A Órfã da vida real? Adulta se passando por criança tenta matar pais adotivos

Créditos da imagem: Divulgação/Dark Castle Entertainment

Filmes

Notícia

A Órfã da vida real? Adulta se passando por criança tenta matar pais adotivos

Acusados de abandonar a filha adotiva, casal alega que foi enganado por ucraniana assassina

Gabriel Avila
25.09.2019
19h00

Em 2014, Kristine e Michael Barnett foram denunciados por abandono infantil ao se mudar para o Canadá com seus três filhos deixando para trás Natalia Grace, uma garota ucraniana que havia sido adotada pelo casal três anos antes. Entretanto, o casal se defende afirmando que não se tratava de uma criança, mas sim de uma mulher adulta se passando por uma menina, que por várias vezes tentou assassiná-los.

O bizarro caso policial se tornou manchete nos EUA por uma sinistra semelhança com o enredo de A Órfã, suspense lançado em 2009 que acompanha um casal que decide adotar uma criança após passar pela traumatizante morte de um de seus filhos durante o nascimento. Porém, Esther (Isabelle Fuhrman) era uma adulta de 33 anos se passando por criança para matar sua família adotiva.

Na vida real, Natalia foi adotada pelos Barnett após seus pais adotivos anteriores desistirem de sua guarda por razões não reveladas. Segundo seus documentos, ela havia nascido em 2003 e estava nos EUA há dois anos. Diagnosticada com displasia espondilometafisária, condição que causa nanismo e má formação óssea, Natalia se passou por criança embora tivesse características adultas tanto físicas, como pelos pubianos, quanto comportamentais, com destaque para um vocabulário maduro. Com o passar do tempo, o casal passou a desconfiar da fraude e encomendou um exame que atestava sua filha adotiva como adolescente. Após seu disfarce ser parcialmente descoberto, a jovem passou a se comportar de maneira nociva dentro de casa.

Em entrevista ao Daily Mail, Kristine afirma que ela atacou uma criança dentro de casa e passou a fazer ameaças de morte à família: “Ela ficava parada na frente das pessoas no meio da noite. Você não conseguia dormir. Tivemos de esconder todos os objetos pontiagudos”. A matriarca afirma que viu Natalia colocando alvejante em seu café, manchando espelhos com sangue e fazendo coisas que “você nunca poderia imaginar uma criancinha fazendo”.

Aterrorizados, os Barnett levaram sua filha adotiva a diversas clínicas psicológicas e psiquiátricas, onde ela “enganou” diversos profissionais da área até que a fraude de seus documentos na Ucrânia foi descoberta. Lutando para restabelecer a sanidade em seu lar, eles seguiram arcando com seu tratamento psicológico de Natalia, que agora passava em clínicas para adultos. Por fim, o casal alugou um apartamento para a impostora e se mudou para o Canadá em busca de segurança. A paz durou pouco, pois Natalia cortou contato com seus pais adotivos pouco tempo depois, e em 2014, procurou a polícia alegando que foi abandonada em casa.

O casal foi procurado pela polícia e processado após um Michael afirmar em um depoimento que ela parecia adulta mas era na verdade uma criança. O advogado do casal nega que seu cliente tenha feito tal confissão, que teria sido obtida durante uma conversa sem sua presença. Os Barnett pagaram fianças de aproximadamente US$ 5 mil e seguem respondendo ao processo, já Natalia foi adotada por um novo casal que se comoveu com sua versão, acreditando que se tratava de uma criança. Assustada pelas implicações da história em sua vida, Kristine relembra o último contato com ela: “a última vez que nos falamos no telefone, ela disse que estava cozinhando macarrão para sua nova família”.