Filmes

Notícia

Nada a Perder | Site americano apaga críticas sobre filme após denúncias de que teriam sido escritas por robôs [ATUALIZADO]

Das 150 resenhas, o veículo manteve somente 17

Mariana Canhisares
16.04.2018
18h05
Atualizada em
17.04.2018
15h28
Atualizada em 17.04.2018 às 15h28

Nada a Perder, a cinebiografia do Edir Macedo, atingiu a nota 10 no site americano IMDB, uma avaliação comparável a clássicos como O Poderoso Chefão. Porém, em pouco tempo, o portal recebeu várias denúncias, alegando que as críticas seriam escritas por robôs. Segundo o UOL, os textos parecem ser de brasileiros escrevendo em inglês.

O IMDB, então, reduziu de 150 para 7 o número de resenhas sobre o filme, de modo que a média caiu para 9.

Em relação às notas dos usuários, notam-se avaliações extremas: 15 mil pessoas deram nota 10, enquanto 1,3 mil deram 1. Notas intermediárias representam 1%, isto é, a opinião de 183 usuários.

[Atualização 17/4, às 15h24]Igreja Universal do Reino de Deus afirmou, em nota, que a atitude do IMDB foi preconceituosa e negou que tenha usado robôs. Segue o texto na íntegra:

"Com referência ao texto “Nada a Perder | Site americano apaga críticas sobre filme após denúncias de que teriam sido escritas por robôs”, a Igreja Universal do Reino de Deus lamenta que, novamente, o preconceito religioso dê o tom da cobertura jornalística do filme “Nada a Perder”.

"Convidamos publicamente as pessoas que assistiram ao filme para que compartilhassem sua experiência em sites de avaliação. Ninguém pediu elogios ou notas altas, como comprova a postagem no Facebook do dia 4/4: https://www.facebook.com/IgrejaUniversal/posts/2068036796540844

"Utilizamos nossa capacidade de mobilizar as pessoas para que o filme fosse assistido. A Universal não tem “robôs”, tem milhões de adeptos e seguidores nas redes sociais que existem e têm nome, e podem ser confrontados por qualquer veículo que queira confirmar.

"Por outro lado, devemos questionar o que levou o IMDb, de modo preconceituoso, a apagar apenas as postagens positivas. Com que base poderiam fazer isso? Esta é uma explicação que a Imprensa deveria buscar.

"Este episódio joga luz sobre outra questão: por que razão os adeptos da Universal continuam sendo ignorados? Não podem frequentar cinemas, avaliar filmes em sites colaborativos, comprar livros, ou mesmo distribuir ingressos de cinema voluntariamente. São vigiados, contados, censurados como se fossem consumidores de segunda classe.

"Por fim, vale destacar a questão de concentração de notas 1 e 10 na avaliação do filme no IMDb. Na verdade, isso é um triste retrato da sociedade: há uma grande maioria que respeita e ama o trabalho da Universal. Mas uma pequena minoria que tem verdadeiro preconceito contra a instituição.

"Não deveria haver lugar para tal em uma sociedade desenvolvida." [fim da atualização]

Nada a Perder está em cartaz no Brasil. O longa estreia nos Estados Unidos em 10 de maio.