Capa de Pandelivery

Créditos da imagem: Divulgação

Filmes

Entrevista

Conheça Pandelivery, documentário sobre a realidade de entregadores na pandemia

Projeto da Soalma Production teve seu primeiro trailer lançado e levanta discussão sobre as dificuldades e falta de apoio da categoria

Camila Sousa
01.07.2020
11h31
Atualizada em
01.07.2020
14h29
Atualizada em 01.07.2020 às 14h29

Quando o coronavírus chegou ao Brasil e o país (em parte) entrou em quarentena, uma das maiores garantias dadas à população foi a continuação de serviços considerados essenciais, como mercados, farmácias, e os entregadores de aplicativos, que levam comida e outros produtos com segurança para a casa das pessoas. Se antes o número de pedidos já era alto, afinal listar estabelecimentos em um único aplicativo tornou o acesso mais simples, durante a pandemia esse número aumentou ainda mais, com grande parte da população recorrendo ao serviço para evitar sair de casa. 

No entanto, esse aumento de procura passou longe de significar uma melhora de direitos para a categoria. Há algumas semanas, os entregadores começaram a deixar claro o quanto estão expostos ao vírus durante o trabalho, e o pouco apoio que recebem dos aplicativos para os quais prestam serviços. Essa é a realidade mostrada em Pandelivery - Quantas Vidas Vale o Frete Grátis?, documentário da Soalma Production que teve seu primeiro trailer divulgado um dia antes da paralisação da categoria, marcada para este dia 1º de julho.

Em entrevista ao Omelete, Guimel Salgado, um dos diretores do projeto, diz que a ideia inicial era fazer um longa de ficção, mas isso mudou com a chegada da quarentena: “Como será a última corrida de um entregador? O que ele pensa voltando pra casa? Ele bateu a meta dele? O que ele come chegando em casa depois de passar o dia entregando comida? Como que deve ser levar algo que ele nunca ouviu falar para um lugar que possivelmente ele nunca vai ter condições de morar? Essas questões sempre me assombraram, mostrar essa realidade seria uma crítica ao nosso próprio uso desses Apps. Quando a pandemia chegou, decidimos abrir da ficção e ir a campo registrar a realidade, ela já era o suficiente”. Além de dirigir o projeto ao lado de Antonio Matos, Salgado assina o roteiro ao lado dele e de Carol Rosa e divide a produção executiva com Marina Waldvogel

A ideia inicial era lançar o trailer de Pandelivery em 1º de julho, data em que a categoria anunciou uma paralisação e pediu apoio dos consumidores com diversas ações, como não pedir delivery em aplicativos neste dia e avaliá-los com notas baixas. No entanto, Salgado explica por que decidiu adiantar o lançamento: “Pensando melhor entendi que esse dia é único e exclusivo deles, é histórico, então vamos estar na paralisação, acompanhando dois de nossos personagens em luta desses direitos, essa vai ser nossa última captação para o curta-metragem que vamos lançar no final de julho”.

Ver o trailer de Pandelivery é agridoce, especialmente para quem costuma usar os aplicativos e gosta das facilidades que eles trazem, mas ainda não enxergou o outro lado dessa história. Para o diretor Guimel Salgado, o convívio com os personagens do documentário trouxe uma nova visão sobre o trabalho da categoria: “É impressionante. Os riscos que esses trabalhadores correm no dia a dia são altíssimos, então, todo dia é uma surpresa, surpresas boas e ruins. Aprender a conviver com isso no dia a dia de pessoas que você criou uma relação de carinho, é uma coisa que vai ficar pra vida”.

Com o lançamento previsto ainda para julho de 2020, Pandelivery - Quantas Vidas Vale o Frete Grátis? promete alimentar uma discussão que está longe de acabar. Guimel Salgado deixa claro que ninguém da equipe é contra o serviço de delivery, que de fato se tornou essencial durante a quarentena, mas são contra a falta de apoio dos aplicativos e a falta de direitos básicos para uma classe de trabalhadores que deveria ser muito mais valorizada.

“Espero que a recepção seja positiva, vamos mostrar a verdade né? Ela é dura, ela é bruta… e a pergunta é: você sabe o que acontece na vida de um entregador durante a pandemia e quem está a sua volta?”, finaliza.