Filmes

Lista

As 10 maiores surpresas de bilheteria da história

Filmes que renderam um retorno completamente inesperado para os estúdios em seus lançamentos

A cozinha
14.03.2020
11h06
Atualizada em
14.03.2020
21h27
Atualizada em 14.03.2020 às 21h27

Embora as bilheterias de Hollywood sejam hoje dominadas por blockbusters e adaptações de HQs famosas, vez ou outra os estúdios conseguem tirar dinheiro de algumas produções improváveis. Muitas vezes, filmes de baixo orçamento que contam com orçamentos baixos e direção de cineastas iniciantes rendem cifras inesperadas nas bilheterias mundiais e tornam-se verdadeiros fenômenos das telonas.

Confira na Omelista 10 das maiores surpresas da história das bilheterias.

Um Lugar Silencioso

Numa fazenda dos Estados Unidos, uma família se vê obrigada a manter silêncio absoluto para não ser capturada por criaturas alienígenas que podem detectar sua presença através do som. O filme, que contava com uma premissa original, marcou a estreia de John Krasinski na direção de um longa-metragem e rendeu uma sequência, que será lançada em 2020.

Custo: US$ 17 milhões

Bilheteria mundial: US$ 340 milhões

Se Beber, Não Case

Dirigido por Todd Phillips (Coringa), Se Beber Não Case mostra a história de quatro amigos que planejam uma despedida de solteiro em Las Vegas, nos Estados Unidos, e acabam perdendo o controle e a memória após serem drogados. O filme, que fez pouco alarde antes da estreia, se tornou um grande sucesso mundial e ainda levou o prêmio de Melhor Filme Musical ou Comédia no Globo de Ouro de 2010.

Custo: US$ 35 milhões

Bilheteria mundial: US$ 468 milhões

Pequena Miss Sunshine

Com elenco recheado de estrelas como Steve Carell, Alan Arkin, Toni Colette, Greg Kinnear, Paul Dano e uma ainda desconhecida Abigail Breslin, Pequena Miss Sunshine é uma produção independente que mostra a trajetória de uma família que embarca em uma Kombi amarela para levar a caçula para um concurso de beleza. A comédia dramática, de orçamento baixíssimo, encantou crítica e público, sendo premiada com o Oscar de Melhor Ator Coadjuvante (Arkin) e Melhor Roteiro Original em 2007.

Custo: US$ 8 milhões

Bilheteria mundial: US$ 101 milhões

Fragmentado

Visto como o retorno à boa forma do diretor M. Night Shyamalan e mostra um homem que sofre de transtorno dissociativo de identidade, com 23 personalidades habitando sua cabeça. Em preparação para a chegada de uma nova identidade, o homem, vivido por James McAvoy, sequestra e aterroriza três adolescentes. A atuação brilhante de McAvoy e o final surpreendente, marca registrada de Shyamalan, fizeram com que o filme tivesse uma divulgação boca a boca gigantesca, muito mais eficaz que sua própria campanha de marketing.

Custo: US$ 9 milhões

Bilheteria mundial:  US$ 278,5 milhões

Intocáveis

A comédia dramática francesa adaptada da autobiografia de Phillipe Pozo di Borgo retrata a relação entre um aristocrata francês preso em uma cadeira de rodas e seu enfermeiro, que, inicialmente, havia aceitado a entrevista de emprego apenas para receber seu seguro desemprego. A dinâmica da dupla e suas personalidades opostas fizeram do pequeno longa francês um sucesso mundial e revelaram o ator Omar Sy, que, a partir daí, participaria de filmes como X-Men: Dias de Um Futuro Esquecido, Transformers: O Último Cavaleiro e Jurassic World.

Custo: US$ 10 milhões

Bilheteria mundial: US$ 426 milhões

Corra!

Terror e suspense escrito e dirigido pelo comediante Jordan Peele, Corra! foi lançado no mesmo ano de Um Lugar Silencioso e arrancou ainda mais elogios por suas críticas sociais e abordagem das questões raciais nos Estados Unidos. Elogiadíssimo, o filme foi premiado com o Oscar de Melhor Roteiro Original. Com o sucesso, o nome de Peele se tornou um grande atrativo na indústria, com o cineasta sendo procurado para assinar roteiros e tendo seu nome associado a diferentes longas e séries desde a estreia de Corra!.

Custo: US$ 4,5 milhões

Bilheteria mundial: US$ 255 milhões

Jogos Mortais

Responsável por lançar James Wan em Hollywood, Jogos Mortais mostra dois estranhos que são colocados em um mesmo quarto abandonado por um sádico assassino em série que dá à dupla uma escolha: arrancar uma das pernas com uma serra, ou morrer de inanição em seu cativeiro. O suspense psicológico levou multidões ao cinema e deu origem à franquia que, em 2020, chegará a seu nono filme com Espiral, estrelado por Chris Rock e Samuel L Jackson.

Custo: US$ 1,2 milhão

Bilheteria mundial: US$ 103 milhões

Rocky

Rocky tem uma das histórias mais curiosas do cinema. Escrito por Sylvester Stallone, o roteiro do filme recebeu a oferta de diversos estúdios, que se negavam a deixar Sly atuar no papel principal, sua única grande exigência na época. Sem dinheiro para comer, o ator chegou a ter que vender seu cachorro antes de aceitar a oferta de US$ 25 mil pelo script e um salário relativamente baixo para estrelar o longa, que venceria o Oscar de Melhor Filme daquele ano e daria origem a cinco sequências e dois derivados.

Custo: US$ 1 milhão

Bilheteria mundial: US$ 117 milhões

Bruxa de Blair

Grande precursor do terror “found footage”, ou “filmagem encontrada”, A Bruxa de Blair mostra três viajantes que são aterrorizados por uma entidade paranormal. O filme foi anunciado como uma edição real das imagens encontradas do grupo e, mesmo com o baixo orçamento, rendeu milhões graças à curiosidade do público, que por muito tempo acreditou que as imagens vistas na telona eram reais.

Custo: US$ 60 mil

Bilheteria mundial: US$ 193 milhões

Atividade Paranormal

Outro terror responsável por lançar uma tendência, Atividade Paranormal usa imagens de câmeras de uma residência para registrar supostas aparições e ocorrências sobrenaturais reais que aconteceram em uma casa. Assim como Fragmentado, o boca a boca teve grande impacto na divulgação do filme, que se tornou uma longa franquia no cinema.

Custo: US$ 15 mil

Bilheteria mundial: US$ 193 milhões