Filmes

Crítica

Revelações | Crítica

Adaptação do romance de Philip Roth parte de premissa intrigante

Érico Borgo
29.01.2004
01h00
Atualizada em
21.09.2014
13h15
Atualizada em 21.09.2014 às 13h15

Revelações
The human stain

EUA, 2003 - 106 min.
Drama

Direção: Robert Benton
Roteiro: Philip Roth (livro), Nicholas Meyer

Elenco: Anthony Hopkins, Nicole Kidman, Ed Harris, Gary Sinise, Wentworth Miller, Jacinda Barrett Harry J. Lennix, Clark Gregg, Anna Deavere Smith, Lizan Mitchell

Revelações (The Human Stain, 2003), dirigido por Robert Benton (Kramer vs. Kramer) e adaptado do romance de Philip Roth, parte de uma premissa intrigante.

Coleman Silk (Anthony Hopkins), um respeitado professor universitário de literatura clássica, é acusado de racismo durante uma aula, quando refere-se a dois alunos que ele nunca viu, pois eles nunca apareceram em sua classe, como "spooks". Acontece que a palavra tem dois sentidos na língua inglesa: o primeiro, empregado pelo mestre, é sinônimo de "espectros, assombrações", o outro, um termo pejorativo e racista para negro. Para o azar do professor - ironicamente um judeu -, os dois alunos são negros.

Furioso com a acusação, Silk pede demissão do cargo e vai para casa, espumando de ódio. Alterada pela situação, sua esposa acaba sofrendo um ataque cardíaco e morre poucas horas depois. Começa então a luta do professor para contar sua ingrata história, ao lado de um escritor recluso (Gary Sinise), com quem começa a desenvolver um forte laço de amizade.

Entretanto, conforme se recupera de sua perda, Silk inicia um estranho relacionamento com uma mulher décadas mais jovem, a bela e emocionalmente fechada faxineira da faculdade em que ele lecionava (Nicole Kidman). Começa então um escândalo que terá graves repercussões na vida do professor, incluindo aí a exposição de um antigo e bem guardado segredo, algo que poderia acabar com todas as acusações contra ele em segundos... não fosse sua decisão de jamais revelá-lo.

Resultado frio

A fórmula parece ser uma garantia de sucesso: um diretor consagrado, dois astros de primeira grandeza, um roteirista premiado (Nicholas Meyer), uma equipe técnica competente e o material de base escrito por um dos maiores escritores dos Estados Unidos da atualidade. Entretanto, Revelações falha ao resultar em um filme mediano, incapaz de despertar grandes emoções, sejam elas favoráveis ou desfavoráveis à produção.

Em parte o erro foi da contratação do elenco. Embora Hopkins esteja excelente como sempre, há alguns problemas cruciais com o tipo físico do ator que não se encaixa na premissa secreta do filme, algo que não pode ser revelado aqui para não estragar a principal surpresa da história. Também atrapalha a abordagem distante dos personagens oferecida pelo diretor, que torna impossível ao espectador relacionar-se com qualquer um deles. Assim, o drama resulta frio e um tanto antipático.

Vale a pena, entretanto, pela discussão de como é difícil realizar um ótimo filme, mesmo quando todos os principais envolvidos tem prêmios Oscar na prateleira.