HQ/Livros

Notícia

Frank Miller | Autor é criticado após atacar movimento Occupy Wall Street

Miller diz que manifestantes deveriam alistar-se no exército

Érico Assis
17.11.2011, às 00H00
ATUALIZADA EM 29.06.2018, ÀS 02H37
ATUALIZADA EM 29.06.2018, ÀS 02H37

"O 'Occupy' não passa de um bando de turrões, bandidos e estupradores, uma turba indisciplinada, vivendo da nostalgia de Woodstock e de fétida e falsa honradez. A única coisa que esses palhaços conseguem é fazer mal à América".

Frank Miller

None
Frank Miller

O ataque ao movimento Occupy Wall Street - que se espalha pelos EUA em protestos de rua contra a situação econômica atual do país, dizendo que 99% da população só torna os 1% restantes mais ricos - são idênticos a muito do que se vê nos críticos de rádio e TV da direita nos EUA. Mas a coisa muda de figura quando as palavras vêm de Frank Miller.

O quadrinista e diretor de cinema postou o texto em seu blog. Com desprezo total pelo movimento, Miller diz que ele "não é mais do que uma modinha criada por moleques mimados de iPhones e iPads na mão que deviam sair da frente de quem quer trabalhar e procurar emprego (...) Em nome da decência, voltem para casa do papai, seus medíocres. Vão para o porão da mamãe brincar de Lords Of Warcraft".

O autor ainda sugere que o real problema que o país enfrenta é a al-Qaeda e o islamismo, e que os manifestantes deviam alistar-se no exército - "talvez nossos militares consigam botar razão na sua cabeça. Só que talvez não deixem você ficar com o iPhone."

A reação às declarações de Miller é majoritariamente negativa. Só em seu próprio blog, já são mais de 7000 comentários, vários no estilo "já fui seu grande fã...". Há quem diga que já via uma predisposição pela direita nas obras do autor como Cavaleiro das Trevas e 300 de Esparta, talvez mais explícita em Holy Terror, deste ano. Via Twitter, quadrinistas também se opõe ou surpreendem com o ataque. Ty Templeton fez uma pequena HQ onde Miller está com a cabeça enfiada no traseiro - "pelo menos aqui não tem esses terroristas muçulmanos que me dão medo".

Ann Nocenti, a escritora que substituiu Miller no Demolidor nos anos 80, manifestou-se ao site Bleeding Cool, dizendo que há um grande mal entendido quanto aos propósitos do Occupy Wall Street, no qual ela envolve-se ativamente. Mark Millar, em seu fórum, diz que, por mais que discorde de Miller em termos políticos, o autor deveria ter direito a liberdade de expressão - e que está assustado com a reação tão violenta dos fãs: "recomendo a todos meus leitores de esquerda que boicotem Miller tanto quanto fazem com HP Lovecraft, Steve Ditko, David Mamet ou qualquer outro escritor com quem você não compartilhe da filosofia, mas que fica feliz de ter na estante."

Também circula pela internet a página de Batman: Ano Um onde o homem-morcego interrompe um jantar de ricaços de Gotham City para dizer "vocês comeram a riqueza, o espírito de Gotham. Seu banquete está prestes a terminar. De agora em diante, nenhum de vocês está a salvo" - palavras que caberiam bem no Occupy Wall Street.

Conteúdo Patrocinado

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados e cookies para as finalidades ali constantes.