Filmes

Notícia

Louis C.K. é acusado de assédio por cinco mulheres [ATUALIZADO]

Casos aconteceram no período de muito sucesso do comediante nos anos 2000

Mariana Canhisares
09.11.2017
22h01
Atualizada em
10.11.2017
15h22
Atualizada em 10.11.2017 às 15h22

Cinco mulheres afirmam que Louis C.K. as assediou durante os anos 2000, de acordo com reportagem do New York Times. Segundo os relatos, o comediante se masturbava em frente às vítimas.

A dupla de comediantes Dana Min Goodman e Julia Wolov conta que, em 2002, se apresentaram no U.S. Comedy Arts Festival e receberam o convite de Louis C.K. para ir para seu quarto de hotel, tomar uns drinks. Elas toparam, já que todos os bares estavam fechados e ele, um profissional que admiravam, não parecia mal-intencionado.

Chegando lá, ele perguntou se poderia colocar seu pênis para fora da calça. Elas riram, achando que era piada, até que ele mostrou a genital. "Ele tirou sua roupa, ficou completamente nu e começou a se masturbar", afirma Goodman.

Rebecca Corry, também comediante, conta que em 2005 filmava piloto com Louis C.K., quando ele perguntou se poderiam ir para o camarim para ele se masturbar na sua frente. Ela disse "não", irritada, o lembrando de que tinha uma esposa grávida e filha. "A cara dele ficou vermelha e ele me disse que tinha problemas."

No período em que os assédios teriam acontecido, Louis C.K. vivia um dos momentos mais altos da carreira. Nessa época, por exemplo, ele vendeu todos os ingressos de suas apresentações no Madison Square Garden oito vezes e criou série vencedora do Emmy. O jornal destaca também que ele construiu sua carreira na comédia fazendo as pessoas rirem sobre a hipocrisia, sobretudo a dos homens.

Procurado pelo New York Times, Louis C.K. não quis comentar acusações. Leia aqui a reportagem na íntegra.

Repercussão das denúncias

[Atualização, às 21h51] Sabendo da matéria do New York Times, a Orchard, empresa responsável pela distribuição do mais novo filme do comediante, afirmou em nota que está reconsiderando o momento que lançará produção.

"Devido às alegações referentes a Louis C.K. publicadas hoje no New York Times, estamos cancelando a estreia marcada para esta noite de I Love You, Daddy. Não há lugar para o comportamento detalhado nessas alegações. Como consequência, estamos fazendo cuidadosa consideração sobre o tempo e a estreia deste filme e continuamos a analisar a situação."

A HBO também declarou que tirará todas as produções com o comediante das suas plataformas on demand, a exemplo do HBO GO. A emissora também tirou Louis C.K. do seu evento de caridade, Night of Too Many Stars (via Variety).

O criador da série Parks and Recreation Mike Schur pediu desculpas por ter escalado o comediante na produção, mesmo já tendo ouvido os rumores sobre seu comportamento inapropriado. Confira:

"Não lembro quando ouvi os rumores sobre ele. Mas tenho certeza de que foi antes da sua última vez em Parks and Rec. E isso é péssimo. Desculpa", escreveu no Twitter. Louis C.K. apareceu na série seis vezes, interpretando Dave Sanderson, o interesse amoroso da personagem de Amy Poehler [fim da atualização].

Assédio em Hollywood

O tema do assédio sexual em Hollywood voltou à tona após várias acusações contra o produtor Harvey Weinstein. Ele foi demitido de sua empresa, a The Weinsten Company e expulso da Academia do Oscar, que pretende ter um novo código de conduta após o caso - saiba mais. O Sindicato dos Produtores também baniu para sempre Harvey Weinstein da organização - saiba mais.

Mais recentemente, o ator Kevin Spacey, protagonista da série House of Cards, tem sido alvo de diversas acusações, que resultaram em sua demissão da Netflix - saiba mais.