Filmes

Entrevista

Omelete entrevista: Reese Witherspoon

Omelete entrevista: Reese Witherspoon

Marcelo Forlani
14.11.2003
00h00
Atualizada em
04.11.2016
01h00
Atualizada em 04.11.2016 às 01h00

Legalmente Loira 2

Doce Lar

Legalmente loira

Reese Whiterspoon surgiu para os fãs do cinema em tons de cinza, no filme Pleasantville - A Vida em preto e branco, em que co-estrelava com o Tobey Maguire (Homem-Aranha). Mas foi loira e rosa que ela ganhou fama mundial, ao fazer Legalmente Loira. Ela começou, então, sua escalada na lista de atrizes poderosas de Hollywood. Com Doce Lar (Sweet home Alabama), ela conseguiu ultrapassar pela primeira vez a barreira dos 100 milhões de dólares nas bilheterias. Com um barrigão de 5 meses, Reese deu um tempo na gravação de Vanity fair, seu filme com a diretora Mira Nair, para falar com o Omelete.

Confira os melhores momentos deste descontraído bate-papo:

Qual a sua cena favorita em Legalmente Loira 2?

(Longo silêncio seguido por risadas) Gosto daquelas partes "peixe fora d´água", como quando ela vai pela primeira vez ao Congresso. Eu também sou daquele jeito. Não tenho medo de fazer papel de ridículo se estou me divertindo.

Quando você fez o primeiro Legalmente loira, imaginava tanto sucesso?

Não. Tivemos uma ótima resposta do público. Não sabia que o filme seria tão inspirador para as pessoas.

E como foi a pressão de fazer este segundo filme?

Tem muita pressão, não vou mentir. Não só neste projeto, mas também em outros em que estou envolvida. Mas continuo trabalhando duro como sempre. Não dá para prever como o público vai reagir.

Você também está produzindo Legalmente loira 2. O que te levou a querer também o cargo de produtora executiva?

Quando li o roteiro, tive várias idéias de como eu queria que este filme fosse e como eu achava que ele poderia chegar ao potencial máximo de uma seqüência. Então, eu falei com os executivos e eles me deixaram produzir. Foi uma ótima experiência, pois acho que aprendi muito. É muito bom estar envolvida desde o começo, porque dá para incorporar várias idéias suas no roteiro.

Como atriz você não tinha este poder?

Não é a mesma coisa porque como produtora você tem de começar antes, principalmente com o roteiro, colocando suas idéias no papel. Daí, elas são mostradas para o estúdio, passam por aprovação, etc.

Por que você escolheu um diretor de filmes independentes para um projeto tão comercial?

Quando vi Beijando Jessica Stein, eu achei muito engraçado. E ao mesmo tempo, o filme tratava de temas super sensíveis. Quando nós conversamos sobre este filme, Charles mostrou que sabia do que estávamos falando. Ele conhecia este sentimento de ser um peixe fora d´água. Ele lidou muito bem com esta pressão de fazer um filme grande.

No filme, o noivo de Elle aceita mudar o casamento para apoiá-la, o que não é algo comum para um homem. Na sua vida pessoal, existem similaridades com seu personagem?

Um pouco. o filme é o sonho de qualquer mulher. Meu marido me entende. Quando um trabalha, o outro cuida das crianças.

Você acha que o fato de vocês dois serem atores facilita?

Acho que sim porque ele entende um pouco melhor, mas casamento é sempre um desafio.

Ultimamente a mídia tem colocado vocês dois muito em exposição. Como vocês conseguem lidar com isso?

Algumas coisas são realmente complicadas, como a invasão de privacidade. Eles começaram a falar que eu estava grávida nos tablóides, ficaram mexendo no lixo de casa. Essas pessoas constróem um carma tão tuim para eles.

Você está numa linha ascendente nas listas das pessoas mais poderosas de Hollywood. As coisas estão mais fáceis?

Os últimos dois anos têm sido ótimos. Tenho conseguido concretizar vários objetivos traçados com o trabalho que venho fazendo. Agora consigo criar oportunidades de finalmente trabalhar com as pessoas com quem sempre sonhei. Filmar Vanity Fair com Mira Nair é um deles. Dois anos atrás, eu não poderia participar de um projeto dela. Eu não ia ajudar em nada. Hoje, podemos sentar e pensar no filme que queremos fazer juntas.

A gravidez tem dificultado o seu trabalho?

Um pouco. Alguns dias eu fico cansada. Durante as gravações de Vanity Fair, um destes filmes britânicos de época, ela [Mira Nair] criou um número à Bollywood, com danças indianas e tudo. Nós passamos três dias dançando sem parar e eu chegava em casa exausta. Como estou grávida, ficava pensando ninguém me avisou que eu teria que fazer isso [risos]. Mas o filme está ficando ótimo!

Você acha que Elle Woods sobreviveria em Londres, com este tempo sempre cinzento, os tablóides, etc?

Eles chegaram a pensar em fazer o segundo filme aqui em Londres, mostrando Elle indo a um pub e outras coisas. Talvez este seja o tema do terceiro filme. Ah, e eu acho que ela ia se virar muito bem, sim. Afinal, tem a Harrods! [risos]

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados para as finalidades ali constantes.