Alien, O Poderoso Chefão e mais: os gatos mais icônicos do cinema

Filmes

Lista

Alien, O Poderoso Chefão e mais: os gatos mais icônicos do cinema

Uma lista para celebrar o dia internacional do gato

Julia Sabbaga
07.08.2020
15h52
Atualizada em
10.08.2020
17h30
Atualizada em 10.08.2020 às 17h30

Sejam os tradicionais companheiros de vilões, ou pequenos mascotes amigáveis, fato é que pequenos felinos adoram roubar a cena em filmes. Quem poderia imaginar que um dos momentos mais icônicos de O Poderoso Chefão seria com um pequeno gato ronronante? Ou que o companheiro de Ripley em Alien se tornaria um dos maiores sobreviventes da ficção científica?

Gatos sempre fizeram parte de grandes narrativas do cinema, e para celebrar o Dia Internacional do Gato, em 8 de agosto, vamos listar os 10 dos felinos mais icônicos do cinema. Ainda, para prestar homenagem aos corajosos bichanos da vida real que interpretaram estes personagens, deixamos de fora as animações, que não faltariam exemplos de ótimos felinos, desde Aristogatas, Oliver e sua Turma, e por aí vai. 

Confira abaixo os 10 gatos mais icônicos do cinema e deixe nos comentários outros felinos inesquecíveis que ficaram de fora da nossa lista. 

Goose - Capitã Marvel

Gata de Capitã Marvel
Marvel Studios/Divulgação

Em Capitã Marvel, a Marvel introduziu o seu melhor mascote (não considerando Rocket ou Groot, que são protagonistas de seus longas, claro), a gata Goose. A pequena companheira da heroína não apenas é muito mais do que parece, e tem carisma de sobra, como também rende algumas das melhores cenas de Nick Fury no MCU.

Apesar de se chamar Chewie nos quadrinhos (em homenagem ao Chewbacca de Star Wars), na adaptação cinematográfica o bichinho de estimação de Carol Danvers foi batizado em homenagem ao personagem Nick "Goose" Bradshaw, de Top Gun: Ases Indomáveis. 

Uma estrela toda vez que entra em cena, a pequena (que na vida real é macho) causou alguns problemas na produção, já que a protagonista Brie Larson é super alérgica a gatos. A solução foi alguns gatos CGI, um boneco de gato para que ela segurasse, e uma certa distância entre os dois toda vez que estavam juntos em cena. 

Fat Louie - O Diário da Princesa

Quem cresceu com O Diário da Princesa nunca esqueceria o pequeno Fat Louie, companheiro da Princesa Mia Thermopolis por toda suas aventuras inesperadas. Sem chamar muita atenção, o pequeno gato rende alguns dos momentos mais lindos do filme, e apesar de não interagir muito com a trama, sempre representa alguns dos sentimentos da protagonista. 

Para O Diário da Princesa, foram necessários quatro gatos para interpretar Fat Louie, e uma das trivias mais adoráveis do filme é que um deles era o gato de estimação da própria Anne Hathaway. Cada um deles tinha uma especialidade diferente - um ficava parado, outro era para ser carregado, outro para se mexer de acordo com treinamentos e um específico para a cena em que Fat Louie se deita em cima do envelope que cai do diário de Mia. O fato de que cada um é tão específico e especial comprova uma das ideias do filme: gatos são mesmo realeza.

Ulysses - Inside Llewyn Davis: Balada de um Homem Comum

Sobre gatos companheiros, poucos ultrapassam o pequeno Ulysses, de Inside Llewyn Davis: Balada de um Homem Comum. O misterioso mascote do protagonista do filme dos irmãos Coen gerou diversas teorias sobre o seu significado - talvez tão místico quanto o filme - mas o consenso é de que Ulysses humaniza o protagonista, e é um reflexo de sua consciência. 

Filmar o gatinho laranja não foi nada fácil. Como Ethan Coen comenta nos extras do DVD do filme, "Cachorros querem te agradar. Gatos só querem agradar a si mesmos. Um gato é basicamente impossível de treinar. Nós temos muitas gravações de gatos fazendo coisas que a gente não queria, se alguém estiver interessado. Não sei se existe um mercado para isso". 

Thackery Binx - Abracadabra

Apesar de receber críticas negativas na época de seu lançamento, Abracadabra acabou se tornando um sucesso cult com o passar dos anos, e muito disso é por causa do carisma de seus protagonistas. Entre eles, está o emblemático gatinho Thackery Binx, na realidade um garoto, amaldiçoado pelas protagonistas a viver como um gatinho preto imortal. Vivido por Sean Murray em sua forma humana, a versão gato de Binx tem a voz de James Marsden

Uma mistura de CGI, gato de verdade e um boneco, Binx também tem um legado marcante, já que sua versão animatrônica se tornou, três anos depois, o icônico gato Salem na série de Sabrina, Aprendiz de Feiticeira. 

Church - Cemitério Maldito

Chegamos a um gato não exatamente carismatico, mas certamente icônico: Church, o felino aterrorizante de Cemitério Maldito. Já tendo se tornado a figura mais icônica do livro de 83 de Stephen King, Church foi levado às telas nas duas versões do longa, de 89 e 2019, e ambas trazem um pequeno gatinho fofo que se torna horripilante com o desenrolar da trama. 

Para o remake de 2019, foram escalados cinco gatos diferentes, que tinham seus próprios trailers nos bastidores da produção, onde ficavam com seus respectivos treinadores. Todos foram encontrados em abrigos, e até o fim das filmagens, eles tinham sido adotados por diferentes membros da equipe. Segundo a coordenadora dos felinos, Melissa Millett, é impossível trabalhar com gatinhos infelizes, então tudo foi feito para acomodá-los da melhor maneira possível. Entre as filmagens, os cinco tinham um pátio exclusivo para brincar e descansar. 

Sassy - A Incrível Jornada

Quando se trata de filmes com animais, poucos foram tão marcantes quando A Incrível Jornada, longa de 1993 da Disney, e remake do longa de 1963 do mesmo nome. Os dois filmes, baseados no livro de Sheila Burnford, contam a história de dois cães e um gato que atravessam a cordilheira de Serra Nevada, na Califórnia, para reencontrar seus donos. 

A pequena Sassy, uma gata da raça Himalaia, é dublada por Sally Field, marcando como a única felina falante da nossa lista. Com isso, Sassy consegue representar tudo que amamos nos gatos: a independência, ousadia e atrevimento, além de muito carisma. 

Por causa dos mil malabarismos que a produção de A Incrível Jornada teve que fazer - que incluem correr em diferentes vegetações e atravessar uma cachoeira - foram necessários 10 gatos para atuar como Sassy, além de bonecos e animatrônicos. De acordo com o treinador de cachorros do filme, Gary “Sam” Vaughn, a principal intérprete de Sassy, Tiki, fez amizade com seus companheiros de tela: "Por natureza eles não se dão bem. Mas nossos animais passaram tanto tempo juntos que se tornaram muito próximos".

O gato branco - Moscou Contra 007

Pela nossa lista, já deu para entender que gatos são seres difíceis de treinar. Mas se tem uma coisa que gatos sabem fazer, e os filmes adoram se aproveitar disso, é sentar no colo de vilões. Um dos responsáveis pela criação deste clichê é o vilão Ernst Stavro Blofeld, de Moscou Contra 007, que está sempre acariciando o lindo gato branco (não há consenso sobre se este pequeno bichano é um persa ou angorá).

Depois da primeira aparição, Blofeld aparece segurando seu icônico gato em 007 Contra a Chantagem Atômica, Com 007 Só Se Vive Duas Vezes, 007 - A Serviço Secreto de Sua Majestade, 007 - Os Diamantes São Eternos, 007 - Somente Para Seus Olhos e 007 Contra Spectre.

Além de ter lançado a tradição, o gato de Blofeld também inspirou outro dos gatos icônicos do cinema, que definitivamente merece menção: o Mr. Bigglesworth, do Dr. Evil, de Austin Powers. 

Jones - Alien, o Oitavo Passageiro

Chegando ao top 3 dos gatos mais icônicos do cinema, finalmente introduzimos um dos felinos mais resistentes das telas, o pequeno Jones de Alien - O Oitavo Passageiro. O companheiro felino, responsável por caçar e eliminar os roedores da USCSS Nostromo, acaba fazendo muito mais que isso, servindo também como um fiel escudeiro e rendendo ótimos sustos para o espectador. 

O instinto de sobrevivência e companheirismo de Jonesy é tamanho que ele se torna um dos últimos sobreviventes dos eventos do primeiro filme e, claro, está lá também marcando presença em Aliens, o Resgate. E exercer esse cargo não deve ter sido fácil para o gatinho: para conseguir a reação que Jones tem quando vê o xenomorfo, foi necessário colocá-lo frente a frente com um Pastor Alemão. 

O pequeno companheiro de Ripley fez tanto sucesso que recentemente ganhou sua própria HQ, Jonesy: Nine Lives on the Nostromo.

Gato cinza - O Poderoso Chefão

Baseado na obra de Mario Puzo, O Poderoso Chefão é um filme de drama, máfia, crime, assassinatos e intrigas, e foi, por algum tempo, o filme mais lucrativo de todos os tempos. Ele tem Marlon Brando, Al Pacino, James Caan, Robert Duvall, Diane Keaton. Foi indicado a 11 Oscars, levou 3, incluindo Melhor Filme. E qual é sua foto mais memorável? A do gato no colo de Vito Corleone

O interessante é que este pequeno bichano, por mais icônico que tenha se tornado na história do cinema, não tem nenhuma utilidade para a trama de O Poderoso Chefão, e só tem destaque naquela cena inicial, e isso é porque a presença do gato não era nada planejada. O diretor Francis Ford Coppola encontrou o gatinho rajado andando pelo estúdio e simplesmente colocou no colo de Marlon Brando, que não contestou. O resultado foi um gatinho tão feliz com as carícias do protagonista que não parava de ronronar, e quase estragou o áudio das tomadas da cena. Mas valeu a pena.

Cat - Bonequinha de Luxo

O gato sem nome de Bonequinha de Luxo não poderia ficar em outra posição na nossa lista de gatos mais icônicos. O pequeno personagem não só é um dos animais mais memoráveis do cinema, representando a complexidade de sua dona, como seu intérprete, chamado Orangey, é também uma das maiores celebridades animais da indústria. 

Orangey ganhou seu segundo Patsy Award (o Oscar dos animais) por seu trabalho em Bonequinha de Luxo (seu primeiro havia sido com Um Gato em Minha Vida) e tinha uma paciência inigualável, cobiçado nas produções por sua habilidade de ficar horas e horas gravando. Mas sua função na comédia romântica não foi fácil, e inclui uma cena em que ele é jogado para fora de um carro na chuva - o momento seria mais tarde descrito por Hepburn como "uma das coisas de mais mau gosto que teve que fazer".

Até hoje, Orangey é o único gato a ter mais de um Patsy Award (a premiação foi encerrada em 1986). Não se sabe quando o pequeno gatinho se foi, mas ele está enterrado no cemitério de Hollywood, Forest Lawn Memorial Park.