Filmes

Artigo

Pânico 4 | Entrevista Emma Roberts e Hayden Panettiere

As garotas falaram sobre a experiência de trabalhar com o elenco original no terror

Christina Radish
14.04.2011
09h07
Atualizada em
21.09.2014
14h19
Atualizada em 21.09.2014 às 14h19

Onze anos após o lançamento de Pânico 3, Pânico 4 (Scream 4) traz de volta Neve Campbell, Courteney Cox e David Arquette a Woodsboro, para onde Sidney (Campbell) retorna durante a divulgação de seu livro de auto-ajuda, Out of Darkness. Com ela, retornam os crimes a faca de Ghstface.

Os veteranos aparecem na continuação ao lado de uma nova geração de suspeitos/vítimas. Nossos parceiros do Collider falaram com as duas principais atrizes dessa leva, Emma Roberts e a Hayden Panettiere, que interpretam respectivamente a prima mais nova de Sidney e sua amiga cinéfila. Elas contam como foi trabalhar com o elenco original, o que as levou a participar da franquia, e como guardar o maior segredo do filme.

panico 4

None

panico 4

None

panico 4

None

panico 4

None

O que atraiu vocês nesse filme? Vocês eram fãs da franquia ou fãs de terror em geral?

Emma Roberts: Eu sou uma grande fã da franquia. Sou uma grande fã de Wes Craven e achei que o fato de ele voltar como diretor significaria que esse filme ficaria bom. Eu amei o papel, quando li o roteiro, achei uma personagem interessante. Eu nunca tinha feito um filme de terror, então por que não fazer?

Hayden Panettiere: É bem legal ser parte disso tudo. Durante quatro anos, eu estive em um seriado [Heroes] sci-fi e algumas vezes tinha um pouco de terror. Filmes de terror sempre são extremamente bons ou péssimos, então você tem que ser bem cuidadoso. Mas aí um filme como este. Eu gosto de já ter passado tanto tempo desde o último filme. É uma sequência, mas ao mesmo tempo é um reboot, uma combinação dos dois. A série habilmente remete às raízes [do gênero], usa muitos dos clichês para seu benefício e acabou crescendo com o público. Conforme as gerações vão passando, elas vão ficando mais inteligentes e mais difíceis de assustar. É um filme bem legal e é muito divertido ser parte disso. Quem não gostaria de estar em um filme do Pânico? Eu estava sentada no set pensando "não era pra eu estar assistindo a esse filme? Eu acho que não deveria estar aqui". Eu nunca me imaginei ao lado de Neve Campbell, na tela, gritando. Simplesmente não fazia sentido.

Emma, você se sentiu intimidada em ser uma novata nessa franquia, cercada pelo elenco original?

ER: Eu acho que não estava intimidada, mas estava muito animada. Eu não sabia o que esperar, então eu abandonei as expectativas e fui pensando "espero me divertir, espero que todos sejam legais e espero que façamos um bom filme".

Vocês puderam opinar no desfecho de seus personagens?

ER: Não pudemos opinar em nada.

HP: Ainda bem. Eu não sei se gostaria de poder opinar neste filme.

Contaram para vocês quem seria o assassino?

ER: Nós tivemos que manter tudo em segredo. Você não pode confiar em atores.

HP: Mas eu mentiria por nós!

Como foi filmar em Michigan? O que vocês fizeram enquanto não estavam trabalhando?

ER: Eu sinto como se tivéssemos sido escolhidos e aí começamos as filmagens logo em seguida. Nós ficamos em Michigan durante o verão e todos ficamos muito perto uns dos outros. Nós saíamos juntos, foi bem divertido. Arbor é uma cidade bem divertida.

HP: Foi bem legal ter o elenco original conosco e poder conhecê-los. A Neve alugou uma cabana em alguns fins de semana e chamou todos para um churrasco, que foi onde Anthony [Anderson] e David [Arquette] quase atearam fogo nas árvores. Nós nos entrosamos bastante. Foi bem parecido com um acampamento de verão.

Hayden, o que mais te assusta?

HP: Eu tive uma experiência em que eu achei que alguém estava invadindo minha casa. Acho que foi quando eu fiquei mais assustada em toda minha vida. Não sei se isso diz muito sobre mim. O medo, especialmente por ser uma mulher sozinha em casa, foi horrível. Teve um apagão na área em que eu morava e meu alarme disparou, mas não tinha ninguém invadindo a casa. Quando você sente que sua vida está em perigo, você entra num modo de instinto de sobrevivência. Quando eu percebi, estava no banheiro, com meu taser - eu tenho dez -, meu botão do pânico e meu celular. Foi a experiência mais terrível que eu já tive na vida. Esse desespero e o fato de não saber quem iria aparecer, o que iria acontecer e o que você teria que fazer é horrível. Eu achei que alguém estava invadindo, mas eu exagerei um pouco. Eu gritei "não atirem em mim, por favor! Sou eu! Sou eu! É a minha casa!". Eles vieram ao meu encontro, mas eles quase atiraram em mim. Não é brincadeira.

Você pôde experimentar a máscara do Ghostface?

HP: Eu não quero nem chegar perto daquela máscara!

Pânico 4 chega aos cinemas brasileiros nesta sexta-feira.

Leia mais sobre Pânico 4