Filmes

Crítica

Tá Chovendo Hambúrguer 2 | Crítica

Sequência tem boas piadas, mas é menos criativa na história que seu original

Marcelo Forlani
17.10.2014
11h37
Atualizada em
29.06.2018
02h47
Atualizada em 29.06.2018 às 02h47

A Sony Animation surpreendeu em 2009 com o ótimo Tá Chovendo Hambúrguer (Cloudy With a Chance of Meatballs). A história de Flint Lockwood (voz de Bill Hader no original), um aspirante a cientista que inventa uma máquina que transforma água em comida, era super criativa em sua concepção, cheio de situações surrealistas e com um ótimo ritmo.

Tá Chovendo Hambúrguer 2

None

Tá Chovendo Hambúrguer 2

None

Tá Chovendo Hambúrguer 2

None

Porém, a dupla que criou tudo, Phil Lord e Chris Miller, foi substituída. O script ficou sob a responsabilidade dos roteiristas de Quero Matar Meu Chefe e O Incrível Mágico Burt Wonderstone, John Francis Daley e Jonathan M. Goldstein, que criaram uma trama inédita, em vez de adaptar para as telas o livro Pickles to Pittsburgh, o segundo da série criada por JudiRon Barrett. Já a direção ficou com Cody Cameron e Kris Pearn, dupla que havia trabalhado no primeiro longa, mas jamais tinha comandado um projeto deste tamanho. A inexperiência transparece na forma de uma história quadradona, mas que contém elementos criativos.

A nova aventura de Flint e seus amigos começa imediatamente após tudo o que foi mostrado no primeiro filme - e repetido em um rápido flashback que já apresenta o novo personagem: o super inventor Chester V, CEO da Live Corp. e ídolo de Flint. É ele (e sua companhia) que chega para "limpar" a ilha de pescadores de atum. Sua primeira medida é mandar todos os moradores do local para a cidade, deixando caminho livre para que seus pesquisadores trabalhem em paz. Tudo foge do controle quando a FLDSMDFR volta a funcionar e os alimentos começam a ganhar vida.

O início desta reviravolta é muito interessante. Ver de perto “comidanimais” como tacodilos, camaranzés, serpentortas, queijaranhas com bacon duplo e outros monstros de comida é como andar mais uma vez pelo Parque dos Dinossauros. Ao lado de algumas ótimas piadas que serão muito mais engraçadas para os adultos do que para as crianças, este é o grande trunfo de Tá Chovendo Hambúrguer 2 (Cloudy With a Chance of Meatballs 2, 2013). A molecada certamente vai se divertir muito com as criaturas, a ponto de nem ligar tanto para a história, que apenas segue a fórmula já conhecida do vilão que não mede esforços para se dar bem em cima dos mocinhos.

Se a nova animação perde na originalidade, ao menos mantém o bom humor e tem elementos (ou deveria dizer alimentos?) de sobra para fazer os pequenos saírem felizes do cinema felizes e famintos por mais.

Nota do Crítico
Bom