Daniel Radcliffe em Truque de Mestre 2

Créditos da imagem: Summit Entertainment/Divulgação

Filmes

Notícia

"Mulheres trans são mulheres", diz Daniel Radcliffe em resposta a J.K. Rowling

Comentário da escritora no Twitter suscitou discussão sobre discriminação à população trans

Mariana Canhisares
09.06.2020
11h42
Atualizada em
11.06.2020
16h29
Atualizada em 11.06.2020 às 16h29

O ator Daniel Radcliffe saiu em defesa da população trans após a escritora J.K. Rowling postar comentários polêmicos no Twitter. Embora reconheça a importância que a autora e Harry Potter têm em sua vida, Radcliffe foi categórico ao contradizê-la e afirmar que "mulheres trans são mulheres".

No site do Trevor Project, uma organização sem fins lucrativos que trabalha na prevenção do suicídio da juventude LGBTQ+, o ator escreveu:

"Mulheres trans são mulheres. Qualquer afirmação que diga o contrário apaga a identidade e a dignidade da população trans e vai contra todos os conselhos dados por associações de profissionais de saúde, que sabem muito mais sobre o assunto do que eu ou a Jo. De acordo com o Trevor Project, 78% da juventude trans e não-binária é vítima de discriminação por sua identidade de gênero. É evidente que precisamos fazer mais para apoiar as pessoas trans e não-binárias, não invalidar suas identidades e causar mais dano".

O ator pediu desculpas aos fãs que se sentiram atacados pelos comentários de Rowling e disse torcer para que isso não comprometa o envolvimento deles com a saga Harry Potter. "Se você encontrou algo nessas histórias que ressoou em você e o ajudou em algum momento da sua vida, isso é entre você e o livro. Isso é sagrado. Na minha opinião, ninguém pode interferir nisso. O livro significa o que signifca para você e espero que esses comentários não manchem muito isso".

No último sábado (6), J.K. Rowling voltou a causar controvérsia no Twitter ao falar sobre a população trans, polêmica com a qual já havia se envolvido um ano antes. Ela escreveu:

"Se sexo não é real, não existe atração entre pessoas do mesmo sexo. Se sexo não é real, a realidade vivida por mulheres ao redor do mundo é apagada. Conheço e amo pessoas trans, mas apagar o conceito de sexo remove a habilidade de muitos discutirem suas vidas de forma significativa. Não é ódio dizer a verdade".

"Respeito o direito de todas as pessoas trans de viverem da maneira que lhes pareça autêntica e mais confortável. Protestaria com vocês se vocês fossem discriminados por serem trans. Ao mesmo tempo, minha vida foi moldada pelo fato de eu ser mulher. Não acredito que seja odioso dizer isso".

Os comentários decepcionaram muitos fãs, que disseram não ver mais a franquia Harry Potter com os mesmos olhos.

Os sete livros da franquia Harry Potter foram adaptados para oito filmes pela Warner Bros. entre 2001 e 2011. A autora J.K. Rowling trabalha agora na franquia derivada Animais Fantásticos, que já teve dois filmes lançados e tem outros três em desenvolvimento. O terceiro longa será situado no Rio de Janeiro na década de 1930.