Filmes

Entrevista

Resident Evil 4: Recomeço: Omelete Entrevista Ali Larter

Atriz falou sobre o quarto filme da série, o 3-D e a série Heroes

Marcelo Forlani
01.09.2010, às 23H34
ATUALIZADA EM 09.11.2016, ÀS 08H07
ATUALIZADA EM 09.11.2016, ÀS 08H07

Em novembro do ano passado, o Omelete foi convidado para visitar o set de filmagens de Resident Evil 4: Recomeço em Toronto, no Canadá. Nós pudemos assistir à filmagem de uma cena e entrevistar todos os atores do elenco principal que estavam trabalhando naquele dia. Foi um dia muito produtivo.

No fim do dia tivemos a chance de conversar com Ali Larter e durante a entrevista ela nos falou sobre as mudanças que sua personagem, Claire, passou desde o filme último, como foi rodar em 3-D, o dia-a-dia com os outros atores, o treinamento e a série de TV Heroes, que naquela época ainda não havia sido cancelada. Veja o que ela falou:

Resident Evil - Ali Larter

None

Resident Evil - Ali Larter

None

Resident Evil - Ali Larter

None

Resident Evil - Ali Larter

None

Resident Evil - Ali Larter

None

Resident Evil - Ali Larter

None

Quais são as cenas deste filme foram as mais difíceis fisicamente e como você lidou com elas?

Ali Larter: Com certeza as cenas dos túneis estão nesta lista. Eu acho que uma das fantasias de Paul era nos deixar o mais sujo possível dentro dos padrões de um ser humano, além de nos colocar na pior situação possível. Então é um grande desafio, definitivamente nos coloca em nossos limites. Mas, ao mesmo tempo, é animador porque este filme tem a visão dele e nós estamos realmente empolgados em fazer parte disto. O que ele quiser, estamos aqui como jogadores de seu jogo.

Como seu personagem mudou do último filme?

Quando o filme começa, você vai ver que a Claire só conseguiu passar por aquilo por causa de seu instinto de sobrevivência. É uma forma interessante de trazê-la para este filme. Nós também iremos vê-la reencontrar o irmão e eu acho que isso é algo legal, dentro de um filme de ficção científica, é algo muito importante esse lance de sermos capazes de mergulhar e dimensionar uma relação humana. Oo pequenos detalhes disto. Não vai ser daquele tipo de reunião chorosa. A forma como Paul está montando a história para nos reunir vai ser uma grande seqüência. Mas acho que isso traz o elemento humano para o filme e uma forma que você possa se relacionar com os personagens. Você adentra a jornada deles. Eu acho que está é uma nova e ótima dimensão que está neste filme.

Qual é a sua dinâmica com a Milla?

É flutuante porque ela pegou o papel de cuidar de mim por um momento, ao mesmo tempo há algumas coisas que eu faço sozinha. Mas no final o que você vê é que essas garotas cuidam uma da outra e ponto final. Elas são sobreviventes. Sabe, uma das coisas que eu também adoro nesses filmes é que há espaço pra duas mulheres fortes e poderosas. Não há espaço para estrelismo ou briguinhas de meninas. É apenas isso, estas mulheres precisam sobreviver e, não importa se é homem ou mulher, calhou de serem duas mulheres. E você vê isso nelas. Elas têm os seus momentos momentos. O que elas passaram com o apocalipse do mundo e a dor disto, você reconhece estas pequenas coisas no filme e isto é importante. Você não pode apenas chutar umas bundas vendo o fim do mundo e não ter uma pausa às vezes e não ter um momento de grande gravidade sobre o que está acontecendo com estas pessoas.

Você tem uma grande cena de luta com Wentworth e Shawn. Vocês treinaram muito?

Sim. Ensaiamos muito para esta cena de ação, o que foi ótimo. Eu acho que muitos fãs vão ficar extasiados porque é muito parecida com o videogame. Foi extraído direto de lá e eu acho que, com este filme, uma das coisas mais empolgantes será que isso é muito parecido com o videogame. Quero dizer, eu estou vestida no figurino da Clarie. Você vai me ver como a personagem nesta cena de luta, será realmente mano-a-mano.

Você pode falar como é trabalhar com Wentworth?

Eu amo o Wentworth. Eu estava empolgada quando eles o escalaram. Ele e eu somos muito parecidos. Nós nos demos muito bem. Este é outro ponto neste filme. Não tem qualquer encanação, dramalhão ou ego. Nós gostamos um do outro. Eu e Milla nos damos muito bem juntas. Falamos o tempo todo. E apoiamos uma à outra durante as cenas. Se uma de nos sente que precisa de alguma coisa, uma apóia o ponto de vista da outra. E eu também fico assistindo quando ela atua. Eu a acho incrível e eu aprendo com ela. Com Wentworth, ele participou disto de braços abertos desde o começo. Se você vem para cá com o desejo de representar estes personagens de uma forma que os fãs vão amar, você tem que conhecer isto e trazer a sua melhor performance para este mundo, e fazer tudo muito bem e ele tem feito isso.

Você pode falar sobre as câmeras 3D. Como um ator, o processo fica mais lento. Você pode falar como é manter a energia neste ambiente?

Definitivamente este será o maior ensinamento para mim. Como um ator, sempre que começo um filme, aspectos diferentes da minha performance vão ocorrer de acordo com as necessidades envolvidas no set. E neste filme, certamente diz respeito ao lado tecnológico da coisa. Você tem que chegar até a sua marcação. Você não pode ir para frente ou para trás porque tudo está milimetricamente ajustado para o 3D. Tem sido realmente um grande aprendizado como fazer isto e também é empolgante estar em contato com esta tecnologia. A Phanton Camera é fantástica. Você já ouviu falar dela? Eu acompanhei algumas das diárias de filmagem. E isto aumenta a tensão. Transforma tudo em algo muito sensorial e é muito empolgante de se ver. A recompensa é que podemos ver o valor dela. Com isso, você tem que respeitar totalmente a marcação. Eu defendo tudo que o cameraman ou Paul precisam para filmar. E assim você sempre vai manter a energia em alta e saber que o que vir pela frente, será muito valioso.

Fiquei sabendo que em algumas seqüências de ação você pode trapacear nos chutes em 2D, mas você não pode em 3D.

Sim, tem alguns truques para isso também. (risos).

Pode falar um pouco sobre isso?

Sim, você não pode ficar presa a apenas esmurrar. Não sei como você vai escrever isso, mas ao invés de dar um soco de uma forma fraca e simples, você vai lá e coloca força de verdade. A forma como você verá na edição muda muito. Da mesma forma, temos que fazer muitos pulos e giros, porque se você perde um tem que refazer tudo. Eu tenho uma seqüência muito empolgante com o Executioner, e é muito legal. Ela se passa durante uma chuva torrencial. É realmente muito empolgante. Eu tenho que correr, pular e girar na parede e ele é um personagem que muitas pessoas adoram no jogo. Então Claire e o Executioner vão brigar de uma forma que vai saciar o apetite de todos.

Você recebeu algum treinamento específico para o papel?

Não, Rick, o nosso preparador físico, é ótimo. Nós vamos lá e aprendemos muito, mas para mim o mais importante é estar em forma. Este tipo de pessoa não sobreviveria se não estivesse em forma. E eu corro o tempo todo. Eu estou malhando de uma forma alucinada. Eu estou me cuidando para que, quando estiver fazendo estas coisas, pareça real. Quando você está disparando estas armas, quero dizer, se você nunca fez isso antes, nunca levantou um peso ou praticou esportes, não vai parecer real. Essa é uma das coisas que eu ouvi de um dos produtores e porque ele estava tão feliz com o que estamos fazendo aqui. Se você acredita nisto, você embarca na jornada com a gente. E este é um elemento primordial em um filme como este. Não é só incorporar um personagem. Os elementos físicos são essenciais.

Teve alguma hesitação em algum momento em reprisar a performance da Claire.

Eu acho que isto faz parte, mas ao final das contas é a visão do Paul. Ele escreveu tudo e, quando eu o encontrei, há 1 ano e meio, durante um evento de caridade, todos estavam falando: "Paul escreveu este papel incrível para você novamente e será uma jornada fantástica". Eu fiquei muito honrada que eles queriam me trazer de novo e, principalmente, por interpretar um personagem de um videogame que muitas pessoas adoram, e ser capaz de dar vida a ela e mostrar porque eles me quiseram de volta. Eu acho que os garotos e as garotas irão se divertir comigo neste papel. E isto será muito recompensador para mim.

Você está tendo um bom retorno dos fãs neste papel?

Sim, eles adoram. Muitos deles amam ver garotas duronas e eles adoram o cabelo vermelho e tê-la de volta. As pessoas estão muito empolgadas para ver o que vai acontecer quando ela reencontrar o irmão.

Vocês já comentaram alguma coisa sobre uma quinta parte?

Não, para mim eu estou bem empolgada trabalhando neste. Você nunca sabe como as coisas vão ser. Eu acho que será o maior e melhor filme da franquia Residente Evil principalmente por conta do 3D. Para mim, o que me empolgou para voltar foi que Paul estaria aqui para dirigir. Ele dirigiu algumas cenas no último, mas eu não tive aquela experiência com ele. Este mundo, ele criou tudo na cabeça dele. Para mim é como ser uma personagem neste jogo. Ele se envolveu totalmente do começo ao fim porque tudo é criação dele.

Há muitas criaturas neste filme. Você pode falar a sua favorita e contar sobre os cachorros?

Eu ainda não trabalhei com os cachorros, esta parte é mais da Alice. Mas é muito legal como eles abrem a boca. Outro dia eu ouvi o Paul dizer "Estes dentes estão muito simétricos. Eles têm que parecer mais tortos." É muito divertido.

E quanto aos Zumbis, tem algum favorito?

Para mim é o Exectioner. Eu o acho incrível. Quando você vê o machado, é extraordinário. É muito intimidador e grande e a forma com a qual filmamos foi ótima.

O quão grande é o cara. Ouvi dizer que eles escalaram um lutador de boxe para interpretá-lo.

Ele é enorme mesmo. Acho que ele deve ter uns 2,05 m. E a forma como foi filmado deixou ele parecendo que tem 2,5m. Você abaixa um pouco a câmera, me colocando um pouco de lado e pronto, ele parece enorme.

Você mencionou a jornada da Claire. Como um mercado perdido se encaixa nisso, porque você foi muito maternal com ela no último filme.

Uma das coisas que você verá quando encontrar a Claire é que o único motivo pelo qual ela sobreviveu foi retornar ao seu instinto de sobrevivência. E contra todas as apostas ela usou isso. Este é um dos grandes pontos sobre a Claire, porque eu amo interpretá-la, é porque ela é uma batalhadora. Você a coloca em qualquer situação e ela vai encontrar uma forma de sair daquilo. Não há tempo para choros ou "O que eu vou fazer agora?". Ela é uma lutadora nata. Você vai encontrá-la e à medida que o filme vai se desenvolvendo com uma jornada muito interessante enquanto ela vai revivendo seu passado. Quando ela volta para junto do K-Mart, você verá... hum, não posso falar tanta coisa (risos). Eu não posso dizer muito.

Como você reagiria se tivesse de lutar contra um tipo de praga zumbi apocalíptica?

Tentaria agir como Claire. Estou nisso há tanto tempo e, como mulher, é difícil a pressão que você tem no aspecto físico. A rejeição, a competição. Há tantos elementos que não facilitam as coisas. Para mim é como encontrar uma forma de adentrar em si mesma e relembrar a todo o momento o que é importante e deixar as coisas em uma certa perspectiva e viver o presente. Eu acho que é assim que a Claire sobrevive e eu acho que é como você tem que sobreviver nesta indústria. Você tem que focar no momento e ser muito grata por ter tudo isto neste mundo. Eu acho que, com ela, não há tempo para preocupações ou ficar fazendo drama. Ela foca no momento e vai sobreviver.

Então você quer dizer que estar em Hollywood é treinar para lidar com zumbis comedores de carne?

Sim. (risos)

Este é o dia 35 de 55. Você vai participar até o fim?

Não, eu vou voltar. Eu termino no dia 2 de dezembro. Eu cheguei aqui um pouco depois, mas termino no dia 2 e daí volto para o Heroes. Digo, vou passar algumas horas no salão para voltar a ser Tracy Strauss e daí volto para gravarmos o episódio final de duas horas de duração de Heroes.

Por falar em Heroes, você não ficou nervosa de que talvez não fosse dar certo.

Eu fiquei. Especialmente quando eu fiquei sabendo que Paul escreveu o papel para mim e eu estava realmente empolgada em voltar e interpretá-la. Por outro lado, Heroes é algo que tenho muito orgulho em fazer parte e eu acho que todos que trabalham neste meio, especialmente nos canais de televisão, têm consciência que o ator pode se ausentar em alguns episódios para fazer filmes. É bom para os dois lados. E eu sou muito sortuda que no programa temos um elenco tão grande que eles podem me liberar por um tempo e quando eu estiver pronta para voltar o programa vai ainda estar de pé.

Você teve que mudar a cor do cabelo muitas vezes?

Não. Mas isto é engraçado. É um visual diferente. No videogame ela tem aquela jaqueta de couro vermelha, além de ser durona. E é engraçado que ela é tão diferente do papel que eu tenho em Heroes.

Você acha que Heroes vai além desta temporada?

Eu realmente não sei. As pessoas especulam sobre isso. Uma das grandes coisas sobre o nosso programa é a audiência internacional que temos. Você viaja e pessoas da Ásia, Europa, amam o programa. Mas eu não sei o quanto isso impacta para o programa permanecer no ar nos EUA. E o clima ao se trabalhar na TV muda de acordo com a audiência semana a semana. Então, sabe, eu não sei se vão manter o programa no ar. O que sei é que estarei orgulhosa de estar no programa enquanto eles me quiserem por lá.

Este tipo de gênero é difícil de se manter no ar. O programa do Joss Whedon foi cancelado.

Eu vi isso. Bem, é diferente dos canais de TV a cabo em que eles permitem que os criadores desenvolvam a visão deles. Você vê Mad Men, e sabe que é uma condição mais estável. Você não tem dez cabeças do estúdio ao mesmo tempo, falando que eles tem que reescrever isto ou aquilo para explicar melhor tal coisa. Para mim, vou ver por quanto tempo ficarei no show e seu eu voltar para a televisão vou estar em uma situação em que, quem quer que o criador seja, ele tem que ter o poder de ter a sua visão bem clara. E para mim eu acho que este é o maior problema neste meio hoje.

Você é fã do Mad Men?

Oh, quem não é? É tão espetacular, sabe, eu dou risada com meu marido quando assistimos enquanto pensamos "Três minutos se passaram e ninguém disse nada". Não é fantástico? Você consegue viver e respirar com estes personagens e, como atriz, essa é uma das coisas mais interessante: poder descobrir coisas no momento e não há espaço para isto em muitos filmes. Então, este é um lado disto. Talvez eu consiga respirar um pouco depois disto.

Mas, dito isto, você está feliz com seu personagem em Heroes?

Sim, com certeza. Eu sempre vou ficar triste pelo que aconteceu com Nicky Sanders. Eu amei interpretá-la na primeira temporada. A primeira temporada sempre será um dos melhores momentos da minha vida em termos criativos. Eu estava aprendendo como trabalhar em um programa, aprendendo com o elenco, aprendendo que você não sabe o que vai acontecer nos próximos quatro episódios, este controle é maluco porque eu tinha vindo do cinema. Esta é uma coisa muito, muito nova para mim. Eu sempre fiquei triste por não ter dado certo, mas eu não estava em uma posição em que podia controlar a direção disto. Então se um dia eu voltar para isto novamente, eu vou tentar ter mais controle também.

Você já pensa no que vai fazer a seguir?

Sim. Eu ouvi dizer que alguns roteiros estão sendo enviados. Para mim, eu sinto como se eu já tivesse tido a minha dose disso, eu já tive uma grande performance dramática, especialmente trabalhando em Obsessed, o que tem sido uma grande experiência para mim. Agora, talvez uma comédia, não sei. Talvez uma história de amor. Quem sabe? Vamos ver o que vem pela frente.

Você deseja fazer mais coisas no gênero de horror com a vinda de mais um filme da franquia Premonição?

Eu gostaria. Para mim depende do personagem, não tanto do gênero. E o que tem a ver comigo. Eu estou empolgada por poder interpretar personagens interessantes e não apenas interpretar garotas que são as namoradas ou as esposas. Eu quero interpretar mulheres reais que lidam os seus problemas e paixões, não importa o formato que isto esteja.

Nós não vimos nenhuma cena sua hoje. Você pode dizer como é seu figurino?

Sim, é exatamente igual ao videogame. Eu tenho o colete vermelho, que é o que ela usa. Além disso, estou usando alguns jeans pretos, de uma forma que está de acordo com o mundo de Paul, bem durona.

Quais as armas que você usa no filme?

Eu tenho uma faca para arrancar suas tripas. Não, é pequena... mas pode acabar com você. (risos)

Resident Evil 4: Recomeço estreia em 17 de setembro

Conteúdo Patrocinado

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados e cookies para as finalidades ali constantes.