Tico e Teco - Defensores da Lei

Créditos da imagem: Tico e Teco - Defensores da Lei/Walt Disney Studios/Reprodução

Filmes

Entrevista

Como dupla de roteiristas fez de Tico e Teco um “reboot” nada convencional

Dan Gregor e Doug Mand revelaram ao Omelete os segredos por trás da nova animação do Disney+

Omelete
3 min de leitura
Mariana Canhisares
04.06.2022, às 06H00

Entre a caça aos easter eggs e a ousadia de ser tão puro e simplesmente bobo, transborda de Tico e Teco: Defensores da Lei um claro apreço pela dupla de esquilos aventureiros, e não é à toa. Corroteiristas do “reboot” — ou, melhor, do regresso —, Dan Gregor e Doug Mand fizeram parte da geração de espectadores americanos que corriam para casa depois da escola para assistir à programação da tarde da Disney. Eram, portanto, fãs de animações como Ducktales, Darkwing Duck e, é claro, Defensores da Lei. No entanto, os dois não quiseram apenas recriar o que já fora feito no filme da Disney+. Na realidade, embora exista nostalgia de sobra no longa, ela não é impositiva.

“Crescemos obcecados por esses personagens e esse mundinho, mas eu não tenho uma tatuagem do Tico e Teco”, explicou Gregor ao Omelete sobre seu desprendimento com o material-base — e prontamente foi interrompido por Mand:ainda não…” —. “Quando os revisitamos como adultos, era muito importante para nós que não tratássemos a animação com tanta santidade. A gente queria brincar e realmente fazer algo diferente. Não precisava ser como um episódio de Defensores da Lei, porque você pode assistir à série no Disney+”.

Parte da razão para que Tico e Teco tenha tomado rumos mais parecidos com Uma Cilada Para Roger Rabbit, isto é, fazendo mais comentários metalinguísticos do que seguindo à risca as convenções de Hollywood está na postura que os dois parceiros criativos encararam a proposta da Disney. “Nossa primeira pergunta foi: por quê? Qual é a razão para isso?”, lembrou Mand. “Então, levamos essas questões para o filme e as colocamos nas vozes dos personagens. ‘Alguém realmente quer um reboot? Alguém ainda se importa com a gente enquanto atores, ou com a série?’”. “O título original era The Rescue Rangers Reboot No One Asked For [O Reboot de Defensores da Lei que Ninguém Pediu, em tradução livre]”, completou Gregor.

Ninguém pediu de fato por esse filme, mas os próprios roteiristas chegaram à conclusão de que, sim, ainda havia um espaço para Tico e Teco. “Não é um reboot só por dinheiro. Algumas coisas valem ser revisitadas, e a gente queria que isso transparecesse no relacionamento deles. Além de serem atores, eles são em primeiro lugar amigos e eles se desentenderam. Queríamos que o filme tivesse esse coração, enquanto pudéssemos rir deles também. Tentamos encontrar esse equilíbrio entre o amor e a separação desses dois personagens, e o humor no quão ridículo é ser uma celebridade”.

A fama é um dos grandes temas do “reboot”, mas definitivamente não é o único. Tico e Teco: Defensores da Lei oferece ainda uma gama variada de piadas sobre animações e suas diferentes técnicas. E, novamente, Roger Rabbit serviu de referência nesse quesito, apenas com um porém: estamos diante de um filme de 2022 sobre os anos 1990, e não de um de 1988 sobre os anos 1950. Logo, há muito mais possibilidades, como a de transformar um dos protagonistas em uma figura 3D.

“Há todo tipo de novos tipos de personagem que poderiam existir nesse mundo. Então foi muito divertido para nós responder perguntas como onde eles vivem? Como que uma figura de 15cm usa um carro? E uma casa? Foram pequenos e deliciosos enigmas criativos”, descreveu Gregor.

Aliás, como em Roger Rabbit, Tico e Teco encontram durante sua investigação sobre o sumiço do seu bom e velho amigo Monterey Jack várias figuras conhecidas, e não apenas do catálogo de personagens da Disney. Acredite se quiser, até o Sonic feio tem um papel heróico nessa aventura. “É impressionante a quantidade de participações especiais que conseguimos. A gente ainda não acredita. Alguém vai soltar uma liminar contra o filme”, brincou Mand. “Eu ficaria atento o tempo todo, porque tem algumas coisas ali que ainda me chocam”.

Com dublagem de Andy Samberg e John Mulaney, Tico e Teco: Defensores da Lei já está disponível no Disney+.

Conteúdo Patrocinado

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados e cookies para as finalidades ali constantes.