As performances do Grammy 2020, de pior a melhor

Créditos da imagem: AFP / Getty

Música

Lista

As performances do Grammy 2020, de pior a melhor

De Billie Eilish a Aerosmith, Lizzo, Lil Nas X e BTS

Julia Sabbaga e Gabriel Avila
27.01.2020
17h35
Atualizada em
27.01.2020
18h29
Atualizada em 27.01.2020 às 18h29

No último domingo (26) aconteceu a 62ª edição do Grammy, premiação que teve quebra de recorde por parte de Billie Eilish, homenagens ao astro da NBA Kobe Bryant e estreia do BTS na premiação. Para as apresentações, a cerimônia reuniu novos nomes e experientes artistas em uma noite marcada por tributos e novidades.

Relembre abaixo as melhores performances da noite, da pior a melhor.

Tributo a Ken Ehrlich

Após 40 anos, comandando as cerimônias do Grammy, o produtor Ken Ehrlich se despediu da premiação. Em sua homenagem, ele reuniu um time de peso que incluiu Cyndi Lauper, Camila Cabello, Gary Clark Jr., Ben Platt, Joshua Bell, Lee Curreri, Common e Lang Lang em uma performance de "I Sing the Body Electric”, canção do filme Fama. Porém, não demorou muito para perceber que essa foi uma apresentação planejada para agradar apenas Ehrlich, e sua longa duração tornou a canção especialmente entediante.

Blake Shelton e Gwen Stefani

Músicos de talento inquestionável, Blake Shelton e Gwen Stefani se juntaram em uma apresentação pouco memorável. A dupla apresentou o dueto “Nobody But You”, que não chegou a ser ruim, mas passou longe de comover ou marcar os presentes.

Billie Eilish

Com um ano marcado por grandes feitos, Billie Eilish se tornou um dos centros da atenção na premiação. A expectativa em torno de sua apresentação, entretanto, não foi cumprida. A jovem cantora, que se tornou a 1ª mulher a ganhar os prêmios principais no mesmo ano, indicava uma performance bombástica, mas preferiu uma abordagem mais pessoal com a balada  “When the Party’s Over”.

Camila Cabello

Camila Cabello optou por homenagear seu pai durante sua performance. A cantora cubana apresentou “First Man”, a canção que fecha o álbum Romance, com imagens de sua infância ao fundo. Embora tocante, já que a transmissão registrou a reação do homenageado em um belo momento entre pai e filha, a aparição de Cabello ficou pessoal demais, esticando um momento fofo sem muito brilho.

Jonas Brothers

Os Jonas Brothers foram um dos primeiros artistas a subir ao palco do Grammy 2020, e apesar de empolgar com a dobradinha "What A Man Gotta Do" e "Five More Minutes”, sua apresentação não foi tão memorável assim. Com a falta de “Sucker”, grande sucesso do trio desde seu retorno, os irmãos não conseguiram empolgar tanto quanto poderiam.

Rosalía

Primeira indicada a artista revelação que canta em língua não-inglesa, a espanhola Rosalía elevou as expectativas a respeito de sua apresentação. Porém, mesmo com figurinos estilosos e forte presença do flamenco da canção “Juro Que”, sua apresentação foi bem tradicional e pouco marcante.

Gary Clark Jr

Ainda que não tenha sido uma apresentação ruim, Gary Clark Jr foi prejudicado pelo momento em que foi encaixado na cerimônia. Após uma sequência de apresentações, o público parecia cansado para o músico, que mesmo assim executou a canção "This Land" com grande empenho.

H.E.R.

H.E.R. enfrentou problema parecido com o de Gary Clark Jr, entregando uma performance empolgante, mas prejudicada por ser deixada para o final. Além de seu característico vozeirão, a apresentação de “Sometimes” teve trechos em que a cantora tocou piano e guitarra em uma interpretação que mesmo sem inovação, se garantiu em sua entrega.

Aerosmith e Run DMC

Grandes nomes do hard rock, o Aerosmith fez uma apresentação divertida. Iniciando sua performance com o clássico “Livin’ on the Edge”, o grupo viu seu frontman Steven Tyler ir para a galera e declarar seu amor por Lizzo, que por sua vez cantou um breve trecho da canção. Em seguida, Tyler e Joe Perry foram ao centro do palco para começar uma performance de “Walk This Way”, que foi “interrompida” pelos membros do Run DMC, que completaram o clima de festa com a mistura entre rock e rap que se tornou um clássico durante a década de 1980. Ao fim da apresentação, Steven Tyler tirou duas moças da plateia para dançar em um passinho improvisado seguido por uma singela homenagem a Kobe Bryant, que teve sua icônica camisa dos Lakers erguida por um dos DJs.

Usher e FKA Twigs

Quatro anos após sua morte, Prince recebeu uma grandiosa homenagem no Grammy 2020. Acompanhado por Sheila E., uma das mais frequentes colaboradoras do músico, Usher subiu ao palco da cerimônia para executar um medley formado pelas canções “Little Red Corvette”, “When Doves Cry” e “Kiss”. A apresentação ainda teve participação de FKA Twigs, que mesmo sem cantar contagiou a plateia com coreografias.

Tanya Tucker e Brandi Carlile

Ariana Grande

Em uma das mais aguardadas apresentações da noite, Ariana Grande fez um medley composto por “Imagine”, My Favorite Things” e “7 Rings”. Inicialmente acompanhada por uma orquestra, a cantora recebeu bailarinas ao palco em uma performance que assumiu o playback e adicionou vozes, adicionando camadas a canções já queridas pelo público.

Lizzo

Líder de indicações na edição 2020 do Grammy, Lizzo começou sua apresentação com uma dedicatória a Kobe Bryant, grande nome da NBA que havia falecido horas antes do início da premiação. Acompanhada por uma orquestra ao vivo, a cantora exibiu todo o potencial de sua voz durante a apresentação de Cuz I Love You, que foi ovacionada logo no primeiro refrão. Ao fim da canção, Lizzo trocou seu vestido de gala por um brilhante figurino, ganhou a companhia de bailarinas e executou a dançante “Truth Hurts” com direito a um solo de flauta.

John Legend, DJ Khaled, Meek Mill e Convidados

Morto em março de 2019, o rapper Nipsey Hussle recebeu uma tocante homenagem durante o Grammy. Meek Mill deu início à apresentação com um emocionante verso sobre como o falecimento do amigo o chocou, abrindo espaço para que John Legend e DJ Khaled apresentassem “Higher”, canção resultado da parceria da dupla com Hussle. Após exibir a participação do rapper em um telão, a dupla recebeu Roddy Rich, Kirk Franklin e YG para uma poderosa performance que encerrou com homenagem a Kobe Bryant, astro do basquete que faleceu no mesmo dia da cerimônia.

Tyler, The Creator

Acompanhado do trio Boys II Men e Charlie Wilson, Tyler, The Creator iniciou sua apresentação com um trecho da melódica canção “Earfquake”, estabelecendo um clima de ternura que foi energicamente quebrado com “New Magic Wand”, canção que fez o rapper pular, bater cabeça, berrar e dançar antes de desaparecer no cenário em chamas.

Demi Lovato

Um dos momentos mais emocionantes da noite foi a apresentação de Demi Lovato. A cantora subiu ao palco para uma performance comovente de “Anyone”, canção escrita quatro dias antes de ser internada por conta de uma overdose em 2018. Em prantos desde o início, Lovato acabou se perdendo no tempo da canção no início, mas retomou a apresentação com grande controle, emocionando os presentes que a aplaudiram de pé.

Lil Nas X, BTS e convidados

Em pouco mais de um ano, Lil Nas X se firmou como um dos grandes nomes da música graças a “Old Town Road”, hit que quebrou recordes e rendeu dois prêmios no Grammy 2020. Na premiação, o rapper apresentou a canção ao lado de convidados de peso, como Billy Ray Cyrus, Diplo, Mason Ramsey e o BTS, fenômeno do K-pop que se apresentou pela primeira vez na cerimônia. Ao fim da canção, Lil Nas ressurgiu com um sobretudo de couro para cantar “Rodeo”, canção que teve Nas como participação especial.