Filmes

Crítica

Suburbicon | Crítica

Filme de George Clooney desfaz a santidade hipócrita da classe média branca dos EUA

Natália Bridi
11.09.2017
16h35
Atualizada em
11.09.2017
19h59
Atualizada em 11.09.2017 às 19h59

O sonho americano não é para quem quer, é para quem pode. Em Suburbicon, George Clooney e seus os parceiros de longa data Grant Heslov e Joel e Ethan Coen desfazem a santidade da classe média branca dos EUA em uma história que caminha pacientemente para o caos e debocha da hipocrisia da proclamada terra da liberdade.

No começo havia a perfeição. Suburbicon é a comunidade modelo da década de 1950 com seus terrenos milimetricamente delimitados, casas alinhadas e vizinhos sorridentes e cordiais. Isso até a chegada dos Meyers. Quando a família negra pacificamente se muda para o bairro toda aquela normalidade mostra a suas garras. Uma assembleia se reúne. Aquela abominação era uma violações dos direitos dos moradores! Clooney deixa clara a ironia na câmara que capta de baixo para cima os discursos efusivos sobre aquela ameaça aos valores brancos. Marca o rosto de todos, determinando que a massa descontrolada é formada por indivíduos.

Enquanto a comunidade se dedica à expulsão dos Meyers, a casa dos Lodge vai lentamente ruindo sem chamar atenção. Dizer mais sobre a trama é estragar a lógica de preparação-revelação da narrativa. Clooney não mostra para depois escancarar, da mesma forma como segredos se tornam escândalos. A câmera está quase sempre próxima ao rosto dos personagens, esperando o próximo erro, a próxima mentira, a próxima decepção.

Um movimento sincronizado à trilha de Alexandre Desplat, que no seu timbre Hitchcockiano deixa sempre claro que algo está errado (e que tudo pode ficar pior). O tom caricato é pertinente à sátira e também está nas atuações. Matt Damon, Julianne Moore, Oscar Isaac e o menino Noah Jupe assimilam perfeitamente os exageros propostos culminando para que tudo - câmera, trilha, montagem e atuações - cheguem a exaltação catártica do terceiro ato.

Suburbicon não foge em tema e forma de outras colaborações de Clooney, Heslov e os irmãos Coen, mas usa essa fórmula para compor uma sátira poderosa e apropriada. Se o diálogo perdeu o poder e só restam os gritos, que sejam berros bem-humorados.

 

Suburbicon: Bem-vindos ao Paraíso
Suburbicon
Suburbicon: Bem-vindos ao Paraíso
Suburbicon

Ano: 2017

País: EUA

Classificação: 16 anos

Duração: 105 min

Direção: George Clooney

Roteiro: Joel Coen, Ethan Coen, George Clooney, Grant Heslov

Elenco: Matt Damon, Josh Brolin, Oscar Isaac, Julianne Moore, Glenn Fleshler, Noah Jupe, Lauren Burns, Megan Ferguson, Michael D. Cohen, Chrystall Friedemann, Steve Monroe, Brandon Duracher, Gary Basaraba, Noah Jupe, Inbal Amirav, Emily Goss, Glenn Fleshler, Lauren Burns, Matt Damon, Julianne Moore, Noah Jupe

Nota do Crítico
Excelente!