Filmes

Entrevista

A Garota da Capa Vermelha | Omelete Entrevista Amanda Seyfried

Atriz fala sobre a pesquisa que fez e seus próximos trabalhos, incluindo o filme ao lado do brasileiro Heitor Dhalia

Steve Weintraub
23.04.2011, às 18H21
ATUALIZADA EM 15.11.2016, ÀS 19H04
ATUALIZADA EM 15.11.2016, ÀS 19H04

Amanda Seyfried é a estrela de A Garota da Capa Vermelha (Red Riding Hood), filme de Catherine Hardwicke que acaba de entrar em cartaz no Brasil. A versão moderna da Chapéuzinho Vermelho vem na onda atual de transformar contos de fadas em filmes. Em entrevista ao nosso correspondente em Hollydood, Steve Weintraub, do site parceiro Collider, Seyfried falou sobre o figurino, a pesquisa que fez e seus próximos trabalhos, incluindo aí o filme que fará ao lado do brasileiro Heitor Dhalia.

Assista abaixo:

Eu faço parte de um site brasileiro chamado Omelete, por isso que estou aqui. A grande pergunta é: você já visitou o Brasil antes?

Não.

Mas você quer ir?

Sim, claro que quero. A América do Sul é... tão exótica para mim e eu conheço algumas pessoas que disseram que é a melhor parte do mundo. Mas eu vou trabalhar com Heitor Dhalia, que é um diretor brasileiro.

Tenho certeza de que eles vão gostar muito de ouvir isso. Qual vai ser o nome?

O nome é Gone e ele acabou de fazer um filme chamado À Deriva. Ele é brasileiro, maravilhoso e muito inspirador.

Eu gostaria de perguntar: como foram os últimos anos para você? Eu conversei com você um ou dois anos atrás, e parece que você estátrabalhando sem parar.

É. É sim. Você está certo. Completamente certo. Eu, literalmente, parei de trabalhar agora. E eu vim trabalhando de abril ou junho, até agora. E isso é bastante, na verdade, mas ao mesmo tempo eu acho que ainda tenho bastante tempo livre. Eu não sei onde me sinto... Sim, tem sido bastante corrido, mas eu gosto de trabalhar.

Eu ouço isso de muitas pessoas.

Sim.

E o que, particularmente, te atraiu para este projeto?

No começo, eu resisti, mas... Catherine meio que me convenceu. Quando eu a conheci, ela tinha essas ideias incríveis. Ela tem a imaginação de uma uma criança, que vai além... da maioria das pessoas da idade dela ou a maioria dos adultos. E ela sempre, de algum modo, consegue fazer tudo aquilo ganhar vida no cinema. Eu disse: "Tudo bem." Ela é muito capaz de criar esta história. É uma versão mais realista do conto de fadas. Mas ainda contém alguns elementos sobrenaturais. Então, ela é a pessoa perfeita para isso.

Neste conto de fadas, quanta pesquisa você fez nos contos de fada, na história, ou foi do tipo, "Ok, isso é o filme"?

Na verdade, eu fiz alguma pesquisa sobre o modo de vida da época. O século 13, quero dizer, século 14, os anos 1300... E eu comprei muitos livros. Ainda comprei um livro sobre sexo, álcool e homossexualidade no começo da Idade Média, que era bem interessante, mas eu não cheguei a ler tudo. Eu só queria aprender um pouco sobre como era viver naquela época, naquele período de tempo. Essa foi a maior pesquisa que eu fiz. Catherine também me emprestou O Uso dos Feitiços, que é esse ótimo livro que fala sobre a origem dos contos de fada, e sobre o que eles realmente significam. Isso foi muito sombrio...

A grande pergunta é: Você pôde ficar com algum dos figurinos?

Não.

Você não colocou isso no contrato?

A Warner Bros. não gosta de doar os figurinos.

Entendo.

Especialmete os mais icônicos, tipo a capa vermelha.

Você, por um acaso, não "pegou um emprestado"?

Não.

Acho que você se deu mal.

Eu sei. Mas também, onde eu usaria? É muito reconhecido.

Poderia ir ao Cinema Arclight, ver um filminho...

Eu acho que apareceriam muitas pessoas tirando fotos e eu não estou afim disso...

Isso é verdade. Eu tenho que te perguntar: você também está num filme que me interessa muito, chamado Now.

Now é um suspense de ficção científica, que se passa num futuro próximo. E o conceito é: em um certo ponto no futuro, todos nós nascemos com relógios no braço. E não existe dinheiro, a unidade monetária é o tempo. Andrew Niccol dirigiu e escreveu, e é incrível. Ele é igual a Catherine, alguém que pensa fora da caixa... muito fora da caixa... Justin Timberlake faz o papel principal masculino e faço o papel principal feminino. É um filme com muita ação. Nós usamos armas.

Eu vi algumas fotos, os paparazzi estavam por todo o set.

Eles estavam por toda parte.

Toda parte.

É por minha causa. Justin não é nada de mais.

Eu tenho que terminar, mas parabéns pelo filme. Muito obrigado.

Obrigada.

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados e cookies para as finalidades ali constantes.