Foto de Whiplash - Em Busca da Perfeição

Créditos da imagem: Whiplash - Em Busca da Perfeição/Divulgação

Filmes

Crítica

Whiplash - Em Busca da Perfeição

A transgressão do jazz nos tempos do politicamente correto

Érico Borgo
04.09.2014
16h20
Atualizada em
28.05.2020
16h03
Atualizada em 28.05.2020 às 16h03

Em Whiplash: Em Busca da Perfeição, drama musical escrito e dirigido por Damien Chazelle, Milles Teller (o novo Sr. Fantástico do cinema) vive um baterista de jazz que frequenta uma das melhores escolas de música do mundo. Apaixonado pelo instrumento e desejando ser "grande", ele abraça na primeira oportunidade a chance de trabalhar ao lado do temido maestro Fletcher (J.K. Simmons) em sua prestigiada banda.

O professor, porém, tem métodos peculiares, especialmente aos olhos superprotetores do mundo de hoje. E não tarda para que sangue e suor, literalmente, comecem a encharcar a bateria enquanto o novato é humilhado de inúmeras maneiras em prol da virtuose.

Chazelle filma com economia. Guarda seus solos para o fim, preferindo usar quando pode uma única câmera, fechada nos músicos e suas performances. Ele parece aceitar que o jazz não pode ser filmado de maneira convencional, então não se arrisca. O resultado chega a ser claustrofóbico - e emocionante pela música envolvida.

Whiplash fica sobre os dois personagens e suas trocas furiosas quase o tempo todo. Há poucos respiros na obsessão dos dois homens, que logo adquire contornos de insanidade. Uma versão demoníaca de Richard Dreyfuss em Adorável Professor, Simmons faz aqui um dos melhores trabalhos de sua carreira, alternando seus estados emocionais e mantendo o público eternamente incerto de suas intenções. E Teller acompanha à altura, transformando-se ao longo do filme.

Ao final, Whiplash surpreende ao falar abertamente sobre como a grandeza só pode florescer com esforço - e que muitas vezes empurrões são mais necessários que tapinhas nas costas. "A pior coisa que aconteceu para o mundo foi essa de ter que elogiar um bom trabalho. Não é a toa que o jazz está morrendo", racionaliza o professor, lamentando que para essa música a transgressão marginal é necessária, o "sangue nos olhos". Na visão de Chazelle, o exagero do politicamente correto em todos os níveis da sociedade merece uns tapas na cara pra criar coragem.

Whiplash - Em Busca da Perfeição
Whiplash
Whiplash - Em Busca da Perfeição
Whiplash

Ano: 2014

País: EUA

Classificação: LIVRE

Duração: 105 min

Nota do Crítico
Ótimo

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados para as finalidades ali constantes.