Vingadores

Créditos da imagem: Marvel/Reprodução

Filmes

Artigo

Teoria: Porque a morte de Tony Stark é iminente em Vingadores: Ultimato

Herói pode virar uma espécie de JARVIS de quem herdar o manto do Homem de Ferro

Fábio de Souza Gomes
20.12.2018
13h30
Atualizada em
20.12.2018
14h15
Atualizada em 20.12.2018 às 14h15

O começo do trailer de Vingadores: Ultimato pode revelar muito mais do que imaginávamos. Isso porque podemos criar uma teoria de que o capacete do Homem de Ferro não estaria apenas gravando a mensagem de Tony Stark para Pepper Potts, como também estaria gravando todas as características do herói para transformá-lo em uma inteligência artificial.

Nos quadrinhos, Tony Stark entrou em coma após a Segunda Guerra Civil, mas o escritor Brian Michael Bendis encontrou uma maneira de mantê-lo “vivo” no Universo da Casa de Ideias. Antes da batalha decisiva que o derrubou, o herói gravou toda a sua personalidade em um computador e, com isso, virou uma espécie de JARVIS da Coração de Ferro – heroína que o substituiu nas HQs. Ao mesmo tempo que funcionava como um mentor, ele também auxiliava da mesma maneira que as inteligências artificiais o ajudavam no passado.

No cinema Stark já deu indícios de que trabalha há algum tempo com inteligência artificial. No início de Capitão América: Guerra Civil, ele recria artificialmente como seria o último dia ao lado de seus pais – que acabaram morrendo nas mãos do Soldado Invernal. O momento que Tony recria não é o que aconteceu, mas a versão que sonhava que tivesse acontecido.

Com isso, podemos assumir que Tony Stark já tem a tecnologia para criar uma inteligência artificial capaz de não apenas “imitar” a voz de uma pessoa mas, também, seria capaz de assumir a personalidade e as principais características do ser humano retratado. O capacete, então, seria uma forma de Tony Stark se manter vivo caso o pior aconteça.

Provavelmente, esse será o último filme de Robert Downey Jr. como o herói e junto com Chris Evans, ele fecharia o ciclo iniciado em 2008 e sua morte seria iminente. Contudo, sua relação com Kevin Feige, presidente do Marvel Studios, pode fazer com que ele assuma um papel coadjuvante em futuras produções e transformar Stark em uma espécie de mentor artificial da próxima pessoa a assumir o manto do Homem de Ferro seria uma forma de apresentar um novo herói sem causar estranheza ao público.