Filmes

Notícia

Vingadores: Guerra Infinita | Ator fala sobre futuro de personagem no MCU

[Cuidado com spoilers abaixo]

Camila Sousa
02.05.2018
10h08
Atualizada em
06.05.2018
03h05
Atualizada em 06.05.2018 às 03h05

[Spoilers de Vingadores: Guerra Infinita abaixo]

Marvel Studios/Divulgação

Em entrevista para a EW (via CBM), Ross Marquand falou sobre ter feito a voz do Caveira Vermelha em Vingadores: Guerra Infinita. O personagem, que foi visto pela última vez em Capitão América: O Primeiro Vingadores (2011), é o guardião da Joia da Alma no novo filme:

“A maior coisa que a Marvel queria era chegar perto do papel icônico que Hugo Weaving interpretou sete anos atrás, fazendo uma homenagem e trazendo algo novo ao mesmo tempo. Uma vez que o Caveira Vermelha toca o Tesseract, ele vai para esse plano astral intergaláctico por 70 anos. E, como os irmãos Russo apontaram para mim, depois que tentei aproximar minha voz da de Hugo Weaving, ‘ele ficou essencialmente sozinho nessa prisão intergaláctica por 70 anos. Ele vai soar um pouco diferente. Queremos que ele tenha essa voz etérea, com algo de fantasma. Tente isso’. Acho que eles poderiam ter dado uma referência parecida com a do Yoda. A ambição dele o levou para essa grande dor, mas também essa grande sabedoria, e acho que é isso o que eu quis mostrar na minha performance”.

“Acho que a coisa principal que eu quis explorar é que o Caveira Vermelha sente um pouco de remorso. Ele sente um certo nível de vergonha e perda, que ele conseguiu por sua própria ambição. É muito como Ícaro; ele voou tão alto – literalmente quando tocou o Tesseract e foi levado ao espaço – ele foi tão ambicioso que perdeu a noção de sua humanidade e agora ele sente um remorso genuíno sobre isso. Ele tem uma energia de desamparo. Quis mostrar isso no meu diálogo”.

Já questionado se voltará em outros longas no papel do vilão – em Vingadores 4, por exemplo – Marquand desconversou, mas disse o que gostaria de ver: “Eu não sei. Não posso falar sobre isso, mas obviamente eu adoraria interpretar o personagem de novo. É um personagem muito rico, especialmente agora que ele foi para o espaço e encontrou sua prisão lá (...). Ele mudou e nem sei se ele é um homem mais. Ele é quase como uma divindade fantasmagórica, que está a serviço da Joia da Alma. Seu único propósito é guiar as pessoas, mas você precisa imaginar: ainda há uma parte dele que tem ambição? Não sei. Seria realmente legal ver para onde o personagem irá. Mas essa realmente é uma questão para as pessoas da Marvel, os irmãos Russo e os roteiristas. Certamente não posso falar sobre isso”.

Vingadores: Guerra Infinita já está em cartaz nos cinemas e Vingadores 4 está marcado para 2 de maio de 2019. 

Por dentro de Vingadores: Guerra Infinita

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados para as finalidades ali constantes.