Foto de Game of Thrones

Créditos da imagem: Game of Thrones/HBO/Divulgação

Séries e TV

Lista

Especial Game of Thrones | Relembrando a primeira temporada

Série que fez história na TV chega ao final em 2019

Camila Sousa
06.02.2019
17h11
Atualizada em
07.02.2019
11h25
Atualizada em 07.02.2019 às 11h25

Quando a primeira temporada de Game of Thrones foi lançada em 2011, poucos poderiam imaginar no que a série iria se transformar. Claro, os primeiros livros já tinham sido publicados por George R.R. Martin e a HBO já tinha um ótimo histórico com seriados de qualidade, mas ainda assim, a atração foi uma aposta que deu certo e mudou os rumos da TV.  Como preparação para a oitava e última temporada do seriado, relembramos abaixo o que aconteceu no primeiro ano:

Terror

Apesar de ser uma série medieval, Game of Thrones sempre teve um pé no sobrenatural. Essa característica foi acentuada com o decorrer das temporadas, mas esteve lá desde o começo, já que o episódio-piloto começa com um membro da Patrulha da Noite encontrando os Caminhantes Brancos. Assim como no primeiro livro, a cena serve como um prólogo para a história e tem um estilo muito mais voltado para o terror do que para a aventura.

Intrigas dos Lannisters

O que realmente dá o pontapé inicial para toda a história da série é a morte de Jon Arryn, que era Mão do Rei Robert e marido de Lysa Arryn. Logo no começo, Cersei e Jamie conversam sobre a morte e como Arryn estava perto de descobrir o grande segredo dos dois: que os filhos de Cersei, rainha e esposa do Rei Robert, eram também do seu irmão gêmeo. É a morte de Jon que faz o rei sair de Porto Real e ir até Winterfell oferecer o cargo para o amigo Eddard. Mas as intrigas causadas pelos irmãos não terminam aí. Ao final do piloto, Jamie comete (possivelmente) um de seus maiores erros durante todas as temporadas, que é empurrar Bran da torre quando o garoto flagra os irmãos juntos. Ele também ataca Ned em Porto Real, deixando o patriarca dos Starks machucado e vulnerável.

Infelicidade de Cersei

Apesar da cumplicidade com o irmão, a temporada estabelece como Cersei é infeliz, principalmente em seu casamento. Robert não esconde de ninguém que foi apaixonado por Lyanna Stark e ainda nutre um grande sentimento por ela, apesar da personagem estar morta há muito tempo. Essa relação faz com que Cersei se sinta rejeitada o tempo todo. Em certo momento, por exemplo, ela afirma que o rei já chamou pelo nome de Lyanna quando os dois estavam na cama, algo que feriu profundamente seu orgulho. Além disso, Robert batia em Cersei quando se sentia desafiado e não via problemas em manter amantes, inclusive na frente de todos, como acontece na festa de boas-vindas em Winterfell. Nos livros, sempre foi estabelecido como o casamento de Robert e Cersei foi arranjado para unir suas casas. Tywin Lannister queria a filha casada com o rei e a própria garota imaginou que teria uma relação feliz, antes de descobrir que seu marido jamais a amaria e realmente encararia a relação dos dois como uma grande fachada.

Breve felicidade Stark

A primeira temporada também marca os raros momentos de felicidade da família Stark em toda a história. Eddark e Catelyn têm um amor sólido e carregado de respeito e isso reflete em uma boa administração de Winterfell, sempre se preparando para o inverno que está para chegar. Entre os jovens, Rob é o mais velho e se prepara para um dia assumir o lugar do pai; Sansa é uma menina doce que sonha em se casar com um belo príncipe; Arya é uma criança ativa que faz de tudo para provocar os irmãos; Bran, o segundo filho homem, começa a ouvir mais os ensinamentos do pai (“Aquele que dá a sentença deve brandir a espada”) e Rickon ainda é um bebê apegado à mãe. O único que destoa de toda essa harmonia é Jon Snow, que tem uma boa relação com os irmãos (principalmente Arya), mas não consegue deixar de lado o sentimento de inadequação, principalmente quando Catelyn está por perto. Para ela, o rapaz é uma constante lembrança da traição do marido.

Lobos

Também é na primeira temporada que os irmãos Stark ganham seus lobos. Enquanto volta da execução de um desertor da Patrulha da Noite (o mesmo que viu o Caminhante Branco) a comitiva de Eddark encontra uma loba gigante morta, uma espécie pouco vista recentemente na região. A própria morte do animal já é por si só um presságio ruim, mas logo eles descobrem que a loba deixou para trás uma ninhada de lobos, na quantidade exata dos irmãos. Apesar de discordar aprincípio, Eddard sabe que os lobos são o símbolo de sua casa e por isso permite que cada criança e jovem fique com um filhote. No decorrer das temporadas, os lobos acompanham os personagens, os ajudam em momentos difíceis e suas mortes também são presságios de momentos difíceis para a família.

Trilha sonora

Um ponto interessante é como a primeira temporada utilizava a trilha sonora de forma diferente. Quando a história começa a ser estabelecida e os momentos mais tristes da série ainda não aconteceram, a trilha é bem mais animada, dinâmica e genérica. Um exemplo  é quando a comitiva de Robert chega a Winterfell. A música que toca nesse momento é grandiosa e quase feliz, e raramente é utilizada depois disso. Com o decorrer da temporada, as músicas se tornam mais soturnas e ganham mais personalidade.

Nudez

A HBO sempre foi conhecida por ter um conteúdo mais adulto em suas séries, tanto em relação à violência, quanto à nudez, e esse segundo ponto é bem explorado nas primeiras temporadas de Game of Thrones. No primeiro episódio, por exemplo, várias personagens femininas aparecem nuas ao lado de Tyrion em um bordel e Daenerys tem uma cena constrangedora ao lado do irmão Viserys. Com o tempo, as cenas de nudez diminuíram ou pelo menos assumiram um tom menos gratuito do que na primeira temporada.

Relação entre Robert e Ned

Para quem não se lembra, Robert Baratheon morre ainda na primeira temporada de Game of Thrones após ser atacado por “acidente” por um javali durante uma caçada. Mas antes desse acontecimento trágico, a série explora bastante a amizade do personagem com Ned. Os dois se conheceram ainda na juventude e Robert se apaixonou por Lyanna, irmã de Ned, criando uma ligação ainda maior entre os dois. Quando a jovem foi supostamente sequestrada por Rhaegar Targaryen, e o pai e o irmão de Ned foram mortos pelo Rei Louco, os dois amigos se uniram na Rebelião de Robert, que terminou quando Jaime Lannister se tornou o regicida ao assassinar o rei que jurou proteger. Por terem vivido tudo isso, Ned e Robert possuem uma relação única nos primeiros episódios da série, já que o rei vê em Ned alguém que pode ajudá-lo a governar Westeros. Aos olhos de quem está de fora, é estranho ver conversas casuais entre os dois, mas a história justifica isso. 

O caminho de Jon Snow

Quando Game of Thrones começa, Jon Snow é um jovem revoltado com seu status em Winterfell. Como dito anteriormente, ele tem uma boa relação com os irmãos Stark, mas não consegue se livrar do sentimento de que não pertence àquele lugar. É por isso que, após rever o tio Benjen, ele decide se unir à Patrulha da Noite. Anteriormente, essa ordem era formada por cavaleiros honrados que protegiam Westeros dos perigos além da Muralha. Mas agora os homens enviados são assassinos e estupradores e as condições do lugar são precárias. Jon sofre muito em seus primeiros dias, principalmente porque ele continua não se sentindo aceito. Apesar de ser um bastardo, o jovem teve uma boa criação e treinamento, algo que também o diferencia dos irmãos. É apenas com o tempo que ele consegue fazer amizades na Muralha, principalmente com Sam, que perdura até as temporadas atuais.

Ensinamentos de Tyrion

Quando a comitiva se prepara para ir até a Muralha, Tyrion Lannister resolve ir junto, segundo ele, “para fazer um xixi para além da Muralha”. Essa viagem é importante para estabelecer a personalidade de Tyrion e também cria uma relação interessante do personagem com Jon Snow. Ainda em Winterfell, o caçula da família Lannister chama Snow repetidas vezes de bastardo e já passa um ensinamento ali: “Não esqueça quem você é, porque certamente o mundo não se esquecerá. Faça disso sua força e assim ninguém usará isso contra você”. Tyrion diz que todos os anões são bastardos aos olhos dos pais e mostra como enxerga o mundo após anos de rejeição. Também na viagem, Tyrion diz sua famosa frase “uma mente precisa de livros como uma espada precisa de uma pedra de amolar. Por isso eu leio tanto”.  

Decisões de Catelyn

Outros momentos importantíssimos na primeira temporada de Game of Thrones são as decisões tomadas por Catelyn. Bem no começo da história, ela recebe uma carta da irmã Lysa acusando os Lannisters pela morte de Jon Arryn. Já desconfiada da presença da família em Winterfell, ela alerta Ned dos perigos de aceitar o cargo de Mão do Rei. Após a queda de Bran da torre, as desconfianças de Catelyn aumentam quando ele é novamente atacado em sua cama. Um homem invade o quarto e tenta esfaquear o garoto com uma adaga que supostamente pertencia a Tyrion. A matriarca machuca as mãos tentando salvar o filho, que só sai ileso desta nova violência ao ser defendido pelo lobo Verão. Em uma decisão extrema, ela resolve deixar Winterfell e ir até Porto Real dar as notícias pessoalmente a Ned, já que não confia em corvos. Essa é uma decisão muito difícil, já que Bran não acordou e Rickon é apenas um bebê, mas ela permanece firme na ideia de fazer justiça e proteger sua família. Catelyn tem um último encontro com Ned e, ao voltar para casa, encontra Tyrion em seu caminho de volta da Muralha. Ele convoca a lealdade dos lords presentes e toma o caçula dos Lannisters como refém. Tyrion prova sua inocência por um julgamento por combate, mas sua prisão temporária faz Ned ser atacado em Porto Real por Jaime, que exige ter o irmão de volta. Posteriormente, quando Ned é preso e acusado de traição, Robb convoca exércitos do Norte para marchar em defesa do pai e Catelyn se une ao filho mais velho. Essa última decisão de não voltar para Winterfell e os filhos mais novos, foi crucial para o futuro dos Starks: Catelyn nunca mais viu Bran e Rickon e após a morte de Ned, o local ficou vulnerável sem a presença de um lord ou lady, o que levou a invasões e à fuga dos garotos. 

Cabelos loiros

A partir do momento em que chega a Porto Real com as filhas, Ned enfrenta muitos problemas e nem sempre toma as melhores decisões. Ele começa a investigar a morte de Jon Arryn e chega ao mesmo segredo que o morto descobriu: os cabelos loiros dos filhos de Cersei mostram que eles não são filhos de Robert e, por isso, não são herdeiros do trono. Ele comete o erro de confiar em Mindinho para ter a guarda da cidade ao seu lado e é traído. Preso e acusado de conspirar contra a coroa, Ned teme pela segurança de Sansa e Arya, que estão sozinhas na cidade (apesar de Arya ter Syrio Forel ao seu lado), e por isso aceita a proposta de Cersei de pedir perdão e servir na Patrulha da Noite. A Rainha Regente sabe que a morte do Lord de Winterfell poderia desencadear uma guerra indesejada e por isso exigiu apenas sua submissão. Mas ela não contava que o filho Joffrey, sedento de poder e crueldade, ordenaria a morte de Ned por decapitação, que acontece no nono episódio da primeira temporada.

Viserys e Daenerys

Enquanto tudo isso acontece em Westeros, a história de Viserys e Dany se desenrola para além do Mar Estreito. A jovem se casa com Khal Drogo, na promessa de que ele dará um exército para Viserys reconquistar Westeros para a família Targaryen. O começo do relacionamento é muito difícil para ela, que estranha os costumes brutos dos Dothraki. Mas aos poucos a jovem aprende a amar Drogo e engravida, carregando o bebê que se tornará “o garanhão que montará o mundo”. Se sentindo cada vez mais forte, Dany assume o protagonismo de sua história e Viserys começa a nutrir um ciúme perigoso de sua posição de poder. Desde a infância, o irmão mais velho dominou totalmente a vida de Dany, afirmando que ela poderia “acordar o Dragão” e para evitar isso deveria obedecer todas as suas ordens. Nos livros, a personagem relembra como os dois tiveram uma infância difícil e Viserys realmente a ajudou, mas em troca disso queria sua submissão completa. Viserys fica impaciente com a demora de Drogo em planejar a invasão a Westeros e faz um ultimato ao casal, ameaçando Daenerys quando ela já está grávida. Sem paciência para lidar com as exigências do rapaz e furioso pelas ameaças à família, Khal Drogo mata Viserys despejando em sua cabeça uma bacia de ouro fervendo. Infelizmente, o futuro que Daenerys se perde quando Drogo adoece após um ferimento de batalha e, na ânsia de salvá-lo, ela é enganada por Mirri Maz Duur e sacrifica seu bebê, ficando também estéril no processo. Sem esperanças, Dany entra em uma fogueira com seus ovos de dragão adormecidos e sai dela ilesa, com os três seres mágicos ao seu lado, tornando-se a Mãe de Dragões.