Filmes

Crítica

Uma Aventura LEGO | Crítica

Tudo é incrível nesta animação que mistura tons de Matrix, Toy Story e Simpsons

Marcelo Forlani
06.02.2014
20h49
Atualizada em
29.06.2018
02h43
Atualizada em 29.06.2018 às 02h43

É impossível pegar duas peças de Lego nas mãos e não montar uma na outra. Embora não use nenhum tipo de ímã, o magnetismo do ato já está no nosso modus operandi. E não importa se você tem poucos anos ou já viveu várias primaveras, a diversão está garantida. E o melhor é que você pode montar do seu próprio jeito, usando sua criatividade, ou então seguir à risca o manual que vem dentro de toda caixa e mostra qual tijolinho deve ser encaixado em qual lugar e em qual momento da montagem.

Uma Aventura LEGO

None

Uma Aventura LEGO

None

Uma Aventura LEGO

None

Uma Aventura LEGO

None

Emmet (voz de Chris Pratt no original) é um seguidor do segundo método, um operário que - como todos os que trabalham e vivem ao seu lado - tem nos manuais de instruções regras claras que devem ser seguidas para criar um mundo onde tudo funciona perfeitamente, os carros andam em fila e estacionam ao mesmo tempo, os trabalhadores se cumprimentam com sorriso no rosto, um mesmo episódio de uma série de TV continua tendo graça todos os dias e a enorme população de bonequinhos adora o grande político que orquestra esta perfeição toda, o Presidente Negócios (Will Ferrell).

Porém, ao final de mais um dia perfeito, Emmet vê alguém onde não deveria estar. Ao tentar avisar as autoridades e, assim, manter a perfeição de seu cotidiano, ele conhece Megaestilo (Elizabeth Banks) e fica sabendo da "profecia". Pior que isso: ela e os outros Mestres Construtores começam a crer que Emmet, um sujeito normal (e até meio "limitado") é "O Escolhido", aquele que vai salvar o mundo das regras impostas pelo maligno Senhor Negócios, que controla não apenas a cidade de Emmet, mas também o "Velho Oeste", a "Zelândia Média" e vários outros universos criados a partir dos bloquinhos de Lego.

O cenário criado pelos roteiristas e diretores Phil Lord e Christopher Miller segue as maluquices dos trabalhos anteriores da dupla, o primeiro Tá Chovendo Hambúrguer e o reboot de Anjos da Lei. Neste ambiente que mistura Matrix, Toy Story e Simpsons, não há uma situação séria o bastante que escape de uma boa piada. E com todo o mundo pop de figuras licenciadas do universo Lego em mãos, não demoram a surgir em cena personagens conhecidos como Batman, Superman e outros heróis da DC (não por acaso, afinal a Warner Bros, que distribui o filme é também a dona da DC Comics), O Senhor dos Anéis, Star Wars, Tartarugas Ninja e até antigos astros da NBA.

O ótimo ritmo com que as piadas vão surgindo garante diversão para crianças e adultos. Mas o que mais impressiona em Uma Aventura Lego (The Lego Movie, 2014) é o cuidado com detalhes menores do que os tijolinhos simples. As ondas e os tiros são peças de Lego, e quem brincou com bonequinho astronauta nos anos 80 vai lembrar do capacete do astronauta estar quebrado daquele mesmo jeito. Enfim, tudo é feito com as tais pecinhas e tem uma ótima explicação para isso, que vai fazer muito marmanjo parar para pensar. E depois querer brincar ainda mais com seus Legos!

Uma Aventura LEGO
The LEGO Movie
Uma Aventura LEGO
The LEGO Movie

Ano: 2013

País: EUA

Classificação: LIVRE

Duração: 100 min

Direção: Phil Lord, Chris Miller

Elenco: Will Arnett, Elizabeth Banks, Craig Berry, Alison Brie, David Burrows, Anthony Daniels, Charlie Day, Amanda Farinos, Keith Ferguson, Will Ferrell, Will Forte, Dave Franco, Morgan Freeman, Todd Hansen, Jonah Hill, Jake M. Johnson, Keegan-Michael Key, Kelly Lafferty, Chris McKay, Christopher Miller, Graham Miller, Liam Neeson, Doug Nicholas, Shaquille O'Neal, Nick Offerman, Chris Paluszek, Chris Pratt, Chris Romano, Jadon Sand, Cobie Smulders, Melissa Sturm, Jorma Taccone, Channing Tatum, Billy Dee Williams, Leiki Veskimets

Nota do Crítico
Ótimo

Ao continuar navegando, declaro que estou ciente e concordo com a Política de Privacidade bem como manifesto o consentimento quanto ao fornecimento e tratamento dos dados para as finalidades ali constantes.