Tarantino responde sobre acidente de Uma Thurman: "É um dos maiores arrependimentos da minha vida"

Filmes

Notícia

Tarantino responde sobre acidente de Uma Thurman: "É um dos maiores arrependimentos da minha vida"

Diretor fala sobre atriz e Harvey Weinstein

Julia Sabbaga
06.02.2018
07h46
Atualizada em
07.02.2018
01h04
Atualizada em 07.02.2018 às 01h04

Quentin Tarantino falou ao Deadline sobre as acusações e histórias compartilhadas por Uma Thurman ao The New York Times, onde a atriz, além de relatar o absurdo por parte de Harvey Weinstein, compartilhou o acobertamento de um acidente no set de Kill Bill, quando Quentin Tarantino insistiu que dirigisse um carro por uma estrada perigosa (leia aqui).

O diretor inicia a entrevista dizendo que tinha conhecimento da matéria que seria publicada pelo NYT, e garante que o vídeo do acidente, desde então compartilhado, foi fornecido por ele mesmo: "Uma e eu conversamos sobre isso por um longo tempo, decidindo como ela faria a revelação. Ela queria esclarecer a história depois de tanto tempo. Ela perguntou se poderia ter o vídeo e eu tive que achar, 15 anos depois (...) Não acreditei, não pensei que encontraríamos. O acidente era claro. Fiquei feliz de ter conseguido o vídeo para ela".

"Uma queria acusar certas pessoas no artigo, por terem acobertado o acidente. Parte do meu trabalho era fazer uma entrevista com Maureen Dowd [jornalista da matéria de Thurman] e apoiar as acusações de Uma, mas eu e Dowd acabamos não nos encontrando. Eu li o artigo e parece que todos os caras chamaram advogados, então não foram nomeados, e eu acabei levando a culpa inteira".

Tarantino então relembra o dia de filmagens do acidente, dizendo que nunca considerou que a cena fosse perigosa. Ele diz ter se irritado com a hesitação da atriz porque não considerou que o momento precisaria de uma dublê. E então, ele comenta sobre o que sentiu assim que a atriz perdeu o controle do carro:

"Simplesmente horrível. Vê-la tentando assumir controle do carro... Fiquei lembrando de falar pra ela como era seguro e como ela poderia fazer, enfatizando que era uma estrada reta, reta... O fato de que ela acreditou em mim, e eu literalmente vi esta pequena curva surgindo. E ela roda em falso. Foi muito triste. De longe um dos maiores arrependimentos de minha carreira, um dos maiores arrependimentos da minha vida. Por muitos motivos". 

O diretor ainda diz que ele e Uma Thurman acreditam que o acobertamento do acidente aconteceu por produtores da Miramax e, em grande parte, por Harvey Weinstein. Sobre o abuso de Thurman por parte do executivo, Tarantino diz que sabia e que insistiu que Weinstein pedisse desculpas à atriz para que Kill Bill pudesse acontecer: "Eu disse que acreditava nela e que se fossemos fazer o filme, teríamos que acertar as contas". Ele disse não estar presente no momento do pedido de desculpas, mas que a atriz lhe disse que aconteceu. 

Finalmente, o diretor falou sobre ter esganado e cuspido na atriz nas filmagens do filme, trecho do NYT que chamou atenção na mídia. Neste quesito, Tarantino diz que não sente nenhum problema: "Não há nenhuma citação de Uma sobre isso. Ela não compartilhou isto com Maureen Dowd. Dowd entrevistou alguém que falou isto. Por algum motivo as pessoas estão falando muito sobre isso, mas eu não entendo. Você já viu filmes que pessoas levam cuspidas na cara?". O diretor diz que houve conversas com a atriz e que nada foi feito de um jeito abusivo. 

Na noite de ontem, dia 5, Uma Thurman postou o vídeo do acidente no Instagram, com um longo texto sobre o acobertamento e o arrependimento de Tarantino - veja aqui.