Emma Stone considera processar a Disney pelo lançamento de Cruella

Créditos da imagem: Disney/Divulgação

Filmes

Notícia

Emma Stone considera processar a Disney pelo lançamento de Cruella

Matt Belloni divulgou a informação na newsletter What I’m Hearing

Camila Falcão
30.07.2021
13h52
Atualizada em
30.07.2021
16h31
Atualizada em 30.07.2021 às 16h31

A atriz Emma Stone, protagonista de Cruella, está cogitando processar a Disney pelo lançamento do filme no Disney+. De acordo com o ex-editor do THR, Matt Belloni, a artista está pesando suas opções após a notícia de que Scarlett Johansson decidiu entrar com uma ação contra a empresa (via ScreenRant).

"Emma Stone, estrela de Cruella, está avaliando suas opções", escreveu Belloni em sua newsletter What I’m HearingAinda no texto, o escritor cogita que Emily Blunt também pode se manifestar após a estreia de Jungle Cruise neste fim de semana. 

O grande problema das estreias simultâneas nos cinemas e no streaming é a questão da remuneração de suas estrelas -- que, em muitos casos, ganham um percentual sobre a receita dos filmes nas bilheterias. 

Cruella está disponível nos cinemas e no Disney+. Anteriormente, só era possível assistir ao filme no streaming por meio do serviço Premier Access, em que o usuário paga um valor além da assinatura para acessar o conteúdo. No Brasil, o valor do filme estava de R$ 69,90. 

Craig Gillespie, diretor de Eu, Tonya, comanda Cruella, com roteiro de Tony McNamaraEmma Stone é a protagonista do filme, que é focado nas origens da personagem durante a década de 1980 e traz Emma Thompson como a antagonista. 

O processo de Scarlett Johansson

As discussões envolvendo os filmes da Disney lançados no streaming estão acaloradas. Scarlett Johansson entrou com o processo por conta do lançamento híbrido de Viúva Negra, que chegou simultanemanete aos cinemas e ao Disney+, a plataforma da companhia. A estrela alega que esta decisão consiste em uma quebra de contrato, considerando que o documento falava em lançamento exclusivo nos cinemas.

A Disney respondeu publicamente, com um comunicado enviado ao jornal The New York Times. A empresa afirmou que o processo movido por Johansson "não tem qualquer mérito" e que ele é "triste e inquietante em seu completo desprezo aos efeitos globais terríveis e prolongados da pandemia de covid-19". 

Viúva Negra foi um dos títulos que a Disney decidiu lançar também no streaming, pelo valor adicional de R$ 70 (US$30, nos EUA), em razão da pandemia do coronavírus. Na sua estreia, o longa arrecadou mundialmente US$ 215 milhões, dos quais US$ 80 milhões vieram apenas do mercado norte-americano. Embora seja um valor impressionante, o filme enfrentou a maior queda de bilheteria da história do Marvel Studios na sua segunda semana

Omelete agora tem um canal no Telegram! Participe para receber e debater as principais notícias da cultura pop (t.me/omelete).

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados para as finalidades ali constantes.