Dois Irmãos - Uma Jornada Fantástica tem personalidade, mas não empolga

Créditos da imagem: Pixar/Divulgação

Filmes

Artigo

Dois Irmãos - Uma Jornada Fantástica tem personalidade, mas não empolga

Pixar revelou 8 minutos da animação que conta com vozes de Tom Holland e Chris Pratt durante a D23

Mariana Canhisares
25.08.2019
13h03
Atualizada em
25.08.2019
13h13
Atualizada em 25.08.2019 às 13h13

Enquanto o destino do Homem-Aranha do Tom Holland ainda parece incerto, o ator marcou presença no painel da Pixar na D23 Expo ao lado de Chris Pratt para falar sobre a animação Dois Irmãos - Uma Jornada Fantástica (Onward). A dupla apresentou para o público do evento oito minutos do início do filme, revelando que sim, há mais personalidade na trama do que mostrou seu primeiro trailer. Mais do que imaginar como criaturas mágicas viveriam em um subúrbio moderno, o filme é, em essência, a história de dois filhos tentando rever seu falecido pai.

Pratt e Holland vivem os irmãos Barley e Ian Lightfoot, elfos que não poderiam ser mais diferentes - enquanto um é espalhafatoso e aventureiro, o outro é tímido e medroso. Ainda assim, é na companhia um do outro que encontram, sem querer, uma carta do pai com a receita para um feitiço, um jeito de trazê-lo de volta à vida por apenas 24 horas. A mãe dos jovens descredita o papel, dizendo que o pai tinha apenas um hobby estranho. Porém, Barley está certo de que pode funcionar. Pegando o cajado com uma pedra mágica na ponta, encontrado no mesmo lugar que a carta, ele grita as palavras escritas no papel, mas nada acontece além de assustar seu dragão de estimação.

Pixar/Divulgação

Ian fica com a carta. Sozinho no seu quarto, ele lê despretensiosamente as mesmas palavras que o irmão e o cajado começa a tremer e ficar cheio de luz. Conforme ele avança no texto, as coisas ao seu redor começam a girar pelo ambiente. Barley, então, entra no cômodo e, surpreso com a cena, estimula que Ian vá até o final. Aos poucos, a figura do pai começa a se formar. Primeiro, os pés. Depois, as pernas. Mas, nesse momento, o cajado não aguenta a força do feitiço e a sua pedra no topo se estilhaça. Conclusão: a dupla fica apenas com metade do corpo do pai.

A cena é bastante cômica, mas curiosamente fofa. Essa metade de ser humano anda pelo quarto com muito receio, enquanto os irmãos gritam pelo pai. Quando finalmente entendem que ele não consegue ouvi-los, Barley dá umas batidas no pé daquela curiosa figura, gesto suficiente para que o meio-elfo entendesse de quem se tratava. Determinados a aproveitarem as 24 horas que têm com o pai, os irmãos decidem ir atrás da tal da pedra. As primeiras pistas vêm de um jogo de cartas que, de acordo com Barley, seria baseado na vida real.

Durante o painel, foi revelado ainda outro clipe de um momento mais adiante da viagem. Os elfos disfarçaram o pai, montando uma espécie de boneco com um monte de roupas. O efeito é um andar mole e engraçado, que lembra até Um Morto Muito Louco. Com pouca gasolina, o trio precisa que Ian use seus poderes mágicos para produzir combustível. Mas, com o irmão o pressionando, não apenas ele não consegue cumprir seu objetivo, como deixa Barley do tamanho de um lápis.

Estes primeiros minutos exploram o humor bobo e divertido da dinâmica dos irmãos Lightfoot, capaz de deixar este universo mágico mais interessante. Ainda assim, em um painel que contou com Frozen 2 e os carismáticos anúncios de Soul e Raya and the Last Dragon, Dois Irmãos não empolgou. Isso não significa que o filme pareça ruim. Mas, tendo em vista o tipo de produção que a Pixar é capaz de entregar, esta animação fica um pouco abaixo das expectativas.

Dois Irmãos - Uma Jornada Fantástica estreia em 5 de março de 2020.