Filmes

Entrevista

Harry Potter e as Relíquias da Morte - Parte 2 | Omelete entrevista Rupert Grint

Ron Weasley fala da expectativa pelo fim da série, do epílogo e do que guardou das filmagens

Steve Weintraub
14.07.2011
00h58
Atualizada em
03.11.2016
02h07
Atualizada em 03.11.2016 às 02h07

Harry Potter e as Relíquias da Morte - Parte 2 está chegando ao cinema - já leu a crítica? -, e nossos parceiros do Collider conversaram com Ron Weasley em pessoa, Rupert Grint, sobre a expectativa pelo fim da saga, o epílogo e sobre o que levou pra casa - literalmente - após o fim das filmagens. Assista ou leia a transcrição, mais abaixo.

Você está aproveitando esta semana?

Bem, na verdade tudo está meio confuso, quer dizer... nós chegamos aqui na sexta à noite e tivemos o evento em Londres, a grande premiére mundial, e tenho que dizer que foi muito emocionante. Quer dizer, eu já estava quase dando um jeito de... já terminamos de filmar há mais de um ano e eu estava começando a superar e esquecer de tudo isso... e voltar para conversar sobre isso é como se estivessem cutucando as feridas.

Uma pergunta de "complete as lacunas":  "o que me deixa mais feliz é..."

O que me deixa mais feliz é este último filme. Foram 10 anos de preparação para este filme, ele tinha que ser especial. Tinha que impressionar as pessoas e se superar, e realmente acho que ele faz isso.

Eu concordo totalmente, eu acho que o filme é espetacular. "Você gostaria de ter..."

Eu gostaria de ter morrido no filme.

Isso seria interessante.

Uma cena de morte seria legal.

Talvez numa cena em que você morre de mentira e volta a viver...

E volto a viver, exato!

É isso aí. Falando hipoteticamente: você teria algum objeto da produção do filme, em casa?

Sim.

Ou alguma coisa que você pegou "emprestado" do set?

Sim, eu peguei algumas coisas emprestado. Quer dizer... na verdade eles me deram o Apagueiro no último dia de filmagem. E também peguei "emprestado" o número da casa da Rua dos Alfeneiros. Mas nem sei porque, afinal é algo que se pode comprar em qualquer loja de ferramentas.

Mas é melhor ter o original.

Sim, ter o original é bem mais legal.

Eu pedi para que as pessoas me mandassem perguntas no Twitter, então aqui vão: você tem medo de se ligar a alguma nova franquia depois de "Harry Potter"?

Eu estou empolgado em continuar e fazer outras coisas mas também é difícil comparar qualquer outra franquia com esta, pois "Harry Potter" possui uma identidade única, que tenho quase certeza de que  não vou encontrar em mais nada. E também acho que seria inteligente evitar fazer papéis de bruxo.

Sobre o epílogo, eu sei que vocês fizeram uma primeira versão e depois refilmaram. Hoje eu perguntei ao [diretor David] Yates sobre a possibilidade de incluir isso tudo no Blu-ray, ou até no último box definitivo. Como foi sua parte? Você chegou a ver a versão original do epílogo?

Eu nunca vi. Mas, na verdade, a cena está bem diferente.

O epílogo original?

Do epílogo original para o que gravamos por último, nós mudamos muito. Quer dizer, não só por causa da maquiagem, que era realista demais e muito exagerada. Eu, particularmente, fui envelhecido muitos anos.  Foi muito divertido. Eu tinha muitos acessórios, tipo uma barriga falsa, estava ficando careca, muita maquiagem e dentes estranhos. Então, sim, a cena era bem diferente. Na verdade era até mais longa.

Isso é algo que você não gostaria que colocassem no Blu-ray, ou você não se importa que os fãs eventualmente assistam?

Eu não me importaria. Eu mesmo compraria o Blu-ray só para ver esta cena, porque eu nunca pude saber se fiquei bem nela... pois é difícil saber como isso vai ficar na tela, é diferente olhar para o espelho. Na frente das câmeras as coisas ficam diferentes. E também acho que seria interessante comparar as duas. Eu não sei, veremos...

Legal. Eu preciso terminar. Muito obrigado e parabéns pelo filme.

Legal, obrigado.

Harry Potter e as Relíquias da Morte - Parte 2 estreia mundialmente nesta sexta-feira.

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados para as finalidades ali constantes.