Ennio Morricone no Oscar 2016

Créditos da imagem: Robyn Beck / AFP

Filmes

Notícia

Compositor Ennio Morricone morre aos 91 anos

Maestro foi responsável pela trilha sonora de mais de 500 obras, entre elas clássicos do Western

Mariana Canhisares
06.07.2020
09h11
Atualizada em
06.07.2020
12h00
Atualizada em 06.07.2020 às 12h00

O compositor Ennio Morricone, conhecido por trilhas sonoras clássicas como a de Três Homens em Conflito, faleceu aos 91 anos, nesta segunda-feira (6). Morricone morreu em uma clínica em Roma, na Itália, para onde foi levado depois de sofrer uma queda e fraturar o quadril, de acordo com a Variety.

O maestro e compositor italiano criou cerca de 500 trilhas sonoras para o cinema e para a TV e foi indicado ao Oscar seis vezes, pelos longas Cinzas no Paraíso, A Missão, Os Intocáveis, Quando as Metralhadoras Cospem e Os Oito Odiados, levando a estatueta por este último.

Em 2006, porém, recebeu da Academia do Oscar um prêmio honorário pela sua carreira. Morricone foi o segundo compositor da história a ser reconhecido desta maneira pela instituição.

Nos seus mais de 50 anos de carreira, Morricone compôs muito para Westerns. Na realidade, acredita-se que ele tenha quebrado o recorde tamanha a quantidade de filmes do gênero com os quais se envolveu. Além do já mencionado Três Homens em Conflito, destaca-se também Era uma Vez no Oeste.

Desde os anos 1960, o compositor trabalhou com importantes nomes do cinema, como Sergio Leone, Terence Malick, William Friedkin, Brian De Palma e Roman Polanski. Antes de trabalhar com Morricone em Os Oito Odiados, Quentin Tarantino também incluiu faixas obscuras do maestro em longas como Kill Bill e Bastardos Inglórios, algo que não agradava Morricone. Porém, as reclamações do compositor eventualmente o levaram a colaborar com o diretor. 

Morricone deixa a esposa e quatro filhos.