The Hummingbird Project

Créditos da imagem: The Hummingbird Project/Sébastien Raymond/Earhlings Productions/Belga Productions2017/Divulgação

Filmes

Crítica

The Hummingbird Project

Tragicomédia com Jesse Eisenberg e Alexander Skarsgård mede o peso do sonho americano

Natália Bridi
15.09.2018
13h54

The Hummingbird Project é uma odisseia entre as duas medidas absolutas da cultura norte-americana: sucesso e fracasso. O objetivo do projeto dos primos de origem russa Vincent e Anton (Jesse Eisenberg e Alexander Skarsgård) - um túnel de fibra ótica entre Kansas e Nova Jersey - é a glória financeira, mas a empreitada flerta constantemente com o desastre.

Em Wall Street cada segundo conta, e quanto mais rápida for a troca de informações, maior a chance de sucesso. O túnel de Vincent e Anton lhes daria frações de segundo de vantagem - a velocidade da batida de asas de um beija-flor-, o que renderia milhões de dólares. Vincent vende esse sonho americano, enquanto Anton é o gênio que precisa torná-lo realidade.

Eisenberg mantém a sua persona verborrágica, alternando momentos de contenção e explosão. Do outro lado, Skarsgård, com uma careca perfeitamente esculpida, se esforça para viver o engenheiro misantropo. O personagem, porém, sofre da necessidade do roteiro de usá-lo como alívio cômico, o que na maior parte do tempo o torna extremamente caricato. Em conjunto, porém, a dupla - e suas interações com os personagens de Salma Hayek (a executiva desalmada de Wall Street) e Michael Mando (o empreiteiro responsável pelo projeto) - garante um tom cativante à jornada proposta.

Escrito e dirigido por Kim Nguyen, The Hummingbird Project é uma tragicomédia sobre ganância. Sua crítica não é sobre o desejo por sucesso, mas no custo que essa busca pode acarretar. Como Vincent acaba por entender, sucesso e fracasso são apenas postos de passagem. Eventualmente todas as rotas levam ao mesmo destino, o que conta é o que se faz no caminho.

Nota do Crítico
Bom