nossa maior força é criar um clima jovial e agradável no palco, e acho que [o single] ‘#MOOD’ tem muitos pontos divertidos que poderão ser mostrados durante a apresentação. Vamos nos divertir juntos!”, chama o artista. Com um refrão que remete a “24K Magic”, de Bruno Mars, uma letra feita sob medida para a geração criada nas redes sociais, e uma coreografia que inclui até uma pausa para selfie, “#MOOD” está mesmo entre as canções mais leves e alegres do k-pop em 2022.

É um lançamento que se destaca mesmo dentro de uma discografia que tem deleites descompromissados como “H.B.C.”, b-side do álbum anterior do grupo, com um refrão que exalta batatas chip sabor mel e manteiga, iguaria muito apreciada na Coreia; e “Crush”, single contagiante de 2021 que, com sua guitarra esperta e seu gancho melódico irresistível, segue sendo o maior sucesso do grupo.

Pessoalmente, eu também adoro ‘Crush’”, comenta Huijun. “Eu me lembro de ter dificuldades físicas durante a filmagem do clipe, mas ainda é uma memória valiosa, porque nos unimos como grupo e fizemos o nosso melhor até o fim. Também acho que é uma música que mostra a nossa identidade muito bem”.

Das telas para os palcos

O primeiro álbum do MCND foi lançado em fevereiro de 2020, às portas da pandemia de covid-19. A agilidade da gravadora TOP Media em adotar a modalidade virtual para encontros com os fãs e apresentações ao vivo acabou marcando o grupo como uma espécie de protótipo para outros artistas da mesma geração, um modelo de como prosperar apoiando-se principalmente nas redes sociais.

Apesar da história de sucesso, o integrante Bic, dançarino principal do MCND, relata uma sensação de alívio ao poder retornar para os eventos presenciais. “Sempre havia um pedaço do meu coração que se sentia triste e vazio com a situação de precisar fazer performances e encontros com os fãs apenas através da internet, mas essa sensação foi esquecida com as primeiras performances em pessoa”, confessa.

Quando terminamos a nossa primeira turnê europeia, ficamos tão emocionados. Eu certamente fiquei. Foi incrível poder me comunicar com os fãs mais diretamente, ouvir os gritos deles enquanto eu estou no palco, depois de tanto tempo”, completa. “Queremos construir um relacionamento mais profundo com os nossos fãs de todo o mundo”.

A passagem pelo Brasil certamente faz parte dessa jornada, como expressa o líder e rapper Castle J, também principal produtor das canções do MCND: “Ouvimos rumores que o entusiasmo dos fãs brasileiros não tem igual. Nós vamos nos conhecer pela primeira vez com essa turnê, então estou ansioso para descobrir qual vai ser a energia durante o show!”.

O quinteto também está aberto às sugestões de programação dos fãs, como revela Minjae: “Quando visito qualquer país, quero provar a comida local. São coisas que você nunca conseguiria experimentar na Coreia, então fico curioso, e ouvi falar que a cozinha brasileira é deliciosa. Se há alguma comida brasileira que eu preciso experimentar, ou um daqueles restaurantes que vocês colocariam na lista ‘preciso ir antes de morrer’, quero saber quais são!”.

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados e cookies para as finalidades ali constantes.