Filmes

Crítica

Your Name | Crítica

Filme fala sobre tempo e memória de forma delicada e com visual impecável

Camila Sousa
30.12.2017
19h03
Atualizada em
01.01.2018
00h10
Atualizada em 01.01.2018 às 00h10

Antes mesmo de ser disponibilizado na Netflix, o anime Your Name (Kimi no na wa) fez um grande barulho na internet, com várias pessoas comentando sobre sua história aparentemente simples. No filme, uma garota chamada Mitsuha vive em um vilarejo do Japão e sonha com a vida agitada de Tóquio. Já na cidade grande, o garoto Taki vive à procura de alguma coisa que ele não sabe bem o que é. Em uma manhã, os dois acordam com os corpos trocados. Não é um ponto de partida muito original, já que vários filmes, livros e séries já falaram sobre isso, mas o que diferencia Your Name é a delicadeza com a qual ele trata do assunto e os aprendizados profundos que carrega em sua história.

Como não poderia ser diferente, a troca de corpos entre dois adolescentes rende algumas piadas sexuais, mas todas são leves e esse não é nem de longe o objetivo do filme. Logo que tudo acontece, vemos como os dois protagonistas precisavam passar por alguns aprendizados. Mitsuha finalmente está na cidade grande e sofre um pouco para se adaptar à correria do local. Já Taki é surpreendido positivamente com as cerimônias e rituais típicos daquele vilarejo. Esse é um contraste que fala muito sobre o Japão: existe o desejo de manter as fortes tradições do país, enquanto há um grande desenvolvimento das cidades e da tecnologia. Essas características tão distintas tornam o país um local único e os dois protagonistas de Your Name representam isso muito bem.

A parte visual da animação é primorosa e também traça um paralelo com os contrastes japoneses. Vemos o uso de técnicas recentes, principalmente nas cenas abertas em Tóquio, mas há o cuidado de preservar o traço clássico dos animes. A mudança entre esses dois visuais é natural e não causa estranheza no público. A prova de que o novo pode coexistir em paz com o clássico.

Porém, mesmo com todos esses indicativos, o tema central de Your Name não é a harmonia entre as diferenças. Com uma reviravolta surpreendente, a produção revela o intuito de falar sobre tempo, destino e memórias. A relação entre Taki e Mitsuha evolui de uma amizade estranha - os dois deixam mensagens um para o outro quando trocam de corpos - para o amor e finalmente se torna uma missão. A mudança de corpos entre os dois tinha um objetivo claro e a percepção disso muda totalmente o rumo da história.

É difícil analisar o filme sem revelar muitos detalhes - e nesse caso é importante não pegar nenhum spoiler - mas o longa conduz o término da jornada de forma intensa e emocionante. Sabendo que o público já está ligado com os protagonistas, o diretor Makoto Shinkai (O Jardim das Palavras) cria encontros e desencontros que deixam quem assiste ora com coração na mão, ora com um sorriso no rosto.

Em uma história aparentemente simples, Your Name fala sobre como é importante seguir a intuição, mesmo quando a razão fala o contrário; mostra como o destino é implacável - as coisas acontecem exatamente como devem acontecer - e prova como o tempo é, ao mesmo tempo, o maior aliado e o maior inimigo de todos.

Nota do Crítico
Excelente!